A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Genética do câncer bucal

Pré-visualização | Página 1 de 1

Genética do câncer bucal
 
 
 
 
 
 
o O câncer é uma doença multifatorial complexa, por isso que ainda se procura a 
cura. 
o Um exemplo dessa complexidade é dois pacientes terem o mesmo tipo de 
câncer e mesmo assim serem diferentes. Pois se comportam de formas 
diferentes, as características das células são diferentes. O controle da medicação 
e dos efeitos é diferente em cada indivíduo e tecido. 
o É difícil controlar a multiplicação e divisão celular, por isso ainda não é possível o 
trabalho pleno com células tronco. 
o Dificulta obtenção de dados moleculares para compreensão do mecanismo. O 
mecanismo em si já é conhecido, mas compreender é diferente. 
 
 
 
➾ O corpo possui meios de debelar esse tipo de crescimento até certo ponto. 
➾ Quando o organismo não consegue reverte, a célula entra em mitose e cria a massa 
tumoral maligna ou benigna. 
➾ Na neoplasia maligna, a metástase agrava o estado de saúde, pois ele se alastra por outras 
partes do corpo. 
 
 
 
 
 
Checkpoints 
 
 
• Os checkpoints são mecanismos celulares que controlam defeitos celulares. 
• Durante a divisão pode surgir um defeito na duplicação do DNA, sendo feita de 
forma incorreta, e a célula possui enzimas no seu núcleo que são capazes de 
identificar e reverter esta situação. 
• Quando o problema na célula é detectado, a célula é mandada à apoptose. 
• Pode acontecer que nesse mecanismo não seja detectado, sendo nesse 
momento que surge o câncer. A célula mutada passa nos checkpoints e surge a 
massa tumoral sendo maligno ou benigno. 
 
 
 
 
 
As associações podem ser por: 
 
• Vírus (usam o DNA para se multiplicar) 
• Radiação, luz ultravioleta (mecanismos externos) 
• Agentes químicos 
• Oxido nítrico 
 
 
 
1. Primeiro ocorre a mutação, depois inicia-se o reparo do DNA mutado, e as 
enzimas conseguiram reparar. 
2. Ocorre em seguida a promoção, porém foi verificada uma nova mutação, se 
houve reparo ok, a célula prolifera. 
3. Se em um desses pontos de divisão celular tiver algum dano e foi identificado 
pela célula ela era para ser enviada para apoptose. Porém se não for identificado 
ela vai proliferar com a mutação e a progressão com multiplicação e 
posteriormente metástase. 
 
• O câncer além da metástase também tem o agravante de ser uma doença 
silenciosa. 
• Os sintomas de dor e incomodo só aparecem em estágios mais avançados. 
• Por isso os diagnósticos precoces só aparecem quando é feito exames de rotina. 
Em caso de parentes com histórico deve-se fazer exames com mais rotina. 
 
 
Genética do câncer bucal 
É muito frequente em boca. 
Em 90% das neoplasias malignas de boca o tratamento é a retirada da lesão. 
 
 ⋄ Carcinoma Epidermoide ou Espinocelular (CEC) 
 
 
 
 
Agentes causadores 
• Fumo 
• Alcoolismo 
• Dieta 
• Inflamação crônica 
• Vírus HPV 
• Próteses mal adaptadas 
• Restaurações com más oclusões gerando hábitos de trauma 
 
* No caso das próteses, as lesões frequentes exigem mais mitoses, juntamente com o contato 
com o monômero. 
Por isso a importância da anamnese com uma gaze na ponta da língua e ver todos os ângulos da 
boca e língua e assoalho. Se atentar aos hábitos do paciente. Atinge assoalho de boca e língua. 
 
Lesões cancerizáveis 
Leucoplasia -- Eritoplasia 
 
 
 
↳ Ao tentar raspar a área esbranquiçada ela não sai. 
 
