A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
FEBRE TIFÓIDE

Pré-visualização | Página 1 de 1

Lara Bianca C. Pereira- Medicina UEMA 
Instagram: esteto.da.lara 
Febre Tifóide 
A Febre Tifoide é uma doença bacteriana aguda, 
causada pela Salmonella enterica sorotipo Typhi, 
transmitida por via fecal-oral. Essa bactéria invade a 
mucosa intestinal e dissemina-se pelo sangue, 
alojando-se no sistema reticuloendotelial. 
QUADRO CLÍNICO 
 
1ª SEMANA: FASE BACTERÊMICA 
• Febre continua 
• Sinal de Faget (pulso x temperatura) 
• Cefaleia 
• Astenia 
• Constipação 
2ª E 3ª SEMANA: FASE HIPERATIVA 
• Piora da febre (>40º C) 
• Dor abdominal em F.I.D. 
• Diarreia 
• Rash cutâneo roseo tifídico 
• Hepatoesplenomegalia 
• Confusão mental 
• Pode ocorrer necrose tecidual 
• Sangramento intestinal pode levar a 
perfuração intestinal 
4ª SEMANA: FASE CONVALESCÊNCIA 
• Diminuição da febre 
• Melhora do paciente 
OBS: Aproximadamente 3% dos pacientes sem 
tratamento, denominados portadores entéricos 
crônicos, abrigam os microrganismos em suas 
vesículas biliares e os disseminam nas fezes 
por > 1 ano. Alguns portadores não têm história de 
doença clínica. A maioria dos portadores são 
mulheres idosas com litíase biliar. 
OBS: deve-se pensar em febre tifoide quando o 
paciente tiver os sintomas em negrito + viagem para 
áreas endêmicas. 
ACHADOS LABORATORIAS 
• VHS normal (velocidade de 
hemossedimentação) 
o Quando há alguma inflamação na 
corrente sanguínea, são formadas 
proteínas que diminuem a viscosidade 
do sangue e aceleram velocidade da 
separação entre glóbulos vermelhos e 
plasma 
• Aumento de TGO e TGP 
• Aumento de CPK 
DIAGNOSTICO 
• Hemocultura 
• Coprocultura (paciente crônico) 
• Mielocultura 
TRATAMENTO 
• Ciprofloxacino ou ceftriaxone 
• Corticoide em pacientes com alteração de 
consciência 
• Portador crônico: amoxicilina ou 
ciprofloxacino 
• Vacina pouco imunogênica e sem indicação 
de rotina