A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
35 pág.
Manual de Mexilhao

Pré-visualização | Página 6 de 10

re
as
m
ai
s 
af
as
ta
d
as
; 
m
en
o
r
im
p
ac
to
 (
am
b
ie
n
ta
l 
e
vi
su
al
).
Po
d
em
 s
er
 d
es
tr
u
íd
o
s 
p
o
r
re
ss
ac
as
 e
 e
ve
n
tu
ai
s
to
rm
en
ta
s.
Fr
an
ça
,
Es
p
an
h
a,
C
an
ad
á,
 E
U
A
,
C
h
ile
,
V
en
ez
u
el
a 
e
B
ra
si
l.
C
u
lt
iv
o
su
sp
en
so
flu
tu
an
te
 -
ti
p
o
 b
al
sa
P
la
ta
fo
rm
a 
flu
tu
an
te
 d
e 
m
ad
ei
ra
 o
u
b
am
b
u
, 
so
b
re
 b
o
m
b
o
n
as
 f
ix
ad
as
 p
o
r
p
o
it
as
 n
a 
q
u
al
 s
e 
p
en
d
u
ra
m
 a
s
co
rd
as
 d
e 
cu
lt
iv
o
.
Su
p
er
io
r 
a 
4
m
et
ro
s.
M
ad
ei
ra
, 
b
am
b
u
,
b
o
m
b
o
n
as
p
lá
st
ic
as
 
