A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
Pneumonia, Derrame Pleural e Bronquiolite

Pré-visualização | Página 1 de 4

1 Habilidades Médicas V – Pneumonia e Bronquiolite. | Larissa Gomes de Oliveira. 
Pneumonia e Bronquiolite 
PNEUMONIA 
A pneumonia é um tipo de inflamação que afeta os pulmões e que, geralmente, está 
relacionada a uma infecção. 
Infecção que inflama os sacos de ar (sacos alveolares) em um ou ambos os pulmões, que 
podem ficar cheios de líquido. 
Na pneumonia, os sacos alveolares podem ficar cheios de líquido ou pus. A infecção pode ser 
fatal para qualquer pessoa, mas particularmente para bebês, crianças e pessoas com mais de 
65 anos. 
Os sintomas incluem tosse com catarro ou pus, febre, calafrios e dificuldade respiratória. 
Os antibióticos podem tratar muitos tipos de pneumonia e alguns podem até ser evitados com 
vacinas. 
Ela é uma doença provocada por micro-organismos (vírus, bactéria ou fungo) ou pela inalação 
de produtos tóxicos. Ela pode ser adquirida pelo ar, saliva, secreções, transfusão de sangue ou, 
no caso do inverno, devido a mudanças bruscas de temperatura. 
Muitas vezes ela começa com uma simples gripe ou resfriado que não é bem tratado, fazendo 
com que a imunidade do paciente diminua consideravelmente. 
PNEUMONIA NA INFÂNCIA 
A pneumonia é a inflamação do parênquima pulmonar, causada na maioria das vezes por 
microrganismos e raramente por agentes não infecciosos. 
EPIDEMIOLOGIA 
A maioria das crianças tem 4 a 6 infecções respiratórias agudas por ano, principalmente 
aquelas que habitam nas áreas urbanas. Dessas infecções agudas do trato respiratório, cerca 
de 2 a 3 evoluem para uma infecção de parênquima pulmonar (pneumonia) e dessas, cerca de 
10 a 20% evoluem para o óbito. 
Segundo dados da OMS, as pneumonias agudas, são responsáveis por cerca de 20% da 
mortalidade mundial em crianças de 5 anos de idade. São cerca de 2 milhões de óbitos anuais 
nesta faixa etária e 70% deles ocorrem em países subdesenvolvidos. 
Como a maioria grande maioria das infecções respiratórias, as pneumonias tem maior 
incidência no inverno. No brasil, há alguns períodos que ocorrem picos de alguns vírus que 
causam pneumonias virais, como a parainfluenza na primavera e o VSR (Vírus sincicial 
respiratório) no outono. 
 2 Habilidades Médicas V – Pneumonia e Bronquiolite. | Larissa Gomes de Oliveira. 
FISIOPATOLOGIA DA PNEUMONIA 
O trato respiratório inferior é estéril pela a ação de vários mecanismos fisiológicos de defesa. A 
infecção pulmonar acontece quando há uma menor eficácia desses mecanismos de defesa ou 
quando a quantidade de agentes infectantes satura os mecanismos de defesa. 
Basicamente, pneumonias são provocadas pela penetração de um agente infeccioso ou 
irritante (bactérias, vírus, fungos e por reações alérgicas) no espaço alveolar, onde ocorre a 
troca gasosa. Esse local deve estar sempre muito 
limpo, livre de substâncias que possam impedir o 
contato do ar com o sangue. 
Com essa invasão de agentes, uma reação 
inflamatória pode ocorrer nos alvéolos, produzindo 
exsudato que interfere com a difusão. Com 
frequência, a pneumonia afeta a ventilação e 
difusão. 
Com isso, além da presença de leucócitos 
(neutrófilos) no local onde anteriormente havia ar 
ocorre o edema da mucosa, levando a uma oclusão 
parcial de brônquios e alvéolos, com uma 
resultante diminuição da pressão de oxigênio 
alveolar. 
Disponível em: https://infomedica.fandom.com/pt-br/wiki/Pneumonia 
O aparelho respiratório possui um sistema de defesa, tais como: 
1. Anatomia das vias aéreas: filtração aerodinâmica 
2. Epitélio da naso e orofaringe. 
3. Muco/ depuração mucociliar 
4. Refluxo da tosse 
5. Macrófagos alveolares 
6. Neutrófilos 
7. Imunoglobulinas 
8. Complemento 
9. Surfactante 
Existe algumas vias de acesso dos agentes até o pulmão, como: 
→ Aspiração de secreções das vias aéreas superiores 
→ Inalação (agentes que ultrapassam a filtração aerodinâmica como microrganismos, 
micobactérias, micoplasma, fungos, vírus). 
→ Hematogênica (substâncias que compõe o sangue) 
→ Contiguidade (foco infeccioso em órgão próximo ao pulmão) 
→ Aspiração de conteúdo gástrico 
→ Inoculação nas vias por procedimentos (intubação) 
 3 Habilidades Médicas V – Pneumonia e Bronquiolite. | Larissa Gomes de Oliveira. 
CLASSIFICAÇÃO 
Com relação a sua classificação, ela pode ser classificada de acordo com a sua localização, seu 
tipo e de acordo ao seu agente infeccioso. 
→ Local: Pneumonia adquirida na Comunitária (PAC) – (A PAC é uma infecção do 
parênquima pulmonar adquirida fora dos hospitais ou instalações de cuidados 
prolongados. Geralmente, os patógenos responsáveis pela infecção não são 
identificados) ou hospitalar (Pneumonia Hospitalar é definida como aquela que ocorre 
48 horas ou mais após a internação, que não estava, portanto, incubada no momento 
da admissão. É a segunda infecção hospitalar mais freqüente, sendo a primeira dentro 
das unidades de terapia intensiva). 
→ Tipo Lobar, intersticial e broncopneumonia. 
→ Agente: infeccioso ou não infeccioso. 
MORFOLOGICAMENTE, AS PNEUMONIAS PODEM COMPROMET ER PREDOMINANTEMENTE: 
▪ Luz alveolar: pneumonia lobar (afeta 1 ou mais lobos pulmonares, endurecendo todo 
o lobo afetado). É a forma mais frequente, tende a afetar todo o lobo pulmonar. 
Costuma ser de origem bacteriana e o microrganismo responsável mais comum é o 
pneumococo ou Streptococcus pneumoniae. 
 
