A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
19 pág.
MDD 2 -6 2- Casos Clinicos de neoplasias

Pré-visualização | Página 1 de 3

Eduarda Gonzalez 
1 
 
 
Neoplasias Pulmonares 
 
 
 
 
 
 
Caso 1 
Paciente de 65 anos, do sexo feminino com história pregressa de carcinoma pulmonar aparece com 
lesão na parede torácica que será encaminhada para análise patológica. 
METAPLASIA EPIDERMOIDE OU ESCAMOSA EM EPOTELIO BRONQUICO DE FUMANTES 
Ocorre pelo fato de pessoas fumantes terem muitas agressões em seu tecido que era anteriormente 
normal, então o tecido vai mudar para aguentar as agressões que estão sendo exercidas sobre eles, 
dessa forma as células da membrana basal, que são células que auxiliam no reestabelecimento do 
epitélio que foi lesionado, vão fazer uma hiperplasia como resposta a essas agressões e a medida em há 
lesões continuas, o epitélio vai sofrer uma alteração para suportar melhor essa atividade agressiva. 
Desenvolvendo dessa forma, um epitélio escamoso metaplasiado será formado, que sofrera mais 
mutações e pode ocorrer o acumulo de mutações resultando em duas características básicas da 
neoplasia. A) Resistencia a morte celular B) Alta capacidade de mitoses. 
O câncer de pulmão é o segundo mais comum entre homens e mulheres, só perde para o de próstata 
(em homens) e câncer de mama (em mulheres). (sem contar com o câncer de pele não melanoma). 
Os carcinomas epidermoides (que parecem com a pele) são originados na parede do brônquio e muitas 
vezes nas regiões de metaplasia do brônquio. 
É altamente associada ao tabagismo e são classificados como agressivos. Além disso, é importante 
ressaltar que o diagnostico desse tipo de neoplasia normalmente é feita de forma tardia, pois o paciente 
vai começar a apresentar sintomas quando o câncer já está avançado e invadindo outras estruturas, 
como é o caso da tosse que se dá pela invasão da neoplasia aos brônquios proximais. Quando chega a 
esse estado, a sobrevida do paciente após o diagnostico confirmado da neoplasia é de até 3 anos. 
 
 
Neoplasias Pulmonares, Hepáticas, Renais e Colorretais 
CARCINOMA EPIDERMOIDE 
NEOPLASIA MALIGNA DE TECIDO EPITELIAL PULMONAR 
NÃO SECRETOR 
NEOPLASIA MAIS COMUM DENTRE AS PULMONARES 
PRESENTE EM ESTRUTURAS MAIS PROXIMAIS DO PULMÃO 
 
 Eduarda Gonzalez 
2 
Questões: 
a) Esta biópsia objetivou uma massa pulmonar ampla, invasiva na parede torácica. Como você imagina 
que ela tenha sido colhida? 
A biópsia colhida foi da região da parede torácica para 
pegar uma grande quantidade de tecido para o patologista 
poder avaliar a heterogeneidade do tecido e a invasão de 
estruturas. Na imagem podemos ver dois conglomerados 
celulares que aparentam ser uma neoplasia, mas o tecido é 
insuficiente para ser analisado com relação a classificação 
TNM. 
Na imagem aproximada podemos ver que essa massa era 
para ser um tecido brônquico, um epitélio 
pseudoestratificado ciliado, mas está parecendo células da 
pele e isso quer dizer que é um tecido pouco diferenciado, 
pois apresenta altas taxas mitóticas e um crescimento 
acelerado. Podemos ver linfócitos, tecido vascular e 
aglomerado de células. 
b) Qual o problema da amostra? 
O tecido é ineficiente para realizar uma analise completa, 
provavelmente a retirada para analise foi feita em um local 
com pouca massa e por isso não tem como caracterizar a 
lesão, por isso seria um TX e precisaria de uma nova biópsia. 
c) Identifique uma área viável e mostre uma figura 
de mitose. 
É possível ver 3 mitoses, caracterizando uma 
neoplasia agressiva, além de diversos tipos 
diferentes de células. 
 