 
Classificação do CEC 
 
Sistema TNM 
• Tamanho do tumor 
• Número de linfonodos acometidos 
• Metástase 
 
Histologicamente - diferenciação 
• Bem 
• Moderado 
• Pouco (quanto menos diferenciado mais provável a malignidade, são células que 
conseguem penetrar em outros tecidos) 
 
 * Agressivo - infiltração nos outros tecidos - metástase 
 * Quanto menos diferenciado mais agressivo é o tumor. 
 
 
 
1ª neoplasia 
2ª neoplasia, clinicamente não se consegue visualizar por isso na retirada da lesão existem as 
margens de segurança para eliminar as áreas de prolongamento do tumor (X clinicamente) 10-
35% 
 
Caracterização de campo 
Ação dos carcinógenos: mucosa próxima/distante -> suscetível 
 
Alterações genéticas do CEC 
• Mutações pontuais (uma timina onde deveria ter citosina) 
• Deleções (eliminação de uma base) 
• Amplificação gênica (a produção de uma proteína que deveria ter parado, mas não parou) 
 
 
 
 - No câncer não é somente um tipo de célula alterada, são várias. 
 - Na mutação 1 são as células que originaram o câncer, porém elas começam ter mutações 
nelas mesmas. 
 - Na massa tumoral bem desenvolvida são vários tipos de células mutadas. 
 
Por isso a dificuldade de tratamento, pois ao encontrar uma terapia para uma célula, ficam 
faltando várias outras que se encontram na massa tumoral. 
 
 
 
 
 
 Importante 
 * P53 é a proteína 
 * TP53 é o gene 
TP53 codifica > P53 (GENE SUPRESSOR DE TUMOR) 
 
Acúmulo de Mutações 
▹ Genes proto-oncogenes (ativação) devem estar inativos 
▹ Genes supressores de tumor (inativação) devem estar ativos 
▹ TP53 codifica P53 (GENE SUPRESSOR DE TUMOR) 
 
 
 
 
 
P53 é responsável por: 
 
• Controle de ciclo celular 
• Controle da diferenciação celular 
• Reparo DNA 
• Manutenção da estabilidade genômica 
• Apoptose 
 
Funções alteradas CEC/genes supressores de tumor: 
 
• Proliferação controlada 
• Distúrbios no mecanismo de reparo do DNA e da apoptose 
• Invasão de tecidos adjacentes 
• Angiogêneses (vasos para nutrir o tumor) 
 
Mucosa oral > displasia > câncer 
 
CEC 
Inativação da P53, P16 e P14: 
 - Danos no DNA não são reparados 
 - Célula não entra em apoptose 
 - Perpetuação de células instáveis 
 
Tudo isso levando a MALIGNIDADE 
 
Oncogenes 
Ativados por MUTAÇÕES 
 
• Fatores de crescimento + receptores (FCE); 
• Molécula de sinalização intracelular 
• Fatores de transição 
 
 *As próprias células cancerígenas produzem fatores de crescimento para elas mesmas.* 
 
 
 
 
Outros fatores: 
♢ MicroRNA -> sequência não codificada de RNA, envolvido na expressão gênica; 
♢ Enzima Telomerase (ativada) -> Células tumorais não envelhecem e consequentemente se 
proliferam continuamente 
 * Telômero indica a morte celular dependendo do seu tamanho. 
 
Modificação na Expressão Gênica sem Alteração na Sequência 
(Epigenética) 
 - Metilação do DNA 
 - Modificação em histonas (são as principais proteínas presentes no nucleossomo. Possui um 
importante papel na regulação dos genes, sendo encontradas no núcleo de células 
eucarióticas) 
 - Silenciamento mediado por RNA 
 
 * Expressão gênica inapropriada --> NEOPLASIAS 
Silenciando/ativando genes 
 
 * MicroRNA - bloqueia a síntese de proteína, provavelmente 
P53.

Acesse esse e outros materiais grátis

Ao se conectar, você aceita os Termos de uso e a Política de privacidade.

Já tem cadastro?