A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
prevenção Feridas Crônicas

Pré-visualização | Página 1 de 2

GUIA PARA PREVENÇÃO DA
LESÃO POR PRESSÃO
GUIA PARA PREVENÇÃO DA LESÃO POR PRESSÃO:
ORIENTAÇÕES PARA PACIENTES ADULTOS E FAMILIARES
O Q U E É L E S Ã O P O R P R E S S Ã O ?
C O M O S E F O R M A ?
L O C A I S D E F O R M A Ç Ã O
FA T O R E S D E R I S C O
C U I D A D O S C O M A P E L E
C U I D A D O S C O M O R E P O S I C I O N A M E N T O
C U I D A D O S C O M A E S C O L H A D O C O L C H Ã O
O R I E N T A Ç Õ E S Q U A N T O A C A D E I R A D E R O D A S
R E V I S Ã O
IDENTIFICAR, PREVENIR E EVITAR O AGRAVAMENTO DA
LESÃO POR PRESSÃO.
 
http://eerp.usp.br/feridascronicas/$4
http://eerp.usp.br/feridascronicas/$5
javascript: zoom(menos)
javascript: zoom(mais)
A Lesão por Pressão, conhecida anteriormente como úlcera por pressão ou escara, é um problema sério
que pode causar consequências negativas, como dor, tempo de internação mais prolongado, aumento de
custos com o tratamento e dificultar a recuperação da saúde. Todas as pessoas com limitação de
movimento que ficam restritas à cadeira, cama ou cadeira de rodas devido às doenças ou paralisias podem
ter Lesão por Pressão, no entanto, grande parte pode ser evitada com cuidado adequado. Quando as lesões
se formam, a prevenção e tratamento corretos podem impedir que elas piorem.
Este manual descreve como as lesões se formam e podem dizer se você, ou a pessoa que você está
cuidando se encontram em risco de ter o problema. O material também auxilia como você deve prevenir a
Lesão por Pressão ou evitar o seu agravamento, e sugere ainda como se deve trabalhar de maneira eficaz
com a equipe de saúde.
O q u e é L e s ã o p o r P r e s s ã o ?
A Lesão por Pressão é um dano localizado na pele e/ou em tecidos mais profundos, podendo alcançar
músculos e ossos, ocorre como resultado da pressão intensa, geralmente sobre proeminências ósseas ou
relacionada ao uso de dispositivo médico (sondas, cateteres e outros). Elas variam em gravidade: de lesão
estágio 1, quando somente a pele está avermelhada, ao estágio 4 com lesões profundas até músculos e
ossos. As lesões podem ser vistas ainda em forma de bolha na pele, mancha roxa e depois de certo tempo,
se o problema continuar, ficam escuras e formam uma crosta, conhecida como escara.
Lembre-se que o sinal de vermelhidão na pele íntegra já indica o desenvolvimento da lesão. Este sinal
pode ser difícil de visualizar em pessoas com a pele de tonalidade mais escura, porém ela pode ficar mais
endurecida.
Figura 1:
 
C o m o s e f o r m a a L e s ã o p o r P r e s s ã o ?
A pressão não aliviada na pele comprime os pequenos vasos sanguíneos que fornecem nutrientes e
oxigênio. Quando a pele fica sem nutrientes e oxigênio por muito tempo, os tecidos morrem e a lesão se
forma. É importante saber que a vermelhidão na pele que desaparece após a mudança de posição e a
pressão ser removida é normal e indica que não é uma Lesão por Pressão.
Figura 2:
Fonte: CALIRI, 2018.
 
