A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
RELATÓRIO DO ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO I EDUCAÇÃO INFANTIL

Pré-visualização | Página 3 de 3

ao conhecimento sobre a confecção de um livro.
4.5 Relatos da Aplicação da Intervenção
Tendo iniciado a aplicação da intervenção na escola, no 1º dia foi trabalhada a questão da oralidade numa roda de conversa entre os alunos e a professora. No 2º dia, a aula foi voltada para o fazer artístico e a prática da partilha brinquedos dos próprios alunos. No 3º dia, a aula foi voltada para a leitura e escrita das palavras. No 4º dia foi trabalhada somente a prática da escrita, onde o aluno teve de reconhecer seus próprios erros. O 5º dia foi sobre a leitura na sala de aula onde as crianças puderam ouvir e ao mesmo tempo ler histórias de contos infantis. E o 6º dia foi trabalhado a escrita a serviço da leitura onde os alunos, após terem construído o livro, leram para a turma e em casa, para os familiares.
Portanto houve intervenção importante no processo de conhecimentos demonstrando o dialogo compreendendo a troca de informações mútuas permitindo impulsionar situações na sala de aula.
Na medida em que o trabalho foi crescendo e se adaptando efetivamente os dilemas da moralidade do dia a dia escolar, como estes atos reais incentivando os alunos a se comportarem de maneira respeitosa.
Considerações finais
Diante destes fatos, uma coisa é certa: A cada dia surgiu um momento diferente, acontecimentos que envolviam os alunos e que chamavam a atenção para as aulas que forma dinâmica e bem sucedida.
Entretanto a prática de estágio representou um momento de preparar a reflexão a cerca da prática pedagógica através do qual se estabeleceu contato com muitas teorias e ideias simultaneamente sobre a educação. Pude então experimentar, e vivenciar a prática com os educando.
Educar assume responsabilidade de conscientizar investigar e contribuir para a formação de pessoas criativas comprometidas com o desenvolvimento coletivo. No entanto, é preciso que a escola estenda sua ação é diversidade e contemple as possibilidades de contradições como provocações e os problemas como desafiam o dilema de uma sistemática educacional.
MOSTRA DE ESTÁGIO
Analisando as apresentações dos estágios dos alunos percebe que houve realmente uma total avaliação das práticas de ensino na escola, no que diz respeito aos professores e equipe gestora.
Perante as apresentações, houve alunas que se descobriram nesse nível de ensino, tanto quanto outras que não se identificaram com a educação infantil. Outras apontaram para o fato de como é a atuação do pedagogo na sala de aula, ou seja, aquele profissional que não possui prática nem dedicação ao que faz.
Terminando nossa proposta de trabalho para regência exigiu-se ampla compreensão sobre o planejamento uma vez que este foi determinado redimensionado para observar as demanda da turma.
Encontrei dificuldades em adaptar a atividade interdisciplinar de acordo com o desempenho apresentado pelos alunos. Entretanto, pude realizar profundas observações no processo de ensino e aprendizagem, pois os alunos foram muito participativos, apontando suas reais necessidades.
De modo geral, posso dizer que a construção do processo de aprendizagem aprimorou a autonomia do conhecimento e gosto pela leitura, ajudando todos os alunos a descobrir um caminho de novas descobertas.
REFERÊNCIAS 
MORAES, Zilma. Educação Infantil: Muitos olhares. 2 ed. São Paulo, SP: CORTEZ, 1995.
CARVALHO, M. P. No coaração da sala de aula: Gênero e Trabalho docente nas séries iniciais. São Paulo: Xamã, 1999.
FERREIRO, Emilia. Reflexões Sobre Alfabetozação. São Paulo: Cortez, 1985.
Revista Criança do Professor de Educação Infantil, n. 31, nov.1998.
BETTELHEIM, Bruno. Psicanálise da Alfabetização, por Bruno Bettelheim e KaremZelan. Tad. de José Luiz Caon. Porto Alegre: Artes médicas, 1984.
BRASIL, LBD. Lei9394/96. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em< www.mec.gov.br>. Acessado em 23/10/2012
BRASIL. Referencial curricular nacional para a educação infantil/ Ministério da Educação e do Desporto, Secretária de Educação Fundamental. - Brasília: MEC/ SEF, 1998.
FRANCO, M. L. B. Qualidade total na formação profissional: do texto ao contexto. Cadernos de Pesquisa. Fundação Carlos Chagas, São Paulo, 1995.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.