A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
leishmaniose

Pré-visualização | Página 1 de 1

Lara Bianca Cardoso Pereira, Medicina UEMA Instagram: esteto.da.lara 
Leishmaniose 
EPIDEMIOLOGIA 
É uma zoonose de importância mundial, sendo 
diversas espécies presentes em diferentes partes do 
mundo com manifestações sintomatológicas distintas. 
• Transmissão vetorial: picada de fêmea, 
geralmente em turno vespertino, do mosquito 
Lutzomya longipalpis- flebotoíneos- mosquito 
palha, tatuquira 
• Protozoário do gênero Leishmania (L. chagasi 
comum nas américas) 
• Cães são reservatórios no ambiente urbano e no 
ambiente silvestre há raposas, bicho preguiça, 
cavalo, marsupiais... 
• Não há tratamento 
• Difícil diagnostico, pois há muitas manifestações 
diferentes, como lesões na pele, apatia, 
alopercia, emagrecimento, onicogrifose 
• Doença emergente 
• Notificação compulsória no Brasil- subnotificado 
• Grande parte dos casos se concentra no NE 
• Aumento de casos em cidades próximas a centros 
urbanos 
• Agente etiológico: a forma amastigota é um 
parasita intracelular que ataca sistema 
reticuloendotelial, invadido baço, fígado, medula 
e forma promastigota encontra-se no tubo 
digestivo do vetor 
 
CICLO: 
 
QUADRO CLINICO: 
• Patogenicidade baixa: maioria assintomática, mas 
depende da imunidade do hospedeiro 
• Disseminação arrastada, acometendo o sistema 
reticulo-endotelial (órgãos linfoides, como fígado, 
baço, medula e linfonodos) 
• PERIODO INICIAL: febre com duração inferior a 
3-4 semanas, palidez e hepatoesplenomegalia 
• PERIODO INTERMEDIARIO: febre irregular, 
hepatoesplenomegalia e palidez aumentam e 
ocorre o emagrecimento e queda do estado geral 
• PERÍODO FINAL: febre continua, 
hipoalbuminemia, edema, ascite, icterícia e 
hemorragias 
• ESPLENOMEGALIA: hiperplasia de células do SFM 
densamente parasitada 
• VISCERALIZAÇÃO (acometimento de baco, fígado 
e medula óssea, linfonodos)- esplenomegalia, 
hepatomegalia- formas amastigotas dentro dos 
macrófagos- disseminação hepatogenica e 
linfática 
 
DIAGNOSTICO- ACHADOS ESPECIFICOS 
• Pancitopenia (diminuição de células sanguíneas, 
em geral): causa anemia e infecções 
hemorrágicas 
• Hepatoesplenomegalia 
• Perda ponderal 
• Febre 
• Anemia 
• Leucopenia 
• Plaquetopenia (MO) 
• HIPOALBUMINEMIA (fígado) 
• Hipergamaglobulinemia (aumento de anticorpos) 
 
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL 
• Procurar forma amastigota: 
o Pesquisa do parasita em medula óssea 
(mielocultura, biopsia da MO), 
o Punção aspirativa esplênica (+ específico)- 
padrão ouro 
 
 
• Teste rápido * 
• Sorologia ELISA * 
• Aspiração de linfonodo 
• Pesquisa de anticorpors contra leishmania: 
o Imunofluorescencia indireta (RIFI) 
o Ensaio imunoenzimatico (elisa) 
• O resultado positivo na ausência de 
manifestações não autoriza terapêutica 
 
COMPLICAÇÕES DA DOENÇA 
• Emagrecimento 
• Infecções bacterianas: otites, piodermites, BCP, ITU 
• Sepses 
• Hemorragias secundarias a plaquetopenia 
• HDA e icterícia: maior gravidade 
 
TRATAMENTO 
• Antimonial pentavalente- Glucatine: mais toxico, 
não usar em gravidas, efeitos CV (Torsade de 
Points) 
• Anfotericina B Lipossomal (padrão ouro) - 
preferência de idade < 1 ano e > 50 anos, graves, 
HIV, gestantes, QT longo, IC, transplantados... 
 
CONTROLE 
• Vigilância e controle dos reservatórios, vetores 
• Educação em saúde 
• Tratamento precoce 
DIAGNOSTICOS DIFERENCIAIS COM CALAZAR: 
Leucemia mieloide crônica 
Esquistossomose com salmonela 
Tuberculose disseminada em 
imunocomprometidos