A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
CRESCIMENTO INTRAUTERINO RESTRITO

Pré-visualização | Página 3 de 3

4 
 
Manejo Anteparto → É realizado um controle da evolução materna durante o pré-natal, sendo feito 
avaliação de USG do crescimento fetal, junto da monitorização do bem-estar fetal através de um estudo 
doppler. 
OBS: A gestante deve ser manejada em um atendimento hospitalar, devido a chance de complicações 
perinatais. 
 
Uso de AAS para evitar trombos nas artérias espiraladas 
 
Tentativas de Aumento de Crescimento Fetal → É realizado um controle dos fatores de risco, em 
especial ao tabagismo quando presente (fumante passiva ou ativa). 
Além de realização de uma dieta adequada com 2.100 a 2.300 calorias por dia, sendo que no último 
trimestre deve-se adicionar mais 300 calorias por dia. 
 
Avaliação Da Saúde Fetal → Além do doppler, pode ser realizado também uma monitorização 
cardíaca anteparto e perfil biofísico fetal. 
⤷ Perfil biofísico fetal envolve a cardiotocografia basal, movimentos respiratórios fetais, movimentos 
fetais, tônus fetal e volume de líquido amniótico. 
OBS: Ao integrar os teste de avaliação fetal + estudo doppler + Parâmetros biofísicos fetais pode-se 
permitir que a gestação prossiga, minimizando o impacto da prematuridade e protegendo contra 
danos fetais irreversíveis. 
 
Manejo de Fetos Próximos do Termo (mais que 34 semanas) Que Apresentam CIUR: 
● Interrupção da gestação é a melhor conduta já que estão próximos do nascimento. Mas só deve 
ser realizado o parto se houver evidência desfavorável da gestação, como HAS materna, 
oligoidrâmnio, falha no crescimento fetal e doppler da artéria umbilical que revela ausência de 
fluxo diastólico ou fluxo reverso. 
 
Manejo de Fetos Distantes do Termo (menos que 34 semanas) Que Apresentam CIUR: 
● Acredita-se que a maturidade pulmonar fetal esteja acelerada na CIUR, porém os fetos com 
menos de 34 semanas devem receber uso de corticoides para prevenção da síndrome da 
angústia respiratória e prevenção de hemorragias cerebrais. 
● Mudanças na circulação venosa fetal detectadas pelo doppler são indicativos de grave 
comprometimento fetal e interrupção imediata da gestação. 
 
Manejo Intraparto → O CIUR geralmente é secundário a uma insuficiência placentária, sendo assim há 
um agravamento do parto na maioria das vezes. Portanto, durante o trabalho de parto, essas gestações 
devem ser monitorizadas por cardiotocografia para detectar sinais de sofrimento fetal. 
OBS: A via de parto é decidida conforme a etiologia do CIUR, grau de comprometimento fetal, 
evidência de acidemia, idade gestacional e quantidade de líquido amniótico. 
 
PROGNÓSTICO ⇒ O CIUR aumenta o risco de mortalidade perinatal, sendo responsável por 
aproximadamente 26% dos casos de natimortos. Quando presente, ocorre um aumento de 7 vezes o 
risco de mortalidade, sendo que esse risco se torna ainda maior quanto mais prematuro é o 
recém-nascido. 
Feito por: Peterson Rech H. 191 5 
 
 
 
Feito por: Peterson Rech H. 191 6