A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Introdução à fisiologia endócrina

Pré-visualização | Página 1 de 1

Fisiologia – Aires: Capítulo 64 
Maria Luíza Lacerda – 11/04/21 
 
 
• Funções do sistema endócrino: 
o Fluxo de informações entre as células 
o Garantir a reprodução 
o Crescimento e desenvolvimento 
o Garantir a homeostase 
• Participam da ação endócrina: 
o Célula secretora = síntese e 
secreção dos hormônios 
o Célula-alvo = reconhece o hormônio 
e gera a resposta 
• Melhor conceito ATUAL = “substância 
química não nutriente capaz de 
conduzir uma determinada informação 
entre células” 
 
• Glândulas endócrinas 
o Capazes de produzir substâncias 
que agem à distância 
o Secreção lançada no meio interno 
o Gônadas, pâncreas, suprarrenal, 
tireoide, paratireoide e hipófise 
o Diferentes tipos celulares podem 
estar presentes e um tipo celular 
pode produzir mais de 1 hormônio 
o Pode haver células dispersas que 
não formam tecido especializado 
(ex.: células de síntese e secreção 
de calcitonina localizadas no 
parênquima da tireoide) 
o Quase todos os tipos celulares do 
organismo podem produzir hormônios 
(ex.: coração-hormônio natriurético 
atrial, rins-renina) 
o Grande interação com o sistema 
nervoso (principalmente do SNC) 
o Acetilcolina, norepinefrina, epinefrina 
 
• Sistemas hormonais clássicos 
o Sistema endócrino = hormônio vai 
pela corrente sanguínea para agir 
em uma célula-alvo distante 
 
o Sistema parácrino = hormônio age 
nas células vizinhas à secretora pelo 
interstício 
o Sistema autócrino = hormônio 
secretado age na própria célula 
secretora 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Ações neuroendócrinas = 
neurotransmissores e peptídeos 
secretados por neurônios 
• Sistemas hormonais não clássicos 
o Criptócrino = secreção e ação em 
um sistema fechado (ex.: células de 
Sertoli e espermátides) 
o Justácrino = hormônio passa a 
integrar a membrana plasmática (ex.: 
fatores de crescimento = EGF, TGF) 
o Intrácrino = síntese e ligação 
ocorrem dentro da própria célula → 
hormônio não sai da célula secretora 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
• Hormônios hidrossolúveis 
o Hormônios proteicos 
o Síntese depende da disponibilidade 
intracelular de aminoácidos e das 
enzimas para metabolização → 
segue os princípios básicos da 
síntese de proteínas 
 
o Para hormônios de dupla cadeia = 
apenas um gene codifica o 
hormônio, que após o processo pós-
traducional se divide em várias 
sequências (ex.: insulina → 
proinsulina) OU dois genes 
expressam duas proteínas distintas 
(ex.: TSH) 
o Membrana plasmática é impermeável 
aos HO hidrossolúveis → secreção 
por vesículas que fazem exocitose 
o Solubilizam-se no interstício e no 
sangue → livre circulação 
(exceções: hormônio do crescimento 
e IGF’s circulam ligados a proteínas) 
o Fígado e rim = ricos em enzimas 
proteolíticas → degradação dos 
hormônios proteicos 
o Meia-vida curta 
o Metabolização/degradação dos 
hormônios na célula-alvo por 
lisossomos → internalização do 
complexo hormônio-receptor 
o Hormônios hidrossolúveis apresentam 
receptor na membrana 
(lipoproteica) da célula-alvo 
• Hormônios lipossolúveis 
o Hormônios esteroides 
o Síntese depende do aporte do 
substrato lipídio e da presença de 
enzimas para metabolização 
o Conversões enzimáticas para gerar 
metabólitos 
o O tipo de HO depende das enzimas 
o Glicocorticoides = metabolismo dos 
carboidratos 
o Mineralocorticoides = balanço 
hidroeletrolítico 
o Andrógenos = reprodução masculina 
o Progesterona e estrógenos = 
reprodução feminina 
o Não são armazenados em 
vesículas = secretados por difusão 
na membrana ao longo da síntese 
o Precisam se ligar a proteínas 
carreadoras (hidrossolúveis) para 
se locomoverem pelo interstício = 
globulinas, albumina 
o A ligação impede sua 
disponibilidade à célula-alvo 
o 1% do hormônio na forma livre 
(biologicamente ativo) → entram em 
contato com a membrana e se 
difundem para o meio intracelular 
o Receptores intracelulares nas 
células-alvo 
o Podem formar metabólitos ativos 
(testosterona → estrógeno) ou 
inativos (conjugação ou sulfatação 
no fígado) 
• A maioria utiliza o mecanismo de 
feedback negativo 
• Tônus inibitório = aumenta com o 
aumento da concentração do hormônio 
(redução da síntese e secreção) e 
diminui com a diminuição do mesmo 
(aumento da síntese e secreção) 
• Concentração oscila em torno de um 
valor constante = manutenção do 
equilíbrio de secreção 
• Ritmo de secreção pode variar 
(circadiano, infradiano) 
• A secreção tem caráter pulsátil, 
proporcionando repouso para a célula 
secretora e preservando o efeito 
biológico do hormônio 
• Eixo hipotálamo-hipófise-glândula 
periférica 
o Ex.: T3(ativo) inibe a produção de 
TRH e TSH; problemas na tireoide = 
↓T3 e ↑TSH, problemas no hipotálamo 
ou na hipófise = ↓T3 e ↓THS 
• Ação sistêmica: 
o Célula endotelial dos vasos 
sanguíneos = fatores relaxantes 
derivados do endotélio (EDRF) e 
fatores constritores derivados do 
endotélio (EDCF) 
o Tecido adiposo branco = 
substâncias de ação parácrina e 
endócrina 
o Todos os tecidos do organismo são 
capazes de produzir hormônios com 
atividade pelo menos autócrina ou 
parácrina 
• Fatores de crescimento genéricos = EGF, 
TGF-β, FGF, IGF etc. 
• Fatores de crescimento específicos do 
sistema hematopoiético = eritropoetina, 
CSF e interleucinas 
• Fatores de crescimento relacionados 
com as respostas imune e inflamatória = 
CSF, interleucinas, MHC, miscelânea (TNF 
e interferons) 
• Diabetes melito = falha na secreção ou 
na ação da insulina 
• Uso indevido de hormônios 
• Doenças endócrinas envolvem aumento 
ou diminuição da atividade de um HO 
o Elevando ou abaixando a 
concentração no sangue 
o Estimulando ou inibindo os fenômenos 
dos mecanismos de ação 
• Terapia de reposição hormonal 
o Obtenção a partir de humanos = 
eficaz, mas não abundante 
o Síntese de hormônios sintéticos 
o Fármacos que estimulam a ação 
hormonal 
o Análogos hormonais 
o Medicamentos ligantes de 
receptores com atividade agonista 
• Hormônios proteicos devem ser injetados 
no subcutâneo, pois há perda de 
função se administrados por via oral 
• Em casos de produção excessiva 
(alteração neoplásica): 
o Tumores são tratados cirurgicamente 
o Substâncias inibidoras de secreção 
ou com ligantes de receptor com 
atividade antagonista