A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
266 pág.
digital_manual-de-anatomia-humana-para-estudantes-de-nutricao

Pré-visualização | Página 10 de 46

retináculos da 
pele, que se prolongam da derme à fáscia muscular, unindo essas duas camadas. 
A pele é mais móvel e elástica onde os ligamentos são mais longos e menos numero-
sos, como no braço; e, onde são curtos e numerosos, como na planta dos pés, a pele 
está bastante aderida à fáscia muscular e não possui muita mobilidade. Nas mamas 
os retináculos são bastante desenvolvidos e formam os ligamentos suspensores, 
que sustentam o peso das mamas.
59Capítulo III · Manual de anatomia humana para estudantes de nutrição
Figura 3.2 – Ilustração da secção transversa da perna: a) pele; b) tela subcutânea; c) fáscia muscu-
lar; d) ventre muscular; e) vaso superficial (veia); f) vasos profundos; g) fíbula; h) tíbia; i) mem-
brana interóssea da perna. 
2.3. Anexos da pele
São assim denominados porque, durante a embriogênese, se desenvolvem a par-
tir da pele. São eles: os pelos, as unhas, as mamas e as glândulas sebáceas e sudorí-
feras (Fig. 3.3). 
Carências nutricionais podem afetar o crescimento e a aparência de 
alguns deles (como os pelos e as unhas), assim como a ingestão de cer-
tas substâncias poderá afetar o odor e a composição do suor e do leite 
materno.
60Capítulo III · Manual de anatomia humana para estudantes de nutrição
a) Pelos: estão distribuídos de maneira irregular por quase toda a superfície 
da pele e possuem um papel, mesmo que limitado, de proteção (especial-
mente no couro cabeludo, genitais e face) (Fig. 3.3). 
Quando há grande redução na ingestão de calorias e nutrientes, como 
no caso de cirurgias bariátricas ou dietas drásticas, a velocidade de cres-
cimento dos pelos é alterada, podendo acelerar a perda destes. 
b) Glândulas sebáceas: localizadas na pele, normalmente se abrem junto 
ao folículo piloso, por onde sua secreção é lançada. Além de sua fun-
ção bacteriostática, o sebo lubrifica o pelo e a pele, evitando que res-
sequem (Fig. 3.3).
c) Glândulas sudoríferas: muito numerosas e espalhadas ao longo de quase 
toda a superfície corporal. Podem eliminar sua secreção diretamente na 
superfície através de poros, bem como por meio dos pelos. Essas glându-
las estão funcionalmente relacionadas à termorregulação e à excreção 
(Fig. 3.3). O cerume encontrado no meato acústico externo é produzido 
por um tipo diferenciado de glândula sudorífera.
d) Unhas: são placas sólidas localizadas na face dorsal do ápice dos dedos. As 
unhas são um produto da epiderme e, portanto, são formadas por célu-
las queratinizadas e densamente compactadas, o que lhes confere rigidez. 
Carências nutricionais podem afetar sua morfologia, dureza e velocidade 
de crescimento.
61Capítulo III · Manual de anatomia humana para estudantes de nutrição
Figura 3.3 – Ilustração da secção do tegumento comum: a) epiderme; b) derme; c) tela subcutâ-
nea; d) fáscia muscular; e) folículo piloso (pelo); f) nervos para o músculo eretor dos pelos (g) 
e para as glândulas sebáceas (h); i) vasos da derme; j) terminação nervosa na derme; k) glândula 
sudorífera; l) terminação nervosa junto à epiderme.
e) Mamas: localizadas na parede anterior do tórax, com estrutura semelhante 
em ambos os sexos (porém mais desenvolvidas nas mulheres), são consti-
tuídas de parênquima e estroma. Nas mulheres se desenvolvem sob influên-
cia hormonal. Externamente é possível observar uma área central onde a 
pele é mais pigmentada, a aréola, em cujo centro se encontra uma projeção 
de tamanho variado, a papila mamária (Fig. 3.4). A pele dessas regiões, 
sobretudo da aréola, é rica em receptores táteis. 
62Capítulo III · Manual de anatomia humana para estudantes de nutrição
O estroma da mama é formado por uma grande quantidade de tecido adiposo 
oriundo da própria tela subcutânea da região, o qual é responsável pelo seu volume 
e formato. Esse tecido é sustentado pelos ligamentos suspensores da mama, que, 
com a idade, ficam mais frouxos, acarretando a sua flacidez. 
