A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Falha e fadiga

Pré-visualização|Página 1 de 3

Fraturou
-
s
dúctil
-
D
em
pescoço
mente
,
estrangulamento
ls
frágil
superfície
de
fratura
rela t i va m e n te
plana
.
ctil
:
Os
metais
cteis
exi b e m
tipicamente
uma
deformação
plástica
substancial
com
grande
absorção
de
energia
antes
da
fratura
.
Frágil
:
normalmente
pouca
ou
nenhuma
deformação
plástica
e
baixa
absorção
de
energia
.
pida
propagação
da
trinca
.
{
ruptura
sucessiva
e
rep e t i d a
de
ligações
clivagem
atômicos
ao
longo
dos
planos
cristalogficas
específicos
Propagação
da
trinca
Fratura
tronsguonular
Fratura
interagem
uhar
As
trincas
da
fratura
passam
Propagação
das
trincas
ocorre
através
dos
grãos
.
ao
longo
dos
contornos
dos
grãos
.
concentrador
de
tensão
:
defeitos
ou
trincas
microscópicas
que
sob
condições
normais
sempre
exi st e m
na
super fície
e
no
interior
do
corpo
de
um
material
.
Em
=
2
do
Cge
)
E
Para
um
carregamento
em
tração
,
o
calculo
°
da
tensão
moiáma
na
ext re m i d a d e
de
uma
µ
trinca
.
A
razão
em
los
é
conhecida
como
fato r
de
concentração
de
tensõe s
ke
:
ke
=
oja
=
2
(E)
E
que
é
simplesmente
uma
medida
do
grau
pelo
qual
uma
tensão
externa
é
amplificada
na
ext re m i d a d e
de
uma
trinca
.
A
amplificação
da
tensão
também
pode
ocorrer
em
descontinuidades
internas
macroscópicos
(
vaz i o s
ou
inclusões
)
,
em
arestas
vivas
,
arranhões
e
entalhes
.
Tensão
crítica
para
E
󲰛
módulo
de
elasticidade
ou
propagação
de
uma
=D
da
=
(
LEI
Ys
=
A
energia
de
super fície
trinca
em
um
mdterid
Ta
aãs
metade
do
comprimento
frágil
.
de
uma
trinca
interna
󲰛
Te n a c i d a d e
à
fratura
kc
é
a
tenaci dade
à
fratura
,
uma
propriedade
que
Kc
=
Y
E
Mto
mede
a
resi s t ê n ci a
de
um
material
a
uma
fratura
frágil
quando
uma
trinca
es
presente
.

Ensaios
chorpy
e
Szod
{
consiste
em
determinar
se
um
material
apresenta
uma
transição
dúctil
-
frágil
com
a
diminuição
da
tempe ratu ra
.
Fa d i g a
󲰛
for ma
de
fal h a
que
ocorre
em
estruturas
submetidas
a
tensões
dinâmicas
e
var i áve i s
.
Ocorre
normalmente
após
um
longo
periodo
sob
tensõe s
re p e t i d o s
ou
ciclos
de
deformação
.
+
ensaio
{
natureza
axial
-
tração
I
compressão
flexão
-
dobro
mento
torção
*
tensão
média
para
um
om
=
omáa
t
amim
2
carregamento
cíclico
o
cálculo
do
intervalo
de
tensões
para
um
oi
=
o
mósc
-
amim
carregamento
cíclico
*
cálculo
da
amplitude
da
tensão
para
um
da
=
diz
=
Omar
-
a
mim
2
carregamento
cético
*
cálculo
da
razão
R
=
amim
de
tensão
omosa
limite
de
resi s n c i a
a
fad i g a
:
repre s e n t a
o
maior
val o r
da
tensão
var i áve l
que
não
causará
fal h a
após
,
essencialmente
,
um
número
infinito
de
ciclos
.
Resi s n c i a
a
fad i g a
:
definida
como
o
nível
de
tensão
no
qual
a
fal h a
ocorrerá
para
algum
número
específico
de
ciclos
.
Vida
em
fad i g a
:
corresponde
ao
número
de
ciclos
necessários
para
causar
a
fal h a
sob
um
nível
de
tensão
específico
.

Fluência
:
Definida
como
a
deformação
permanente
e
dependente
do
tempo
de
materiais
submetidos
a
uma
carga
ou
tensão
constante
,
a
fluência
é
geralmente
um
fe n ô m e n o
indesejável
e
,
com
frequência
,
o
fato r
limitante
na
vida
útil
da
peça
.