▪ Vias aéreas e os alvéolos: broncopneumonia. A infecção inicia-se nos brônquios e 
bronquíolos para originar vários focos em vários segmentos de um ou ambos os 
pulmões sucessivamente. Os microrganismos que com maior frequência provocam 
este tipo de pneumonia são o Staphylococcus aureus e o Haemophilus influenzae. 
 
 
▪ Interstício: pneumonia intersticial (a reação inflamatória se localiza nas paredes 
alveolares. A luz alveolar é livre). Nesse tipo se produz essencialmente uma inflamação 
dos septos alveolares, os agentes infecciosos responsáveis podem ser vírus, como o da 
gripe, micróbios que apenas encontram condições favoráveis para a sua proliferação 
quando há uma diminuição das defesas orgânicas, como a bactéria Mycoplasma 
pneumoniae, o protozoário Pneumocystis carínii e a bactéria Legionella pneumophila, 
causadora da denominada doença do legionário. 
 
 
 
 
Disponível em: 
http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_print.asp?cod_noticia=1059#:~:text=Na%20pneumonia%20lobar%
20uma%20parte,adquirida%20no%20hospital%20ou%20nosocomial. 
 
 4 Habilidades Médicas V – Pneumonia e Bronquiolite. | Larissa Gomes de Oliveira. 
 
Na pneumonia lobar uma parte do pulmão (lobo) é afetada de maneira uniforme. A 
broncopneumonia afeta os pulmões de maneira "salpicada". 
ETIOLOGIA 
A infecção do tecido pulmonar pode ser provocada por vários microrganismos, sobretudo 
bactérias e vírus, e com menor frequência por fungos e protozoários. Os microrganismos 
costumam chegar aos pulmões diretamente a partir do exterior, suspensos no ar. Contudo, as 
pneumonias podem resultar da aspiração de secreções provenientes do aparelho digestivo, da 
contaminação a partir de focos infecciosos adjacentes ou por disseminação hematogênica de 
focos infecciosos mais distantes. 
Embora existam inúmeros microrganismos presentes no ar, os quais penetram 
constantemente nas vias respiratórias, estes são neutralizados, em condições normais, pelos 
mecanismos defensivos. Geralmente, os microrganismos são retidos no muco que reveste as 
vias respiratórias, sendo posteriormente arrastados pelos movimentos dos cílios em direção à 
faringe, podendo igualmente ser detectados e eliminados pelas células defensivas ali 
presentes. De qualquer forma, quando por alguma razão estes mecanismos defensivos se 
encontram debilitados ou quando os microrganismos são particularmente agressivos, a 
possibilidade de desenvolvimento de pneumonia aumenta. 
Desse modo, existe ainda as pneumonias classificadas conforme a sua etiologia: 
 
1. Pneumonia viral 
É uma infecção causada por vírus e que se instala nos