A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
99 pág.
America Latina e sustentabilida - Laercio Antonio Pilz

Pré-visualização | Página 1 de 29

América Latina e sustentabilidade
Laércio Antônio Pilz (org.)
COLABORAÇÃO
Angélica Massuquetti
Gisele Spricigo
Marilene Maia
Vera Lúcia S. Bemvenuti
EDITORA UNISINOS
2013
APRESENTAÇÃO
Esta obra tem como objetivo servir de apoio a alunos que desenvolvem estudos à
distância em disciplinas que abrangem o tema da contextualização histórica e social da
América Latina, a temática étnico-racial e a questão da sustentabilidade.
A UNISINOS (Universidade do Vale do Rio dos Sinos), como universidade
associada e alinhada à AUSJAL (Associação das Universidades Jesuítas da América
Latina), assume como uma de suas prioridades acadêmicas a formação integral de seus
estudantes, em relação à qual está aliada a proposta de formação humanística que
propõe, atravessando todos os cursos e compondo alianças com as respectivas áreas,
o estudo e a reflexão sistemática a partir de três eixos temáticos:
o eixo de formação antropológica: visa conceber o ser humano em sua
totalidade para não deixar-se enganar pelo reducionismo secularista
nem por um tecnocratismo que desdenhe os delineamentos do
humanismo integral;
o eixo de América Latina: visa assumir o contexto em que vivemos a
partir do conhecimento sócio-histórico da realidade latino-americana,
sobretudo da realidade contemporânea;
o eixo de formação ética: inclui fundamentos da moralidade humana e
também a ética aplicada a cada profissão, de maneira que supere a
ideia de uma neutralidade mal entendida em exercício profissional.
Diante de diferentes contextos e áreas de estudo e ação, cada um destes eixos
propõe conteúdos e elementos conceituais que desafiam estudantes e profissionais a
pensar em um projeto relativo às suas áreas de formação, em que a dignidade das
pessoas, dos diferentes grupos humanos e da vida em geral, seja prioridade absoluta.
Acreditamos e apostamos que profissionais com uma formação humana e ética
consistente e com conhecimento da realidade latino-americana estarão melhor
preparados para responder às demandas atuais e serão fundamentais para o
desenvolvimento e ampliação dos espaços de cidadania na América Latina, em especial
no comprometimento com projetos em que a defesa da diversidade e da
sustentabilidade esteja colocada como prioridade.
A estrutura desta obra contempla três unidades: uma primeira unidade que
aborda o contexto histórico e a formação da identidade latino-americana, além da
formação nacional e a integração na América Latina; uma segunda unidade que aborda a
temática da educação das relações étnico-raciais, com ênfase no que se refere aos
grupos ameríndios (indígenas) e aos afrodescendentes (negros); e uma terceira unidade
que aborda os desafios da sustentabilidade diante do contexto atual e dos desafios
globais e locais, a relação entre economia e meio ambiente e, por fim, os indicadores da
realidade e políticas públicas para uma sociedade sustentável.
Que esta obra, junto com os conteúdos apresentados e as atividades que serão
desenvolvidas a distância, possa provocar construtivamente nosso pensamento, bem
como potencializar e animar as nossas práticas para o aprimoramento da cidadania.
Desejo uma boa leitura a todos.
