A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Resumo Síndrome Coronária Aguda SCA

Pré-visualização | Página 1 de 1

SCA SEM SUPRA T 
 
CONCEITOS GERAIS 
Se o percentil de troponina estiver maior que o percentil 99, há •
evidência de necrose. 
A artéria está parcialmente ocluida, com ECG normal. •
Pode ser causada por vasoespasmo, embolia coronária, vasculares, •
anemia e sepse. 
Quanto maior o numero de colaterais, melhor o fluxo residual e maior a área de necrose. (Idoso reage melhor •
devido às colaterais) 
 
QUADRO CLÍNICO 
Tipo e localização 1.
Dor retroesternal, precordial e epigástrico. A.
Aperto e opressão no peito. B.
Irradiação ou sintomas associados 2.
Braços, pescoço, mandíbula (a dor sobe). A.
Sudorese, nausea e vômitos. B.
Fatores de piora ou melhora 3.
Exercício, estresse. A.
Repouso e nitrato (causa vasoconstrição). B.
Características específicas 4.
Dor >20 minutos. A.
Dor aos pequenos esforços. B.
Paciente já dianósticado com Angina Estável e que apresenta novos sintomas. C.
Ausência de dor em mulheres, idosos e pacientes DM. D.
OBS 
AI - duração até 20 minutos, inicio recente e angina progressiva. •
IAM - duração maior que 30 minutos, maior irradiação, presença de sudorese, palidez e nauseas. •
 
EXAMES COMPLEMENTARES 
ECG: Principal ferramenta e deve ser realizado nos primeiros 10 minutos de atendimento. •
Marcador de necrose: troponina T aumenta quando há necrose miocárdica (mas não necessariamente indica um •
infarto), aumentando 3 horas após o inicio, pico entre 18h e 24h após início do quadro e podendo durar até 10 dias. 
Cintilografia •
Ecocardiograma •
Ressonância Miocárdica •
OBS: Outras patologias aumentam a troponina, poraém, elevação em ascensão ou em platô é um indicativo forte de que 
houve infarto. 
 
TIPOS DE INFARTOS 
 Espontâneo (rotura de placa, erosão ou dissecção). 1.
 Secundário por desequilíbrio isquêmico (espasmos, embolia, taquiarritmia, hipertensão e anemia). 2.
 Resultando em morte, sem biomarcadores coletados. 3.
 4.
Relacionado à intervenção coronária percutânea. A.
Relacionado a trombose de stent. B.
Rlacionado a cirurgia de revascularização miocárdica. 5.
 
CLASSIFICAÇÃO DE KILLIP 
Assintomático - Sem sinais de congestão 1.
Discreta congestão pulmonar + B3 (edema radiológico) 2.
Edema Agudo de Pulmão Franco (do VE o sangue retorna ao pulmão) 3.
Choque cardiogênico - ventrículo é incapaz de manter o débito cardíaco. 4.
 
TRATAMENTO 
Betabloqueadores 1.
Bloqueadores de Canais de Cálcio 2.
Nitrato Oral 3.
Alopurinol 4.
 
OBS: O Nitrato diminui a pressão e prejudica a vida nos casos de infarto de VD que necessita desse retorno sanguíneo. 
 
SCA COM SUPRA T 
 
SAVICCO 
Suporte clinico •
MOVE (monitorização, oxigênio, acesso venoso) ◦
ECG ◦
Coleta de marcadores de necrose miocárdica ◦
Controle de sintomas. ◦
Se paciente hipertenso e ausência de infarto de VD - iniciar nitrato endovenoso. ◦
Antiagregantes (AAS, Clopidogrel) •
Aspirina 100 a 300mg - mastigáveis ◦
Clopidogrel (75g) - 300mg ◦
Viabilizar reperfusão (fibrinolítico ou intervenção percutânea) •
O ótimo é realizar até meia hora da entrada no PS. ◦
Isquemia •
Coagulação (heparina) •
Não fracionada ou de baixo peso molecular. ◦
Coração (IECA, BRA, B-Bloqueador, Estatinas) •
Organizar regulação (enviar paciente para local adequado) •
 
TRATAMENTO 
Antiagregantes Plaquetários •
AAS ◦
Clopidogrel/Prasugrel/Ticagrelor: antagonistas da ativação plaquetária, impedindo ligação com fibrinogênio e ◦
impede a formação do trombo duro. 
Anticoagulantes •
Enoxaparina ◦
Heparina: previne a formação de trombos, mas não promovem a Lise deles. ◦
Fondaparinux ◦
Terapia Fibrinolítica: estimulam o sistema de fibrinólise endógena, catalisando a conversão em plasmina que •
auxilia na dissolvição dos trombos. Administração precoce. 
Ex: Alteplase, Tenecteplase Estreptoquinase ◦
Contraindicações: AVC prévio, neoplasia intracraniana com sangramento interno ativo, suspeita de dissecção de ◦
aorta. 
Intervenção Coronária Percutânea: •
A angioplastia primária reduz as taxas de sangramento, ampliando a sobrevida a curto e longo prazo, sendo ◦
realizada 60 minutos após a apresentação do paciente no hospital ou 120 minutos do início dos sintomas. 
Indicada no choque cardiogênico, angina pós-IAM, arritmias ventriculares malignas, insucesso pós-trombólise. 
Vantagens: melhora função ventricular, reduz mortalidade, melhor manutenção do fluxo coronário. ◦
Antiesquemicos: nitrato e morfina reduzem as dores por diminuirem consumo de oxigênio. •
Estatinas: controle dislipidemico. •
Betabloqueadores: diminuem consumo de oxigênio, controlam PA, reduz contratilidade miocárdica. •
Oral: Atenolol, metoprolol, propanolol. ◦
Endovenoso: metropolol ◦
IECA: prevenção de óbito, infarto e AVC, recomendação para DAC/IC. •
Captopril, losartan, enalapril, valsartan. ◦
Antagonistas de canais de cálcio: usado quando há contra-indicação das drogas de primeira escolha. •
Anlodipino ◦
 
COMPLICAÇÕES DA SCA 
Instabilidade hemodinâmica •
Hipotensão leve a moderada •
Choque cardiogênico •
Arritmias cardíacas. •
 
ALTA HOSPITALAR 	 
Orientação sobre a doença. •
Mudança no estilo de vida •
Terapia farmacológica - betabloqueadores, antiplaquetários, estatinas e IECA. •