O parênquima mamário é constituído pelas glândulas mamárias (glân-
dulas sudoríferas modificadas), responsáveis pela produção do leito materno, que é 
fundamental para a nutrição do neonato nos primeiros meses de vida. As glându-
las mamárias são em número de quinze a vinte e desembocam na papila mamária 
através dos ductos lactíferos, que possuem, em sua desembocadura, uma dilatação 
denominada seio lactífero, cuja função é servir como reservatório do leite recém-
-produzido. Durante a amamentação, o leite materno é produzido e ejetado a partir 
do estímulo de sucção que o neonato exerce sobre a mama da mãe. Essa atividade é 
especialmente coordenada por hormônios que veremos no Capítulo XIII.
Figura 3.4 – Ilustração da vista anterior da mama direita e desta após secção sagital: a) papila 
mamária; b) aréola; c) estroma da mama; d) glândula mamárias; e) ductos lactíferos.
63Capítulo III · Manual de anatomia humana para estudantes de nutrição
Quadro A – Principais grupos musculares e suas ações
Grupo 
muscular
Nome do músculo Ação
Face
Orbicular da boca
Fecha a rima da boca e protrai os 
lábios
Orbicular do olho Fechamento das pálpebras
Levantador do lábio superior e 
da asa do nariz
Ação conforme seu nome
Zigomáticos menor e maior
Tracionam o lábio para posterior 
e superior, como no sorriso
Risório
Traciona lateralmente 
o ângulo da boca
Levantador do ângulo da boca Ação conforme seu nome
Abaixador do ângulo da boca Ação conforme seu nome
Abaixador do lábio inferior Ação conforme seu nome
Mentual
Corruga a região mentual e 
protrai o lábio inferior
Bucinador Tenciona as bochechas
Mastigação
Masseter Eleva a mandíbula – oclui os dentes
Temporal Eleva a mandíbula – oclui os dentes
Pterigóideo medial Eleva a mandíbula – oclui os dentes
Pterigóideo lateral
Protrai a mandíbula – movimentos 
laterais de mastigação
Pescoço
Platisma Tenciona a pele do pescoço
Digástrico Eleva o osso hioide (deglutição)
Esternocleidomastóideo Estende e roda a cabeça
Escalenos
Elevam o esqueleto do tórax 
(inspiração)
Tórax
Peitoral maior Flexiona e aduz o ombro
Intercostais externos Elevam as costelas (inspiração)
Intercostais internos Abaixam as costelas (expiração)
64Capítulo III · Manual de anatomia humana para estudantes de nutrição
Grupo 
muscular
Nome do músculo Ação
Abdome
Reto do abdome Flexiona o tronco
Oblíquo externo do abdome Flexiona e roda o tronco 
Oblíquo interno do abdome Flexiona e roda o tronco 
Transverso do abdome Tenciona o abdome
Dorso
Trapézio Eleva o ombro
Latíssimo do dorso Estende e aduz o ombro
Eretor da espinha Estende o tronco
Membro 
superior
Deltoide Flexiona, abduz e estende o ombro
Bíceps braquial Flexiona o cotovelo
Tríceps braquial Estende o cotovelo
Braquiorradial Flexiona o cotovelo
Flexores dos dedos (grupo muscular) Ação conforme seu nome
Extensores dos dedos 
(grupo muscular)
Ação conforme seu nome
Membro 
inferior
Glúteo máximo Estende o quadril
Iliopsoas Flexiona o quadril
Quadríceps femoral Estende o joelho
Bíceps femoral Flexiona o joelho
Semitendíneo Flexiona o joelho
Semimembranáceo Flexiona o joelho
Tibial anterior Estende o tornozelo (dorsiflexão)
Extensor dos dedos (grupo muscular) Ação conforme seu nome
Tríceps sural Flexiona o tornozelo (plantiflexão)
Flexor dos dedos (grupo muscular) Ação conforme seu nome
Fonte: Elaboração própria.
65Capítulo III · Manual de anatomia humana para estudantes de nutrição
EXERCÍCIOS
Sistemas muscular e tegumentar
Teóricos
1) Cite a proporção do peso corporal que o sistema muscular e tegumentar 
representam.
2) Cite a principal característica do tecido muscular.
3) Descreva as propriedades musculares.
4) Descreva as funções musculares detalhadamente.
5) Classifique os tipos de músculos.
6) Descreva funcionalmente a diferença entre os subtipos de músculos.
7) Descreva detalhadamente os componentes anatômicos essenciais dos múscu-
los estriados esqueléticos.
8) Cite as estruturas nas quais os músculos estriados esqueléticos podem reali-
zar fixação.