 
 
 
d) Explique a fisiopatologia da associação do tabagismo com esse tipo de câncer. 
O tabagismo se associa a esse tipo de câncer devido as lesões crônicas constantes na mucosa, de pessoas 
que são susceptíveis que fumam. Assim, acumula as lesões devido a essa herança genética e a partir 
disso, acumula danos que não conseguem ser reparados. 
• Provável diagnostico de neoplasia maligna 
 
 Eduarda Gonzalez 
3 
Caso 2 
 
 
 
 
 
A apresentação típica de um adenocarcinoma é um nódulo na periferia do pulmão e esse nódulo possui 
limites bem definidos,e como se localizam na periferia do pulmão próximo a pleura, se não tratado pode 
invadir a região da pleural visceral e desenvolver metastase. Esse tumor maligno possui uma 
diferenciação glandular, então ele pode produzir hormônios, fatores de cresciemento, leite e muco. 
Esse adenoma pulmonar possui essa diferenciação que o permite produzir muco pelas células 
neoplásicas, sendo a mucina uma substancia importante nesse muco. Esse cãncer possui uma 
carateristica metastática de forma precoce, ainda que o tumor seja bem pequeno pode ocorrer esse 
processo metastático. Alem disso, é importante ressaltar que os canceres de pulmão são divididos em 
mucinógenos e não mucinosos e essa divisão é essencial pois apresenta diferenças morfologicas, 
clinicas e terapeuticas. 
 
Na lamina podemos ver que há margens sem neoplasia 
contornando a massa tumoral e esse tecido possui caracteristicas 
pulmonares normais. A massa na região interna cresceu muito e 
por isso podemos ver que comprimiu algumas estruturas como 
os alvéolos. 
• A celula epitelial é mais escura. 
Na lamina ao lado é um 
pouco mais aproximada e 
podemos perceber que a 
região mais clara é 
acelular, é a região do 
muco que é formada por 
um acúmulo de 
lipoprotienas. 
A mais escura é um tecido 
epitelial, que aparenta 
criptas e são celulas 
produtoras desse muco. 
Alem disso tem a 
presença da derme, que está sustentando a neoplasia. 
ADENOCARCINOMA 
TIPO DE NEOPLAIA DE PULMÃO MALIGNA 
DE TECIDO EPITELIAL COM PROPRIEDADES GLANDULARES 
DE SECREÇÃO 
 
 Eduarda Gonzalez 
4 
Existem marcações especificas para mucina A, no caso de haver duvidas se é mucina ou não. E Essa 
lâmina representa um adenocarcinoma mucinoso de pulmão. 
Lâmina aproximada: 
Podemos ver as células produtoras de muco, o muco e células inflamatorias em torno da neoplasia. 
Essas células inflamatórias estão em torno da neoplasia porque como sabemos, as neoplasias possuem 
mecanismos de escape, então essas células de defesa rondam a neoplasia, mas não a destroem. 
Há esses cachos que 
lembram os tecidos 
glandulares, sendo 
pouco diferenciados e 
que produzem 
mucina. 
 
 
 
 
 
Questões: 
1-A qual tipo você acha que essa lâmina corresponde? 
Adenocarcinoma mucinoso de pulmão. 
2-A mutação dos genes KRAS é vista em cânceres mucinogenos originados em vários órgãos, incluindo 
o pulmão. Qual é o sistema do corpo que origina tumores mucinosos com maior frequencia? Você 
imagina que essa caracteristica genetica influencia no tratamento? 
Os tumores que mais apresentam essa caracteristica mucinosa é o epitélio bronquico e intestinal. 
MUCO 
CÉLULAS 
PRODUTORAS 
DE MUCO 
TECIDO DE 
SUSTENTAÇÃO 
ENVOLTO DE 
LEUCÓCITOS 
 
 Eduarda Gonzalez 
5 
O KRAS é uma molécula de sinalização intracelular e é ativada com fatores de crescimento. Quando 
ocorre a ligação com esse fator de crescimento esse sistema intracelular é ativado e a KRAS passa a 
informação da ativação por meio da transferencia de radicais livres e modificando outras moléculas que 
irao ativar o metabolismo da célula, que nesse caso é a produção do muco. Dessa forma o KRAS mutado 
vai ser importante para ação de algumas opções terapeuticas que são inibitorias de vias de sinalização. 
Essas drogas são utilizadas em associação a outras na quimioterapia para auxiliar no tratamento do 
adenocarcinoma mutante para KRAS. 
 
 
Caso 3 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CARCINOMA 
NEUROENDÓCRINO DE 
PEQUENAS CÉLULAS 
POSSUI ASSOCIAÇÃO COM O TABAGISMO 
MUITO RECONHECIDO POR 
INDUZIR A SÍNDROME DE CUSHING 
POSSUI 4 
POSSIBILIDADES 
PRINCIPAIS 
O carcinoma neuroendocrino é uma neoplasia maligna de céluals epiteliais com caracteristicas 
neuroendocrinas e é de pequenas células e ele vai desenvolver uma síndrome paraneoplásica 
 
 
 
1- USO DE ALTAS DOSES DE 
CORTICOIDE.