A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
37 pág.
Principais doenças respiratórias em idosos

Pré-visualização | Página 1 de 1

Principais doenças respiratórias em idosos
Mudanças do sistema respiratório resultantes do processo de envelhecimento
Diminuição da elasticidade pulmonar.
Diminuição das capacidades pulmonares.
Diminuição da atividade ciliar.
Debilidade da musculatura torácica.
Comprometimento da hematose, agravado pelo tabaguismo.
Sintomas mais frequentes de doença respiratória em idosos.
Tosse
Dispnéia
Fraqueza
Febre
Confussão mental
Doenças respiratórias mais frequentes em idosos
Influenza
Pneumonia
Tuberculose
DPOC
Bronquiectásias
Câncer de pulmão
Influenza
Etiologia: Virus A, B, C. 
Influenza A: Proteínas de superfície: hemaglutinina e Neuroaminidase.
Subtipos A (H1N1) e A ( H3N2) são os subtipos que circulam atualmente.
Risco maior: Idosos, crianças novas, gestantes e pessoas com alguma comorbidade.
A vacinação é a intervenção mais importante na redução do impacto da influenza.
Diagnóstico da Influenza
Sintomas clínicos
Cultura viral
Teste de Imunofluorescencia
Testes rápidos
Testes de ácidos nucleicos (RT-PCR)
Tratamento da Influenza
Prevenção: Vacina
Antivirais: fosfato de Oseltamivir, Zanamivir 
Pneumonia
Proliferação de microorganismos ao nível alveolar.
Mecanismo fisiopatogênico fundamental em idosos: Aspiração desde orofaringe.
Sintomas clínicos em idosos
Confusão mental
Delirium
Sintomas gerais
Febre variável
Dispnéia
Dor pleurítica
Calafrios
Tosse produtiva
Diagnóstico da Pneumonia
Diagnóstico clínico
Diagnóstico diferencial em idosos.
Gram e cultura do esputo: Diagnóstico etiológico.
Hemoculturas
Provas urinárias com antigenios: Pneumococo e Legionella.
PCR
Métodos sorológicos: IgM
Biomarcadores: Proteína C reativa e procalcitonina
Rx de tórax.
Conduta terapéutica
Avaliar CURB 65
Pneumonia extrahospitalar : Macrólidos, Fluorquinolonas.
Pneumonia intrahospitalar
Pneumonia associada ao ventilador mecânico.
Tuberculose
Tratamento da Tuberculose
Bronquiectásias
Dilatação crônica dos brônquios ou dos bronquíolos, por processo inflamatório ou degenerativo.
Causas de bronquiectásias
Pós-infecciosas (TB, pneumonia, tosferina, adenovírus, sarampo)
Obstrução bronquial
Alterações da resposta inflamatória
Doenças congênitas
Diagnóstico das bronquiectásias
Sintomas clínicos: Tosse produtiva
Imagem: RX, Tomografia
Anatomo-patológico
Conduta terapêutica
Reabilitação respiratória
Mucolíticos
Broncodilatadores
Antibióticos
Vacinas
DPOC
Obstrução crônica do fluxo aéreo parcialmente reversível.
Incremento da incidência com a idade.
Geralmente progressiva.
Associada a uma resposta anormal dos pulmões.
5ta causa de internações.
Varia entre a 4ta e 7ma causa de óbito no Brasil.
Diagnóstico da DPOC
Sintomas respiratórios crônicos: Tosse, secreção, dispneia, sibilos.
Exposição a fatores de risco: Tabagismo, poeira ocupacional, biomassa.
Exames: Raios X de tórax, gasometria, espirometria.
Estudos de imagem
Classificação da severidade da DPOC
Diagnóstico diferencial da DPOC
Tratamento da DPOC
Câncer de pulmão
Incremento da incidência com relação à idade.
Principal fator de risco: Tabaguismo
Exposições ocupacionais.
Tipos celulares principais: Microcítico, Adenocarcinoma, Epidermoide, Macrocítico.
Sintomas: Tosse, dispneia, dor torácica, hemoptise, rouquidão, pneumonias de repetição, perda de peso importante.
Câncer de pulmão
Epidermoide
Diagnóstico do câncer de pulmão
Clínica
Imagem
Patologia
Estudos de imagem. Câncer de pulmão
Tratamento do câncer de pulmão
Cirugia
Quimioterapia
Combinação de Cirugia e Quimioterapia
Radioterapia
Imunoterapia.
Intervenções preventivas
Influenza: Imunização anual.
Pneumonia: Imunização contra o pneumococo (uma vez após os 65 anos)
Alimentação adequada.
Práticas de exercício físico
Não fumar.