A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Fármacos Hipoglicemiantes

Pré-visualização | Página 1 de 1

São fármacos que tem como 
objetivo diminuir o nível de glicose 
no sangue, essa glicose está alterada, 
normalmente em pacientes 
diabéticos. 
DIABETES MELLITUS é uma 
doença multifatorial, que possui em 
comum a hiperglicemia, resultado da 
deficiente ou ausência da secreção 
de insulina. 
→ Insulina é uma proteína que é 
produzida em grande quantidade 
pelas células B do pâncreas quando 
um alimento é ingerido, possui 
função de se ligar com a glicose 
presente no sangue, chegar até o 
receptor Glut das células e entregar 
o açúcar para as células. {proteína 
hipoglicemiante} 
→ Glucagon é uma proteína que é 
produzida pelas células A do 
pâncreas quando o corpo está em 
jejum, tal proteína vai no fígado e 
quebra o glicogênio em moléculas 
menores de glicose, jogando-as na 
corrente sanguínea. 
 
 
A diabetes tipo 1 é genética e o 
paciente não produz insulina, então a 
glicose está em alta na corrente 
sanguínea, sendo necessário 
INSULINOTERAPIA PLENA para o 
paciente possui insulina e ter glicose 
nas suas células. 
A diabetes tipo 2 é decorrente de 
fatores comportamentais, ao ingerir 
muita glicose, o pâncreas é 
sobrecarregado por ter picos de 
produção de insulina e a célula se 
torna resistente a insulina, então a 
glicose é jogada na superfície das 
células, podendo inflamá-las. O 
tratamento de DM 2 tem estágios: 
1) dieta + exercícios > 2) 
monoterapia > 3) combinações de 
fármacos > 4) insulinoterapia 
Os fármacos hipoglicemiantes que 
podem ser administrados, possuem 
dois tipos: Sulfoniúreias e Biguanidas. 
1) Sulfoniúreias: diminui a produção 
de insulina pelas células B do 
pâncreas, possui efeitos adversos de: 
toxicidade, sobrecarga do fígado, 
reações alérgicas. 
2) Biguanidas (Metlformina): diminui 
glicogênese no fígado e aumenta a 
captação de glicose pelo músculo. 
Fármacos Hipoglicemiantes