A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Angiospermas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Gra����le� Náta��y 1
Biologia 2
An�i��p���a
Pri���p�i� C���c�e�ís�i��s
• São vasculares e possuem raiz, caule,
folhas, sementes, flores e frutos (proteção)
• Também não necessitam de água para
que ocorra a fecundação. Suas flores
produzem o néctar (solução açucarada)
que atrai animais, que acabam
polinizando-as
• Da união dos gametas, forma-se o
embrião → Dentro da semente
• Após a fecundação, o ovário da flor se
desenvolve e se transforma em fruto com a
semente dentro. A semente nutre e protege
o embrião.
• É o grupo mais recente e mais abundante
da terra. Esse sucesso na dispersão se deve
ao fato de que todas as flores possuem
ovários, ou seja, produzem frutos, uma
estrutura que além de proteger a semente
serve como elemento de atração para os
animais dispersores de sementes
A Flo� ��� An��o�p����s
• Antera → Local onde são produzidos os
grãos de pólen que contém o gameta
masculino
• Oosfera → Local onde são produzidos os
gametas feminino
• Pétala → Muda de cor, parte colorida
• Sépala → Planta de proteção à pétala
Órgãos reprodutores:
• Androceu → Órgão masculino, formado
pelos estames que são compostos por filete
e antera
↪ Estames → Apêndices da flor que
produzem micrósporos que desenvolvem os
grãos de pólen → 2 partes: antera e filete
• Gineceu → Órgão feminino, formado pelo
estigma, estilete e ovário
↪ Carpelos → Estigma: porção apical onde o
pólen é depositado na polinização.
→ Estilete: eixo de sustentação do estigma,
nele cresce o tubo polínico
↪ Ovário → Produz e armazena os óvulos
→ Óvulo: Megasporângio produz megásporo
Rep����ção S�x�a��
• Na reprodução sexuada ocorre a
megasporogênese → Processo que conduz
a formação do saco embrionário
↪ O megasporócito (2n) sofre meiose e
origina quatro megásporos (n), 3
degeneram e fica o megásporo funcional. O
núcleo do megásporo sofre três mitoses e
origina oito núcleos haplóides. Três deles
formam células denominadas antípodas,
duas formam as sinérgides, duas ficam na
central e são os núcleos polares e uma
forma a oosfera.
Rep����ção As����ad�
• Propagação vegetativa → Desenvolvimento
de gemas (células novas) presentes em
diversas partes da planta como raízes,
caule e folhas
Aut����un��ção � F�cu���ção Cr����a
• Autofecundação → Uma planta poliniza ela
mesma → Diminui a variabilidade genética
Gra����le� Náta��y 2
• Fecundação Cruzada → Fecundação entre
gametas de organismos diferentes →
Aumenta a variabilidade genética
Estratégias das angiospermas para não
ocorrer a autofecundação:
• Dicogamia → Amadurecimento dos ovários
e dos estames em épocas diferentes
• Hercogamia → Barreira física para o pólen
• Heterostilia → A
posição do estame
ou estigma varia
↩
• Incompatibilidade
genética → Não é compatível com os grãos
de pólen da mesma planta
Cic�� �� Vid� ��� An�i��p���as
• Inicia-se com a polinização, ou seja,
transferência do pólen da antera para o
estigma
• O grão de pólen tem uma célula
vegetativa e uma geradora, a qual se divide
e forma os dois gametas (n) masculinos, a
vegetativa forma o tubo polínico
• No saco embrionário (gametófito maduro)
encontra-se 8 núcleos (megasporogênese)
• Ocorre dupla fecundação, um se une à
oosfera (n = 2n) e o outro se une aos dois
núcleos polares (n + n) formando o
endosperma (3n) → Temporário, é a nutrição
do embrião
• Depois as sinérgides e as antípodas
degeneram-se e o zigoto (2n) se desenvolve
Para Resumir:
↪ Vasculares
↪ Espermatófitas (contém semente)
↪ Fanerógama (flor com estrutura
reprodutora visível)
↪ Sifonógamas (contém grão de pólen e
tubo polínico)
↪ Tem frutas protegendo a semente
↪ Fase esporofítica duradoura