SUMÁRIO
UNIDADE 1 – CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICA E SOCIAL
CAPÍTULO 1 – AMÉRICA LATINA: HISTÓRIA E IDENTIDADE
1.1 Contextualização histórica
1.2 Diversidade e identidade
1.3 Os latino-americanos
CAPÍTULO 2 – AMÉRICA LATINA: FORMAÇÃO NACIONAL E INTEGRAÇÃO
2.1 Formação nacional
2.2 Integração cultural
2.3 Desafios atuais
UNIDADE 2 – EDUCAÇÃO DAS RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS
CAPÍTULO 3 – QUESTÕES ÉTNICO-RACIAIS: OS INDÍGENAS
3.1 A visão dos civilizados
3.2 Lições indígenas
3.3 Questões contemporâneas
CAPÍTULO 4 – QUESTÕES ÉTNICO-RACIAIS: OS NEGROS
4.1 A condição negra
4.2 Olhar enviesado e resistência
4.3 A multiplicidade de corpos
UNIDADE 3 – SUSTENTABILIDADE
CAPÍTULO 5 – OS DESAFIOS DA SUSTENTABILIDADE
5.1 Introdução
5.2 Desenvolvimento: reflexões iniciais
5.3 Pensando sob uma perspectiva global/local
CAPÍTULO 6 – A RELAÇÃO ENTRE ECONOMIA E MEIO AMBIENTE – REFLEXÕES
TEÓRICAS E A AGENDA 21 LOCAL
6.1 Considerações iniciais
6.2 Contribuições de Söderbaum
6.3 Jenkins e os valores culturais
6.4 Pearce: resgate histórico
6.5 Da problematização dos autores à Agenda 21
6.6 O debate sobre desenvolvimento sustentável e o documento Agenda 21
6.7 Agenda 21 Brasileira
6.8 Agenda 21 local
6.9 Considerações finais
CAPÍTULO 7 – INDICADORES DA REALIDADE E POLÍTICAS PÚBLICAS PARA UMA
SOCIEDADE SUSTENTÁVEL
7.1 Considerações iniciais
7.2 Indicadores da realidade
7.3 Projetos societários de desenvolvimento
7.4 Poíticas públicas
CONCLUSÃO GERAL
INTRODUÇÃO
A história da América Latina e sua singularidade, as questões étnico-raciais e os
desafios contemporâneos em relação ao desenvolvimento do continente, em especial
no que diz respeito à implementação das novas tecnologias, são o foco dessa obra.
Falar sobre o contexto latino-americano significa se envolver, paradoxalmente,
com uma rica diversidade cultural e suas particularidades e, ao mesmo tempo, com
uma história sofrida que foi experimentada pela maior parte de suas populações.
Diante de um passado colonial de exploração e saque de riquezas pelas
metrópoles europeias, em que povos autóctones foram dizimados e grupos negros
escravizados, estamos desde sempre desafiados a nos comprometermos com a
libertação de todas as estruturas de poder que ainda mantêm essa lógica.
Proponho que assumir a cidadania latino-americana significa reconhecer e abraçar
a diversidade e, ao mesmo tempo, afirmar um sentimento de fraternidade em favor das
populações que, historicamente, foram escravizadas e exploradas.
Que o estudo sobre a condição histórica da América Latina e sua diversidade,
sobre os preconceitos raciais e sociais que a atravessam e sobre alternativas positivas
de desenvolvimento socioeconômico e tecnológico possa ampliar a compreensão da
realidade atual e qualificar a ação cidadã de cada um de nós.
UNIDADE 1
CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICA E SOCIAL
Esta primeira unidade quer situar o leitor em relação aos principais aspectos
sócio-históricos que formaram e ainda caracterizam parte significativa do contexto
latino-americano. Muitos aspectos estudados nos levam à compreensão de certos
aspectos estruturais que têm seu nascedouro num trajeto histórico e social que foi
marcando a evolução da América Latina. Na medida em que compomos esta leitura,
vamos percebendo o quanto ainda temos que lutar contra forças de poder parasitárias
que se fazem presentes nas relações de poder atuais e na maneira com se estabelecerm
processos educativos e produtivos. Que este resto (ou muito) de colonialismo que nos
atravessa seja um desafio a ser percebido e combatido nas práticas mais próximas de
nossas relações e nos processos e mecanismos que perpassam nossas instituições e
organizações.
CAPÍTULO 1
AMÉRICA LATINA: HISTÓRIA E IDENTIDADE
Quem são os verdadeiros latino-americanos? As populações ameríndias que
viviam no continente antes da chegada dos europeus? Ou seriam todos aqueles que
fizeram parte das populações exploradas e injustiçadas durante sua história?
Proponho que podemos pensar que todos, atualmente, devemos assumir a história da
América Latina e nos fazermos latino-americanos para reescrevê-la de forma mais
autônoma, solidária e propositiva. Ao nos comprometermos com esse projeto,
estaremos nos fazendo múltiplos e fraternos. Índios, negros, imigrantes, amarelos,
brancos, mestiços, todos estaremos compondo alianças e desenvolvendo práticas que
afirmem a justiça e a cidadania.
A proposta deste primeiro capítulo é reconhecer, em primeiro lugar, que a
América Latina tem um passado comum marcado pela exploração e pela organização
de estruturas injustas, o que permanece presente em muitos aspectos da realidade
atual. Abordá-las criticamente, e refletir sobre como podemos superá-las, é um dos
objetivos desse capítulo. Os outros dois objetivos são propor, em primeiro lugar, que
a diversidade cultural é uma característica que nos identifica