A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Redes de atenção I

Pré-visualização | Página 1 de 1

REDES DE ATENÇÃO I
 
 
 
 
 
 
 
 
• Nível primário: Estratégia Saúde da Família. 
• Nível secundário: CEO, na saúde bucal. 
• Nível terciário: atenção hospitalar. 
 
➭ A proposta de Rede de Atenção é baseado na filosofia de que os profissionais tem que ser 
custo-eficiente, ou seja, eles tem que promover uma eficiência para que os recursos não sejam 
gastos com as mesmas coisas. 
 
➭ Dentro do contexto epidemiológico, é preciso programar o serviço de saúde para a atual 
realidade do país: 
 * Transição demográfica: o Brasil está envelhecendo. 
 * Transição epidemiológica: porque o país está envelhecendo muda o perfil do sistema único de 
saúde, pois agora é preciso cuidar, por exemplo, de doenças crônicas. 
 
➭ Segundo a OMS, a cárie é uma doença crônica. 
 
Fragmentação 
 
Temos um sistema de saúde com vários problemas: 
 
◦ lacunas ou vazios assistenciais importantes. Não está oferecendo a integralidade; 
◦ financiamento público insuficiente, fragmentado e baixa eficiência no emprego dos recursos; 
◦ configuração inadequada de modelos de atenção, marcada pela incoerência entre a oferta de 
serviços e a necessidade de atenção, ou seja, fazer procedimentos que são feitos na atenção 
secundária ou terciária, mas que poderiam ser realizados na atenção primária. 
◦ a fragilidade na gestão do trabalho com o grave problema de precarização e carência de 
profissionais; 
◦ pulverização dos serviços nos munícipios. Existem vários tipos de hospitais no Ceará, mas que 
não tem relação entre si 
◦ pouca inserção da Vigilância e Promoção em Saúde no cotidiano dos serviços 
 
O que ainda temos hoje e não queremos mais 
 
 
• Gestantes sem pré-natal 
• Sem vínculo para parto 
• Gestantes que foram classificadas de alto risco, mas fazem o pré-natal na unidade de saúde 
• Ausência de regulação de leitos 
 
Conceito 
 
As Redes de Atenção à Saúde são definidas como arranjos organizativos de ações e serviços de 
saúde, de diferentes densidades tecnológicas (procedimentos simples), que integradas por meio de 
sistemas de apoio técnico, logístico e de gestão, buscam garantir a integralidade. 
 
Processo de implantação do RAS 
 
◦ Realizar diagnóstico/análise situacional 
◦ Estabelecer prioridades baseadas em pactuações regionais 
◦ Montar um grupo condutor representativo 
◦ Desenhar a rede: estabelecimento dos percursos dos usuários e função de cada ponto de 
atenção 
◦ Contratualizar os pontos de atenção 
◦ Acompanhar a implantação da rede e seus resultados. 
 
Por que organizar o Sistema de Saúde em Redes? 
 
• Desafios: superar a fragmentação, qualificar a gestão do cuidado, tirar o foco no médico e na 
doença, considerar os contextos locais. 
• Lidar com: complexa inter-relação entre acesso, escala, qualidade e custo-efetividade demostra 
a complexidade do processo de construção de um sistema unificado e integrado no Brasil. 
 
Definições 
 
➭ Região de saúde: é o espaço geográfico contínuo constituído por agrupamentos de Municípios 
limítrofes, delimitado a partir de identidades culturais, econômicas e sociais e de redes de 
comunicação e infraestrutura de transportes compartilhados, com a finalidade de integrar a 
organização, o planejamento e a execução de ações e serviços de saúde. 
 
➭ Rede de Atenção à Saúde: é o conjunto de ações e serviços de saúde articulados em níveis de 
complexidade crescente, com a finalidade de garantir a integralidade da assistência à saúde. 
 
➭ Mapa da Saúde: é a descrição geográfica da distribuição de recursos humanos e de ações e 
serviços de saúde ofertados pelo SUS e pela iniciativa privada, considerando-se a capacidade 
instalada existente, os investimentos e o desempenho aferido a partir dos indicadores de saúde 
do sistema. 
 
 
As Regiões de Saúde devem ser instituídas pelos estados, em articulação com os munícipios, 
respeitadas as diretrizes gerais pactuadas na CIT (art. 4º). Para ser instituída, a Região de Saúde 
deve conter, no mínimo, ações e serviços de (art. 5º): 
 
• atenção primária 
• urgência e emergência 
• atenção psicossocial 
• atenção ambulatorial especializada e hospitalar 
• vigilância em saúde 
 
Os entes federativos definirão os seguintes elementos em relação às Regiões de Saúde: 
I. Seus limites geográficos; 
II. População usuária das ações e serviços; 
III. Rol de ações e serviços que serão ofertados 
IV. Respectivas responsabilidades, critérios de acessibilidade e escala para 
conformação dos serviços. 
 
 
Portas de entrada do SUS 
 
Atenção primária ⇛ Referenciam à população ⇛ Para os serviços de atenção hospitalar e os 
ambulatoriais especializados. 
 
Os Serviços Especiais de Acesso Aberto são serviços de saúde específicos para o atendimento 
da pessoa que, em razão de agravo ou de situação laboral, necessita de atendimento especial, a 
exemplo dos Centro de Referência em Saúde do Trabalhador - CEREST e Centros de Testagem e 
Aconselhamento (CTA) de Doença Sexualmente Transmissíveis e AIDS. 
 
 *CAPS: referência para pessoas com problemas mentais, ansiedade, alcóolicas. 
 
Contratualizações 
 
✓ Melhorar o nível de saúde da população → Responder com efetividade às necessidades em 
saúde → Rigoroso controle sobre o crescimento das despesas de origem pública com a saúde 
 
✓ Eficiência gestora no uso de recursos escassos, maximizando o nível de bem-estar 
 
✓ Coordenar as atividades das partes envolvidas: 
 * Assegurar a produção de um excedente cooperativo 
 * Distribuir os frutos da cooperação 
 * Assegurar que os compromissos sejam cumpridos 
 
Modelo Lógico do RAS 
 
Elementos constitutivos: 
 - População território 
 - Estrutura operacional da rede: pode ser atenção primária, secundária e terciária 
 - Modelo de atenção à saúde 
 
É preciso ter na atenção primária uma central de regulação. 
 
Objetivo das Redes de Atenção a Saúde 
 
➭ O objetivo das RAS é promover a integração sistemática, de ações e serviços de saúde com 
provisão de atenção contínua, integral, de qualidade, responsável e humanizada, bem como 
incrementar o desempenho do Sistema, em termos de acesso, equidade, eficácia clínica e 
sanitária, e eficiência econômica. 
 
O grande foco da RAS é a integralidade. 
 
Dos Sistemas Fragmentados para as Redes de Atenção à Saúde 
• Antes o sistema era fragmentado e hierarquizado 
• Atualmente, a intenção é que as Redes criem sistemas poliárquicos e que o grande centro seja 
a Atenção Primária 
 
Diferenças entre os Sistemas Fragmentados e as Redes de Atenção à Saúde 
• Antes acreditava-se que a Atenção Secundária porque tinha uma densidade tecnológica mais 
específica e complexa, era mais importante que a Atenção Primária, hoje em dia, não há mais 
essa perspectiva 
• A coordenação de atenção era inexistente no modelo antigo, o paciente ia de porta em porta 
para ser atendido.