A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
259 pág.
Pack Estatística

Pré-visualização | Página 29 de 48

Ambiente (MMA) atua continuamente na elaboração e 
implementação de políticas públicas que têm por objetivo promover a produção e 
o consumo sustentáveis. Leia o texto sobre Responsabilidade Socioambiental em: 
<http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental>.
Figura 4 - Consumo consciente é cuidar do planeta.
Fonte: davidhirjak/Shutterstock.com
Com o aumento da preocupação ambiental, estudiosos e defensores do consumo consciente 
têm agregado novos Rs aos três iniciais. Entre os mais comuns, podemos citar: Repensar (antes 
de consumir); Reparar (consertar em vez de descartar); Repassar (conhecimentos sobre consumo 
consciente); Recusar (produtos política e socialmente incorretos); Respeitar (a si, a todos e o todo) 
(MANSANO; OLIVEIRA, 2011).
EXEMPLO
Trocar o uso de copos descartáveis por uma garrafinha térmica, caneca ou copo 
lavável no trabalho, na escola, na academia, no carro é uma forma simples e prática 
de contribuir com a sustentabilidade do planeta, sendo uma atitude de consumo 
sustentável.
Quanto aos impactos da adesão ao princípio dos 3Rs na sociedade, eles podem ser ambien-
tais, econômicos ou sociais. Alguns exemplos de resultados ambientais são: menor consumo de 
recursos naturais; menor produção de resíduos; redução da emissão industrial de gases poluidores; 
consumo e necessidade de produção de papel; de corte de árvores, mesmo em monoculturas, etc. 
Entre os ganhos econômicos, tem-se menor custo com matéria-prima, água e energia (elé-
trica, petrolífera etc.) decorrente da reciclagem de papel, vidro, plástico, alumínio e lixo orgânico. 
Por fim, diminuição da produção de lixo, reutilização de recursos potencialmente poluidores (plás-
tico, alumínio) e geração de empregos associados à reciclagem podem ser citados como benefí-
cios sociais.
Fechamento
Chegamos ao final desta aula. Aqui, conceitos associados aos estudos da ética e da respon-
sabilidade socioambiental foram explanados.
Nesta aula, você teve a oportunidade de: 
 • compreender o conceito de consumo sustentável e seu impacto para a sociedade;
 • conhecer o princípio dos 3Rs. 
Referências
BRASIL. Casa Civil da Presidência da República. Lei no 8.078, de 11 de setembro de 1990 (Código 
de Defesa do Consumidor). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8078.htm>. 
Acesso em: 25 ago. 2016.
______. Ministério do Meio Ambiente. Website institucional, responsabilidade socioambiental, Brasí-
lia, 2016. Disponível em: <http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental>. Acesso em: 
28 ago. 2016.
______. Eletrobras. Website institucional, Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica 
(Procel), Brasília, 2016. Disponível em: <https://www.eletrobras.com/elb/data/Pages/LUMIS-
0389BBA8PTBRIE.htm>. Acesso em: 7 set. 2016.
GONÇALVES, Marco Antônio; CESCON, Everaldo. Ética e consumo: o consumo como estratégia 
ético-política. Conjectura: Filos. Educ., Caxias do Sul, v. 18, n. 3, p. 155-165, set./dez. 2013. Dispo-
nível em: <http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/viewFile/2187/pdf_178>. 
Acesso em: 27 ago. 2016.
MANSANO, Josyane; OLIVEIRA, Gisele Lopes de. Reflexões sobre o consumo consciente volta-
das para o desenvolvimento sustentável. Revista de Direito Público, Londrina, v. 6, n. 1, p. 70-90, 
jan/abr. 2011. Disponível em: <http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/direitopub/article/view-
File/8203/9064>. Acesso em: 5 set. 2016.
PERES-NETO, Luiz. Ética, comunicação em contextos organizacionais e a defesa do consumo 
consciente. ANIMUS, Revista interamericana de Comunicação Midiática, v. 12, n. 24, 2013. Dispo-
nível em: <www.ufsm.br/animus>. Acesso em: 6 set. 2016.
Norma SA 8000, NBR 16000 E ISO
Rogerio Chaves
Introdução
A existência de normas que buscam garantir a qualidade de processos e produtos é de conhe-
cimento comum nos últimos anos. As empresas, além de melhorarem seus processos, procuram 
