A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Crescimento dos Ossos Maxilares

Pré-visualização | Página 1 de 5

AULA 2  
Ortodontia I - 7º período - 2020/1  
Manuella Soussa Braga  
Crescimento dos Ossos Maxilares  
  
NOÇÕES BÁSICAS  
  
TIPOS DE OSSIFICAÇÃO  
O osso tem origem embrionária proveniente de um tecido                  
conjuntivo, podendo ter origem a partir de dois caminhos:                  
tecido cartilaginoso e tecido membranoso.   
  
A formação óssea membranosa ocorre a partir da                
ossificação intramembranosa e o tecido ósseo cartilaginoso              
se forma a partir da ossificação endocondral.   
  
Ossificação Endocondral  
A ossificação endocondral se inicia sobre um modelo                
cartilaginoso, que é gradualmente destruído e substituído              
por tecido ósseo. A cartilagem não responde bem aos                  
estímulos de pressão ou tração. Quando as demandas de                  
crescimento cessam (p. ex. pressão do aumento de volume                  
do cérebro ou dos ossos longos), a nutrição da cartilagem                    
passa a ser pobre. A demanda de nutrição (que é por                      
pressão ou perfusão daquele líquido sinovial) diminui,              
então se a cartilagem se mantivesse, ela provavelmente                
iria necrosar por falta de nutrição. Nesse momento, há a                    
substituição da cartilagem pelo osso no processo de                
ossificação endocondral.   
A zona de hipertrofia é uma área distante da nutrição. Essa                      
área começa a entrar em degeneração pela hipertrofia                
dessas células e, a partir disso, a uma invasão de vasos e                        
células mesenquimais indiferenciadas da circulação          
adjacente. Esses vasos trazem as células osteoblásticas              
que, por sua vez, iniciam o processo de calcificação e                    
ossificação.   
  
Ossificação Intramembranosa  
Na ossificação intramembranosa, as células mesenquimais            
indiferenciadas presentes no tecido conjuntivo se            
diferenciam em osteoblastos quando é submetida aos              
estímulos de tração e pressão, ou seja, esse tipo de                    
ossificação responde bem a esses estímulos. Esse tipo de                  
ossificação é sinérgico às funções onde há uma                
necessidade de modulação óssea, especialmente pela            
tração. Quando o osso ou uma sutura é tracionado pelo                    
músculo, esse estímulo faz com que a superfície óssea                  
acompanhe a ação muscular e cresça ou, no caso da sutura,                      
separe-a. Então, esse espaço é preenchido de vasos que                  
trazem osteoblastos e que fazem a formação de osso.   
  
  
A tração estimula o osteoblasto a produzir osso. Se há uma                      
pressão, o osso é reabsorvido ou para de ser acrescido.                    
Quando tem uma demanda de ação muscular (músculos                
crescendo), tem-se uma demanda de tração do periósteo,                
sutura ou periodonto. Isso faz com que os ossos que                    
crescem por ossificação intramembranosa respondam à            
ação de fatores externos, especialmente à tração, formando                
osso. A pressão define a característica do osso de manter a                      
sua força original (remodelação).   
  
Especializações da Ossificação Intramembranosa  
Sutural: proliferação de tecido conjuntivo membranoso.            
Aposicional: deposição de camadas superficiais ao osso              
(periósteo/endósteo). Periodontal*: movimentação dentária        
(extrusão). Resumindo: a ossificação intramembranosa          
ocorre na sutura, na superfície (periósteo/endósteo) e na                
articulação dente/osso.   
  
MECANISMOS DE CRESCIMENTO ÓSSEO  
É importante para determinar o sítio de crescimento de                  
cada osso.   
  
Deslizamento  
Movimento resultante da aposição e reabsorção em              
superfícies opostas do mesmo osso, O crescimento ocorre                
AULA 2  
Ortodontia I - 7º período - 2020/1  
Manuella Soussa Braga  
na direção da superfície de aposição. Um exemplo é o                    
crescimento do ramo da mandíbula, em que há uma                  
aposição de osso no bordo posterior e uma reabsorção no                    
bordo anterior. Nesse mecanismo, mantém-se a forma do                
ramo e há um aumento de volume do osso, pois a aposição                        
é maior que a reabsorção e, em consequência a isso,                    
também se tem um aumento do tamanho do corpo da                    
mandíbula e, com isso, do espaço para erupção dentária.   
  
  
  
Deslocamento  
É o principal mecanismo de crescimento dos ossos da face.                    
É o movimento do osso como um todo. Pode ser primário,                      
quando ocorre em função do seu próprio crescimento, e                  
secundário, quando ocorre em função do crescimento de                
um osso adjacente.   
  
Osso cresce no sentido oposto a sua superfície de                  
aposição. Se a superfície de aposição é no próprio osso,                    
chama-se de deslocamento primário, se é no osso                
adjacente, chama-se de deslocamento secundário.   
  
Por exemplo, o côndilo cresce para trás e para cima, isso                      
gera um deslocamento primário da mandíbula para baixo e                  
para frente. A superfície de aposição é em uma direção e o                        
crescimento por deslocamento é em outra. Quando a base                  
do crânio cresce e desloca a cavidade glenóide para baixo e                      
para frente, isso também desloca a mandíbula para baixo e                    
para frente.  
  
Se eu quero estimular ou reduzir um crescimento que                  
esteja anormal, não se atua na superfície do osso. Atua-se                    
onde está tendo um crescimento efetivo, que geralmente é                  
atrás, é na parte posterior, seja no côndilo ou suturas da                      
face.   
  
  
  
Remodelação  
É necessária para manter o contorno/forma do osso ao                  
mesmo tempo que responde às demandas funcionais. É                
uma resposta genética de adaptação/manutenção às            
demandas de força, por exemplo. Para que isso aconteça,                  
envolve simultaneamente aposição e reabsorção em todas              
as superfícies internas e externas do osso.  
   
Funções da Remodelação  
1. dar e manter forma do osso  
2. manter os ossos em contato  
3. crescimento  
  
O osso cresce como um todo. As setas vermelhas maiores                    
mostram sítios mais importantes de crescimento. As setas                
azuis mostram sítios de reabsorção óssea por demandas                
funcionais (internamente na mandíbula - crescimento da              
língua). As setas vermelhas menores (externamente -              
aposição dada pela tração dos músculos que se inserem                  
nessas superfícies). As setas pequenas mantêm a forma