Quais são as causas do surgimento da Lesão por Pressão?
Vários fatores podem causar Lesão por Pressão. O fator principal é a imobilidade da pessoa acamada
ou em cadeira de rodas. Outro fator é a falta de sensibilidade. Os dois juntos são as causas principais da
lesão. Nas pessoas com sensibilidade normal, os nervos normalmente "dizem" para o corpo quando é
necessário movimentar-se para aliviar a pressão da pele. Porém algumas doenças ou problemas de saúde
comprometem essa capacidade do organismo sentir dor ou incômodo. Às vezes as pessoas estão com
sensibilidade normal, porém não conseguem se mover sozinhas. As pessoas na cama que são incapazes
de mover-se com frequência, podem desenvolver as lesões após terem ficado na mesma posição por uma a
duas horas apenas. Aquelas pessoas que ficam sentadas e que não podem mover -se, podem desenvolver o
problema em um tempo ainda menor, porque a força da pressão na pele e músculos é ainda maior na
posição sentada. Também a presença da incontinência urinária e fecal (perda de urina e fezes) assim como
o estado nutricional podem influenciar no aparecimento da lesão.
A forma como os cuidadores/familiares cuidam influenciam no desenvolvimento da lesão?
Sim, os fatores externos também colaboram para o surgimento da lesão, como a maneira de deixar a
pessoa na cama ou cadeira, a forma de movimentá-la e os cuidados com a pele.
Por exemplo, a pessoa que está acamada com a cabeceira da cama elevada, frequentemente escorrega
para os pés da cama, ou se está sentada em uma cadeira, pode escorregar para baixo. Estes movimentos
podem fazer os vasos sanguíneos se esticarem ou dobrarem-se impedindo a circulação do sangue até os
tecidos causando, assim, a Lesão por Pressão.
As pesquisas recentes mostram que fazer massagem em locais de proeminências ósseas já
avermelhadas, assim como, o atrito durante as mudanças de posicionamento e o uso de almofadas com
um buraco no meio podem iniciar ou agravar a Lesão por Pressão. Se a pessoa mudar ou for mudada de
posição com frequência e fizer uso de cremes hidratantes diariamente nas regiões com proeminências
ósseas vai colaborar para evitar o surgimento da lesão.
Q u a i s s ã o o s l o c a i s d e f o r m a ç ã o d a L e s ã o p o r P r e s s ã o ?
As lesões se formam nos locais onde os ossos causam maior pressão na pele e tecidos. Isto pode
ocorrer quando as partes ósseas do corpo exercem pressão prolongada contra outras partes do corpo ou
contra o colchão da cama, maca ou contra a cadeira. Se a pessoa precisa ficar na cama, de costas, a maior
parte das lesões se formam na região baixa das costas (sacro), nádegas e calcanhares. Se fica mais na
posição lateral, as lesões vão ocorrer principalmente na região superior da coxa (trocânter) e no lado do pé
(maléolo).
Para aqueles que utilizam cadeira de rodas e passam a maior parte do tempo sentados, o ponto onde a
lesão vai se formar, depende da posição em que a pessoa fica sentada, o mais comum é na região
isquiática (osso da bacia), mas pode também acometer o cóccix e o sacro.
As lesões podem se formar também nos joelhos, ossos do ombro, parte posterior da cabeça e espinha.
Figura 3: Regiões corporais com aumento da pressão com o paciente em decúbito dorsal
Fonte: CALIRI, 2018.
 
P o n t o s d e p r e s s ã o : O s f a t o r e s d e r i s c o p a r a o d e s e n v o l v i m e n t o d a L e s ã o p o r
P r e s s ã o
Os fatores de risco que contribuem para o desenvolvimento da Lesão por Pressão se relacionam às
pessoas restritas à cama ou cadeira de rodas, incapazes de mover-se, com falta de lucidez mental, não ter o
controle da bexiga e intestino, ter uma nutrição pobre (não se alimentar bem).
 
 
C u i d a d o s c o m a p e l e
A pele deve ser examinada pelo menos uma vez ao dia. Preste atenção especial a qualquer área que
permaneça avermelhada após você mudar de posição. Uma sugestão para os cuidadores é realizar a
observação durante o banho. Você pode usar um espelho para ajudar a ver as áreas difíceis de serem
observadas. É preciso evitar também o posicionamento sobre estas áreas avermelhadas. O objetivo é
encontrar e corrigir os problemas antes que as lesões se desenvolvam ou apareçam.
Nos casos de ausência do controle urinário e fecal, a troca das fraldas deve ocorrer com frequência,
sempre após as eliminações, para reduzir o contato da pele com urina e fezes. Também pode ser útil usar
um creme, pomada ou loção que protejam a pele contra umidade da urina, evacuação ou secreção da lesão.
Para manter a pele livre desses fluídos, sugere-se a limpeza com pano macio ou esponja suave. Durante
o banho deve-se ter atenção em relação a temperatura da água, dando preferência a água morna, e o tipo de
sabão a ser utilizado deve ser neutro para evitar o ressecamento da pele, também observar e controlar a
força empregada na higiene. Para prevenir o ressecamento da pele, use cremes hidratantes e evite que a
umidade da urina, evacuação, suor ou secreção de uma ferida entre em contato com