A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Revisão SUS

Pré-visualização | Página 2 de 2

mundo. 
Abrange desde o simples atendimento ambulatorial até o transplante de órgãos, 
garantindo acesso integral, universal e gratuito para toda população do país. 
 
 
 
 
 
IMPLANTAÇÃO DO SUS: 
Foi realizada de forma gradual: 
▪ Incorporação do INAMPS ao ministério da Saúde (Decreto n° 99.060, de 7 de 
março de 1990). 
 
▪ Lei Orgânica da Saúde (Lei n° 8.080/ 1990), que fala sobre as condições para a 
promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e funcionamento 
dos serviços. (FALA SOBRE A ORGANIZAÇÃO E O FUNCIONAMENTO DOS 
SERVIÇOS). 
 
▪ Lei n° 8.142/ 1990, que imprimiu ao SUS uma das suas principais 
características: o controle social, ou seja, a participação dos usuários 
(população) na gestão do serviço. (Fala da participação popular e do 
orçamento) 
 
▪ O INAMPS foi extinto em 27 de junho de 1993 pela Lei n ° 8.689. 
 
 
PRINCIPIOS DOUTRINÁRIOS: Universalidade, 
Integralidade e equidade. 
PRINCIPIOR ORGANIZATIVOS: Descentralização, 
Regionalização e Hierarquização. 
 
6 Ana Inês Aguiar – MEDICINA, UNIFACS 
PRINCÍPIOS DOUTRINÁRIOS: 
UNIVERSALIDADE: Acesso para TODOS. 
INTEGRALIDADE: Atendimento em todos os níveis de atenção. 
EQUIDADE: Atendimento de acordo com a necessidade (quem precisa mais tem que 
ter mais acesso). 
 UNIVERSALIDADE: 
A saúde é um direito de cidadania de todas as pessoas e cabe ao estado assegurar 
este direito, sendo que o acesso às ações e serviços deve ser garantido a todas as 
pessoas, independente de sexo, raça, ocupação, ou outras características sociais ou 
pessoais. 
 
 INTEGRALIDADE: 
Considera as pessoas como um todo, atendendo a todas as suas necessidades. 
É importante a integração de ações, incluindo a promoção da saúde, a prevenção de 
doenças, o tratamento e a reabilitação. 
Pressupõe a articulação da saúde com outras politicas públicas, para assegurar uma 
atuação intersetorial entre as diferentes áreas que tenham repercussão na saúde e 
qualidade de vida dos indivíduos. 
MULTIPROFISSIONAIS: Médicos e fisioterapeutas (mesmo setor da saúde). 
Intrasetoriais 
INTERSETORIAS: Escola e presidio (setores diferentes). 
 
 EQUIDADE: 
A equidade visa diminuir a desigualdade. 
Apesar de todas as pessoas possuírem direito aos serviços, as pessoas não são iguais, 
e por isso, tem necessidades diferentes. 
Significa tratar de forma desigual, os desiguais, investindo mais onde a carência é maior. 
 
 
FUNCIONAMENTO DO SUS: 
O SUS é um sistema de saúde de abrangência nacional, porém, coexistindo em seu 
âmbito subsistemas em cada estado e em cada municípios. 
As ações e serviços de atenção à saúde devem ser desenvolvidos em um conjunto de 
estabelecimentos, organizados em níveis crescentes de complexidade, formando uma 
rede regionalizada e hierárquica. 
 
7 Ana Inês Aguiar – MEDICINA, UNIFACS 
Atendimento universalizado à população a partir de ações integradas entre os diferentes 
entes políticos da Federação. 
 
ORGANIZAÇÃO E DIREÇÃO DO SUS: 
A direção do SUS é única, de acordo com o Inciso I, do artigo 198 da CF, sendo 
exercida, em cada esfera de governo, pelos seguintes órgãos: 
I. No âmbito da UNIÃO, pelo Ministério da Saúde; 
II. No âmbito dos ESTADOS e do Distrito Federal, pela respectiva secretaria de 
saúde ou órgão equivalente; 
III. No âmbito dos MUNICÍPIOS, pela respectiva Secretaria de saúde ou órgão 
equivalente. 
 
PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES: 
▪ MUNICÍPIOS: Planejamento e execução dos serviços de saúde no seu território. 
▪ ESTADOS: Coordenar e apoiar os municípios na execução das ações de saúde. 
▪ UNIÃO: Formulação da política nacional de saúde; coordenação das ações de 
saúde intergovernamentais; e financiamento. 
 
 DESCENTRALIZAÇÃO: redistribuição das responsabilidades nas três 
esferas do governo. 
A municipalização da gestão dos serviços foi o elemento central da agenda de reformas 
do governo federal na área da saúde ao longo da década de 1990. 
OBJETIVOS: Universalizar o acesso aos serviços e descentralizar sua gestão da 
prestação de serviços e mantendo a participação federal no financiamento da política. 
TRANSFERENCIA FUNDO A FUNDO: O recurso federal é repassado diretamente para 
a conta do município (FUNDO – conta – federal para a municipal). 
Está escrito na norma operacional básica de 1996. 
 
 
 
PROBLEMAS ATUAIS: 
Embora sejam reconhecidas as dificuldades financeiras enfrentadas pelos municípios 
na gestão politica de saúde, não é POSSIVEL resumir o problema de uma crise no 
financiamento... 
▪ É importante uma análise aprofundada sobre a qualidade dos gastos em saúde; 
 
▪ Coibir desvios e fraudes; 
 
▪ Qualificar e aprimorar a gestão do SUS; 
 
8 Ana Inês Aguiar – MEDICINA, UNIFACS 
▪ Implantar mecanismos de controle interno; 
 
▪ Fortalecer o Conselho de saúde; 
 
▪ País imenso, populoso e heterogênico: acessibilidade; 
 
▪ Alterações demográficas recentes: estrutura etária, urbanização acelerada; 
 
▪ Acentuadas desigualdades econômicas e sociais (entre regiões e grupos 
populacionais). 
 
▪ Baixa resolubilidade das demandas presentes na população.