e 
p
o
it
as
.
Fá
ci
l 
m
an
ej
o
, 
p
er
m
it
e 
o
cu
lt
iv
o
 e
m
 á
re
as
 a
fa
st
ad
as
,
m
en
o
r 
im
p
ac
to
 (
am
b
ie
n
ta
l
e 
vi
su
al
).
C
u
st
o
s 
d
e 
co
n
st
ru
çã
o
 e
m
an
u
te
n
çã
o
.
B
ra
si
l, 
C
h
ile
,
C
an
ad
á,
 E
U
A
,
C
h
in
a 
e
Es
p
an
h
a.
C
u
lt
iv
o
su
sp
en
so
ti
p
o
 m
ei
a-
ág
u
a
Se
m
el
h
an
te
 a
o
 l
o
n
g-
lin
e,
 p
o
ré
m
su
b
m
er
so
 a
 u
m
a 
d
et
er
m
in
ad
a
p
ro
fu
n
d
id
ad
e.
 N
a 
su
p
er
fíc
ie
ap
ar
ec
em
 s
o
m
en
te
 a
s 
b
ó
ia
s
si
n
al
iz
ad
o
ra
s.
Su
p
er
io
r 
a 
1
0
m
et
ro
s.
Fl
u
tu
ad
o
re
s 
d
e
p
lá
st
ic
o
, 
fib
ra
 o
u
p
o
liu
re
ta
n
o
,
ca
b
o
s 
e 
p
o
it
as
.
C
o
n
ve
n
ie
n
te
 e
m
 á
re
as
o
ce
ân
ic
as
, 
d
ifi
cu
lt
a 
o
ro
u
b
o
, 
m
en
o
r 
p
o
lu
iç
ão
vi
su
al
, 
ár
ea
s 
m
ai
s 
lim
p
as
.
O
 a
ce
ss
o
 à
 e
st
ru
tu
ra
.
C
an
ad
á
C
h
ile
Fr
an
ça
 e
Es
ta
d
o
s 
U
n
id
o
s.
20 – Manuais BMLP de maricultura
Para cada 1 metro de corda, coloca-se 1 kilo e meio de
sementes (1,5 kg). Amarram-se as pontas da corda, dei-
xando uma sobra de cabo na parte de cima, onde ela vai
ser presa na estrutura.
Em alguns locais abrigados ou quando a rede externa
for mais forte, não é necessário usar o cabo central.
Como funciona a engorda
As duas redes, interna e externa, ajudam a segu-
rar as sementes, quando elas estão menores, mas
depois que elas crescem e a rede se desmancha
na água, os mexilhões maiores as usam como
substrato, o lugar onde eles irão se prender.
No litoral de Santa Catarina, a experiência
aconselha que se usem cordas de comprimento
de até 1 metro e meio, para que, depois que os
mexilhões crescerem, possam ser retiradas da
água por duas pessoas num barco pequeno. São
recomendadas cordas maiores para locais mais
profundos, porém seu manejo necessita de ma-
quinários. Lembre-se que cada metro de corda pe-
sará aproximadamente 10 kg.
O que é a engorda
A engorda é o período de tempo que vai desde a
colocação das sementes na água até o momento da
colheita.
18 – Manuais BMLP de maricultura
Long-line ou espinhel: uma corda
mestre com bóias e âncoras (poitas)
de onde pendem as cordas com
mexilhões.
Poitas ou âncoras: utensílios usados
para fixar estruturas no mar.
4. Métodos de cultivo
Os métodos de cultivo empregados variam de um país
para outro e até mesmo de região para região, de acordo
com as características do ambiente. Podem ser de fundo,
estacas, suspenso fixo, suspenso flutuante e suspenso tipo
meia-água. Existem vários tipos de estruturas que podem
ser construídas para cultivar mexilhões. Nas tabelas das
páginas anteriores mostramos algumas delas:
1. Cultivo de fundo
2. Estacas ou “bouchots”
3. Suspenso fixo: tomateiro e mesa
4. Suspenso flutuante: espinhel (long-line), balsa e
meia-água
Cultivo de mexilhões – 19
5. Manutenção do cultivo
Seleção e separação por tamanho
Para conseguir um produto final de melhor qualidade
você deve selecionar e separar as sementes por tamanho.
Isto também ajuda e diminuir a ação dos predadores e com-
petidores no cultivo e facilita o crescimento dos mexilhões.
Após debulhadas, as sementes são separadas por ta-
manho e ensacadas apropriadamente. O material que pode
ser usado para ensacamento das sementes é:
 um funil de PVC,
 um cabo de nylon de 8 milímetros,
 uma rede de algodão tubular,
 uma rede de poliamida tubular de 60 milímetros.
O cabo central é fixado na rede de poliamida e ser-
virá de sustentação para esta estrutura. Veste-se a pri-
meira rede de algodão no funil, que serve para segurar
as sementes. Em seguida coloca-se a segunda rede (mais
aberta). Dentro do funil, então, são colocadas as semen-
tes que já foram previamente selecionadas e limpas.
Debulhadas: desgrudadas, separadas
umas das outras.
Poliamida: material plástico resistente à
corrosão causada pela água do mar,
com baixa absorção de água e com
boa elasticidade.
18 – Manuais BMLP de maricultura
Long-line ou espinhel: uma corda
mestre com bóias e âncoras (poitas)
de onde pendem as cordas com
mexilhões.
Poitas ou âncoras: utensílios usados
para fixar estruturas no mar.
4. Métodos de cultivo
Os métodos de cultivo empregados variam de um país
para outro e até mesmo de região para região, de acordo
com as características do ambiente. Podem ser de fundo,
estacas, suspenso fixo, suspenso flutuante e suspenso tipo
meia-água. Existem vários tipos de estruturas que podem
ser construídas para cultivar mexilhões. Nas tabelas das
páginas anteriores mostramos algumas delas:
1. Cultivo de fundo
2. Estacas ou “bouchots”
3. Suspenso fixo: tomateiro e mesa
4. Suspenso flutuante: espinhel (long-line), balsa e
meia-água
Cultivo de mexilhões – 19
5. Manutenção do cultivo
Seleção e separação por tamanho
Para conseguir um produto final de melhor qualidade
você deve selecionar e separar as sementes por tamanho.
Isto também ajuda e diminuir a ação dos predadores e com-
petidores no cultivo e facilita o crescimento dos mexilhões.
Após debulhadas, as sementes são separadas por ta-
manho e ensacadas apropriadamente. O material que pode
ser usado para ensacamento das sementes é:
 um funil de PVC,
 um cabo de nylon de 8 milímetros,
 uma rede de algodão tubular,
 uma rede de poliamida tubular de 60 milímetros.
O cabo central é fixado na rede de poliamida e ser-
virá de sustentação para esta estrutura. Veste-se a pri-
meira rede de algodão no funil, que serve para segurar
as sementes. Em seguida coloca-se a segunda rede (mais
aberta). Dentro do funil, então, são colocadas as semen-
tes que já foram previamente selecionadas e limpas.
Debulhadas: desgrudadas, separadas
umas das outras.
Poliamida: material plástico resistente à
corrosão causada pela água do mar,
com baixa absorção de água e com
boa elasticidade.
Cultivo de mexilhões – 17
Es
pi
nh
el
Ba
ls
a
T
ip
o
D
es
cr
iç
ão
P
ro
fu
n
d
id
ad
e
M
at
er
ia
l
V
an
ta
ge
n
s
D
es
va
n
ta
ge
n
s
P
aí
se
s
C
u
lt
iv
o
su
sp
en
so
fix
o
 -
 t
ip
o
m
es
a
É 
u
m
a 
p
la
ta
fo
rm
a 
re
ta
n
gu
la
r 
o
u
q
u
ad
ra
d
a,
 f
ix
ad
a 
n
o
 f
u
n
d
o
 p
o
r
es
ta
ca
s,
 c
u
jo
 t
am
p
o
 é
 f
o
rm
ad
o
 p
o
r
u
m
a 
m
al
h
a 
d
e 
b
am
b
u
s 
o
u
 m
ad
ei
ra
,
d
e 
o
n
d
e 
p
en
d
em
 a
s 
co
rd
as
 d
e
m
ex
ilh
õ
es
.
A
té
 3
 m
et
ro
s.
B
am
b
u
, 
m
ad
ei
ra
o
u
 c
an
o
s 
d
e 
P
V
C
p
re
en
ch
id
o
s 
co
m
co
n
cr
et
o
.
B
o
a 
p
ro
d
u
çã
o
, 
b
ai
xo
in
ve
st
im
en
to
 e
 f
ac
ili
d
ad
e
d
e 
m
an
ej
o
.
Só
 p
o
d
e 
se
r 
ap
lic
ad
o
 e
m
lo
ca
is
 c
o
m
 p
eq
u
en
a
p
ro
fu
n
d
id
ad
e
Ta
ilâ
n
d
ia
,
B
ra
si
l, 
It
ál
ia
,
Fr
an
ça
, 
C
o
n
go
,
Iu
go
sl
áv
ia
 e
Po
lin
és
ia
.
C
u
lt
iv
o
su
sp
en
so
flu
tu
an
te
 -
ti
p
o
es
p
in
h
el
 o
u
lo
n
g-
lin
e
U
m
a 
co
rd
a 
m
es
tr
e 
co
m
 b
ó
ia
s 
e
ân
co
ra
s 
(p
o
it
as
) 
d
e 
o
n
d
e 
p
en
d
em
 a
s
co
rd
as
 c
o
m
 m
ex
ilh
õ
es
.
Su
p
er
io
r 
a 
3
m
et
ro
s.
Fl
u
tu
ad
o
re
s 
d
e
p
lá
st
ic
o
, 
fib
ra
 o
u
p
o
liu
re
ta
n
o
;
ca
b
o
s 
e 
p
o
it
as
.
Fa
ci
lid
ad
e 
d

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.