A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
diagnóstico virológico

Pré-visualização | Página 1 de 1

Diagnóstico virológico
O sucesso do resultado laboratorial está diretamente correlacionado com as
ações mediadas pelo profissional de campo (investigação clínico-patológica e
epidemiológica, coleta, acondicionamento, identificação e envio do material).
Importante compreender a cinética de uma infecção viral e a resposta
imunológica do organismo animal, para poder escolher o tipo de material
biológico adequado conforme a técnica a ser aplicada.
TÉCNICAS:
● Isolamento viral
● Antígenos
● Ácidos nucleicos
● Sorológicas
CINÉTICA de uma infecção viral e a resposta imunológica do organismo
animal
ENFERMIDADES podem ser:
● RESPIRATÓRIAS: recomenda-se coletar secreções nasais, aspirados de
nasofaringes, trato respiratório superior, pulmões.
● recomenda-se coletar secreções nasais, fezes, soro, sangue integral,
linfonodos, baço.
● REPRODUTIVAS: coletar placenta, líquidos fetais, timo, baço, pulmão ,
cérebro.
PROCEDIMENTOS DE COLETAS
● Secreções nasais, oculares ou genitais: recomenda-se utilizar swab
para coleta
● Tecidos e fragmentos de órgãos: a coleta deve ser individual e
assepticamente em frascos (plásticos ou vidro) estéreis.
● Fetos abortados: podem ser submetidos à necropsia para a coleta de
tecidos e órgãos ou encaminhados inteiros.
● Plasma sanguíneo: utilizam-se tubos estéreis (plástico ou vidro),
minimiza-se a hemólise e utiliza-se citrato, heparina ou EDTA como
anticoagulante. Recomenda-se coletar de 2 a 3 mL para pequenos
animais e de 5 a 10 mL para grandes animais.
● Soro sanguíneo: utilizam-se tubos estéreis (plástico ou vidro) e
minimiza-se a hemólise. Recomenda-se coletar 2 a 3 mL para pequenos
animais e de 5 a 10 mL para grandes animais.
● Fezes: preferencialmente coletadas da ampola retal.
PROCEDIMENTOS DE ACONDICIONAMENTO
● Embalagens: Tubos, frascos e potes podem ser constituídos de vidro ou
plástico.
● Rótulos: evitar rótulos de papel que deterioram ou desprendem quando
umedecidos
● Identificação: individual, utilizar caneta de tinta permanente ou lápis.
● Observação: acondicionar com objetivo de evitar ruptura ou quebra do
recipiente durante o transporte.
PROCEDIMENTOS DE CONSERVAÇÃO de amostras
● intervalo 2 a 3 dias: armazenar em ambiente refrigerado a 4°C.
● acima de 3 dias: recomenda-se o congelamento das amostras (-20°C ou
-70°C)
● amostras sanguíneas: o processo de congelamento não deve ser
adotado.
● OBSERVAÇÃO: utilizar caixas térmicas com revestimento interno
impermeável, para que não ocorram vazamentos durante o transporte.
MÉTODOS DE DIAGNÓSTICO
● métodos diretos: detectam vírus, antígenos e/ou ácidos nucleicos.
Microscopia eletrônica
Isolamento em cultivo celular
Hemaglutinação
Imunofluorescência
Imunoperoxidase
Imunoenzimáticos
Cromatográficos
Reação da polimerase em cadeia (PCR)
● métodos indiretos: detectam anticorpos específicos contra o vírus.
Imunodifusão em gel de ágar
ELISA
Soroneutralização
Fixação do complemento
Inibição da hemaglutinação
Imunofluorescência para anticorpos
Imunocromatografia
CRITÉRIOS para eleição dos métodos: sensibilidade, especificidade, rapidez,
simplicidade, reprodutibilidade, automação e baixo custo.