A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Organização de dados

Pré-visualização | Página 1 de 1

ORGANIZAÇÃO DE DADOS 
Conheceremos alguns procedimentos utilizados para organizar e descrever um 
conjunto de dados. Esses procedimentos valem tanto para populações quanto para amostras. 
Como organizamos dados a fim de extrair informações a respeito de uma ou mais 
características de interesse? 
Principalmente, podemos fazer uso de tabelas de frequências e gráficos. 
 
Exemplo 1 
Aplicamos um questionário aos alunos de uma universidade X. As informações 
fornecidas são apresentadas a seguir, na ordem como os alunos foram entrevistados. 
As variáveis consideradas são: 
● Turma: A, B, C. 
● Sexo: Masculino = M, Feminino = F. 
● Idade. 
● Altura. 
● Peso. 
● Fuma: Sim, Não. 
● TV = Nº de horas semanais que assiste a TV. 
 
Tabela 1: Informações de questionário estudantil - Dados brutos 
 
 
O conjunto de informações disponíveis após a tabulação do questionário é chamado 
de tabela de dados brutos e contém os dados da maneira que foram coletados inicialmente. 
Claramente as variáveis têm naturezas diferentes em relação com os possíveis valores 
que podem assumir. 
Apesar de conter muita informação, a tabela de dados brutos pode não ser prática para 
respondermos às questões de interesse. 
Note que da tabela anterior não é imediato saber se há mais homens ou mulheres, se 
há mais pessoas que fumam ou que não fumam, etc. 
Para fazer uma melhor descrição dos dados anteriores, vamos construir uma nova 
tabela com as informações resumidas, para cada variável. 
Essa tabela será chamada de tabela de frequência e conterá os valores da variável e 
suas respectivas contagens, chamadas de frequências absolutas ou simplesmente 
frequências​. 
No caso de variáveis qualitativas ou quantitativas discretas, a tabela de frequências 
lista os valores dessas variáveis a partir da contagem da tabela de dados brutos. 
Representaremos por a frequência do valor e por N a frequência total ( a quantidade de f i i 
alunos neste caso). 
Para efeitos de comparação com outros conjuntos de dados, será conveniente 
acrescentarmos uma coluna na tabela de frequência contendo o cálculo da frequência relativa, 
definida por 
hi =
f i
N 
 
Tabela 2: Frequências para a variável Sexo 
 
 
Note que, para variáveis quantitativas, faz sentido incluímos também uma coluna 
contendo as frequências acumladas, .A frequência acumulada até um certo valor é obtida F i 
pela soma de todos os valores da variável, menores ou iguais ao valor considerado. Assim, 
temos: 
... F i = f 1 + . + f i 
 
Também definimos a frequência acumulada relativa, como:,H i 
.H i = h1 + . + hi = N
F i 
 
Tabela 3: Frequências para a variável Idade 
 
 
Com relação à variável Peso, a qual é uma variável quantitativa contínua, os valores 
variam entre 47,0 e 85,2. Note que existe um grande número de valores diferentes. Assim, se 
a tabela de frequência fosse feita como no caso anterior, obteríamos praticamente os valores 
originais da tabela de dados brutos. 
Uma alternativa consiste em construir classes ou faixas de valores e contar o número 
de ocorrências de cada faixa. 
Usaremos faixas de amplitude 10, iniciando em 40. Além disso, podemos escolher incluir o 
extremo inferior e excluir o superior. Dessa forma, a frequência da faixa [50;60[ não inclui o 
valor 60. 
Da mesma forma, podemos incluir o extremo superior e excluir o inferior. O 
importante é indicar quais são os valores que estão sendo contados em cada faixa. 
 
 
 
 
 
Tabela 4: Frequência para a variável Peso 
 
 
Vejamos agora a situação em que a variável é discreta, mas o conjunto de possíveis 
valores é muito grande. Por exemplo, para a variável TV, definida como o número de horas 
assistindo à televisão, uma tabela representando cada valor e sua respectiva frequência seria 
muito extensa e pouco prática. 
Uma forma para melhorar a representação da variável TV é tratá-la como se fosse 
contínua e criar faixas para representar seus valores. 
 
Tabela 5: Frequências para a variável TV 
 
 
Exemplo 2 
O questionário do exemplo 1 foi realizado também para 30 alunos da universidade Y. 
Com a mesma notação do exemplo 1, os dados brutos aparecem na Tabela 6. Construir a 
tabela de frequências para cada variável. 
 
 
 
 
Tabela 6: Informações de questionário estudantil - Dados brutos 
 
 
A organização dos dados em tabelas de frequência proporciona um meio eficaz para 
serem estudados. A informação contida nas tabelas pode ser mais facilmente visualizada 
através de gráficos. Existem gráficos das mais diversas formas para representar as 
informações.