obter a certificação que indica que eles estejam adequados.
Saiba, desde já, que podemos ter normas para gerenciar processos empresariais, como as da 
linha ISO 9000 (GOMES; MORETTI, 2007), e também com fins ambientais, como as da linha ISO 14000. 
Estas séries foram criadas por uma organização internacional que mantém franquias no mundo inteiro, 
chamada ISO, sigla para International Organization for Standardization (Organização Internacional para 
Padronização), e tem como premissa a criação de normas técnicas, processos, classificações e certifi-
cações. No Brasil, sua representante é a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).
A própria ABNT é certificadora de uma importante diretriz para as questões relacionadas aos 
direitos humanos, trabalhistas e de responsabilidade social, que é a NBR 16000. 
Nesta aula, veremos as normas SA 8000 e NBR 16000, e aprofundaremos nossos conheci-
mentos sobre a ISO, suas certificações e serviços.
Objetivos de aprendizagem 
Ao final desta aula, você será capaz de:
 • compreender o conceito de ISO e as certificações mais atuais;
 • entender as vantagens da implantação da Norma SA 8000;
 • reconhecer a abrangência e a importância da NBR 16000.
Bons estudos!
1 ISO
A ISO foi criada em 1947, na Suíça, e mantém sua sede até hoje neste mesmo país, em Genebra. 
Trata-se de uma Organização Não Governamental (ONG), que que visa elaborar padrões internacio-
nais de qualidade empresarial em diversos segmentos, por meio da criação de normas, regulamentos 
e certificações (BALLESTERO-ALVAREZ, 2008). Ela atua praticamente em todos os países do mundo, 
seja por meio de suas filiais, ou de representantes de normas, como a ABNT, no Brasil.
Figura 1 – ISO, padrões internacionais de qualidade. 
Fonte: Imagentle/Shutterstock.com
FIQUE ATENTO!
A ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) também é uma entidade sem fins 
lucrativos. Fundada em 1940, a ONG é colaboradora na criação da própria ISO. A ABNT 
é responsável por normatizações e processos de certificações em âmbito nacional.
Conforme Carpinetti, Miguel e Gerolamo (2010), tais instituições foram criadas devido à 
evolução dos procedimentos de qualidade advindos das práticas empresariais após o final da 
Segunda Guerra Mundial. Com o crescimento da competitividade, as empresas passaram a elabo-
rar análises prévias de qualidade em seus produtos e processos de fabricação, com a finalidade de 
evitar erros e rupturas na atividade produtiva.
FIQUE ATENTO!
A ISO publica diversas normas que apresentam requisitos de gestão de qualidade, 
e que tem por finalidade a certificação de um produto ou processo da empresa. 
No Brasil, essas normas sofrem revisões e são classificadas por meio do Comitê 
Brasileiro de Qualidade (ABNT – CB25).
A ISO possui diversas normas que estão divididas em séries, conforme explica Ballestero-
-Alvarez (2008):
 • ISO/9000 – responsável pelo roteiro das normas ISO 9001, 9002, 9003 e 9004. A mais 
importante é a ISO/9001, que as corporações utilizam para controlar o sistema de qua-
lidade de seus produtos, desde o desenvolvimento até o serviço. A última versão publi-
cada é a de 2008 (MELLO et al, 2009).
EXEMPLO
Um exemplo de aplicação da ISO 9000 diz respeito aos selos de certificação, ou 
seja, a empresa certificada pode demonstrar publicamente em suas dependências, 
anúncios e até mesmo embalagens e propagandas de marketing que é certificada 
por uma norma ISO. Isto traz bastante prestígio para a corporação.
 • ISO 14000 - foi elaborada para conscientizar as empresas em relação aos efeitos que 
suas atividades podem provocar no meio ambiente, seja pelo descarte de produtos, 
processo produtivo ou interno, ou os impactos causados ao ar, solo, água, por meio da 
emissão de poluentes (GOMES; MORETTI, 2007).
EXEMPLO
Na empresa Petrobras, um exemplo de ação ambiental ligada à ISO 14000 são 
os projetos paralelos, os quais demonstram que além de cumprir com as normas

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.