A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Desenvolvimento - Puericultura

Pré-visualização | Página 1 de 2

Desenvolvimento - Puericultura
Profª Raquel Calheiros - Medicina Ufal - 2021
INTRODUÇÃO
Os desenvolvimentos físico, psicossocial e cognitivo não ocorrem
de maneira isolada. Eles se relacionam e dependem uma da outra.
Uma falha em algum desses setores, interfere no outro.
Transformação complexa, contínua, dinâmica e progressiva:
● Maturação
● Aprendizagem
● Aspectos psíquicos
● Aspectos sociais
A interação com o meio ambiente, de tudo que nos cerca, é crucial
para o desenvolvimento e formação do indivíduo.
O início do desenvolvimento começa ainda intra útero, a partir da
formação do sistema nervoso central.
Embrião: até 8 semanas. Agravos nessa época podem comprometer
significativamente o desenvolvimento do SN, principalmente devido
ao não fechamento adequado do tubo neural.
Feto: a partir da 9ª semana. Nessa época ainda podem ocorrer
agravos, mas não comprometerão tão gravemente o
desenvolvimento. Entretanto, pode haver sequelas importantes
como retardo mental etc.
● 3ª semana: placa neural.
● 8ª semana: estrutura grosseira do SNC. Migração
neuronal → diferenciação celular. Já há contrações
musculares.
● 13ª semana: movimentos de respiração e deglutição.
● 17ªsemana: esboço do reflexo de preensão.
● 20ª semana: mielinização. Começa a haver transmissão
de estímulo nervoso.Conexões sinápticas entre axônios e
dendritos.
● 26ª semana: abertura ocular.
● 3º trimestre: aumento da FC e movimentos corporais em
resposta a estímulos externos. Ex.: resposta a voz do pai,
com barulho, estímulo na parede abdominal...
● Nascimento: SNC formado.
PRINCIPAIS MARCOS DO DESENVOLVIMENTO
O desenvolvimento obedece estágios sequenciais. Dessa forma, é
esperado determinados marcos em determinadas idades. Existem
janelas de normalidade em que tal marco pode acontecer.
A aquisição de etapas predeterminadas ocorre em sentido
craniocaudal, próximo-distal e de atividades globais a específicas.
Algumas idades são muito importantes para que as crianças sejam
avaliadas, pois é quando ocorrem vários marcos significativos.
● Nascimento
● 9 meses - fase de muitas aquisições motoras
● 18 meses - aquisições motoras finas, aprimoramento de
linguagem…
● 30 meses - fase de interação social.
Existem janelas em que esses marcos podem aparecer.
Puericultura 2021 Adriely Blandino 82A
15 dias: principal avaliação: reflexos.
Reflexos primitivos que vão desaparecendo com o passar da idade.
O RN tem predomínio do tônus flexor - mãos fechadas,
braços/membros inferiores fletidos… assimetria postural.
Reflexos a serem testados: apoio plantar, sucção e pressão palmar,
cutâneo plantar, reflexo de Moro (soltar o braços - reflexo do
abraço), reflexo tônico cervical…
Escolher 3 ou 4 para avaliar se estão presentes.
A maioria dos reflexos desaparecem com 3 a 6 meses.
1 mês: entre 1 e 2 meses - percepção melhor de um rosto, medida
com base na distância entre o bebê e o seio materno.
2 meses: entre 2-3 meses: sorriso social. Mostra o início da
interação social.
2-4 meses: bebê fica de bruços, levanta a cabeça e os ombros, com
o apoio do antebraço - indica bom tônus da musculatura cervical.
Inicia-se a amplificação do seu campo de visão (o bebê visualiza e
segue objetos com o olhar).
4 meses: preensão voluntária das mãos.
Entre 4 e 6 meses: o bebê vira a cabeça na direção de uma voz ou
objeto sonoro.
Aos 3 meses o bebê adquire noção de profundidade. Quando
começa tentar pegar os objetos.
6 meses: noção de permanência do objeto. Ele sabe que o objeto
que sumiu vai reaparecer. “Pique-esconde”.
7 meses: o bebê senta sem apoio.
Entre 6 e 9 meses: o bebê arrasta-se, engatinha.
Entre 6 e 8 meses: o bebê apresenta reações a pessoas estranhas.
Começa a demonstrar preferências.
9 meses: entre 9 meses e 1 ano: o bebê engatinha e anda com
apoio.
10 meses: o bebê fica em pé sem apoio.
12 meses: entre 1 ano e 1 ano e 6 meses: o bebê anda sozinho.
Em torno de 1 ano: o bebê possui a acuidade visual de um adulto.
15 meses: entre 1 ano e 6 meses a 2 anos: o bebê corre ou sobe
degraus baixos.
2 anos: entre 2 e 3 anos o bebê diz seu próprio nome e nomeia
objetos como seus.
O bebê reconhece seu reflexo no espelho. Começam as brincadeiras
de “faz de conta” - importante estimular.
Entre 2-3 anos: os pais devem começar aos poucos a retirar as
fraldas do bebê e ensiná-lo a usar o penico.
4 a 6 anos: entre 3 e 4 anos a criança já veste-se com auxílio.
Entre 4 e 5 anos: a criança conta ou inventa pequenas histórias.
O comportamento da criança é predominantemente egocêntrico,
porém, com o passar do tempo, outras crianças começam a se
tornar importantes.
A partir dos 6 anos: a criança começa a pensar com lógica.
Fase das perguntas. Aumento progessivo da memória e habilidade
com a linguagem.
Ganhos cognitivos e educação formal. A escola é muito importante
nessa fase. Autoimagem se desenvolve, afetando sua autoestima e,
consequentemente, desenvolvimento emocional.
Os amigos assumem importância fundamental.
Início do compreendimento do que é gênero. A segregação entre os
gêneros é muito comum nessa idade.
Puericultura 2021 Adriely Blandino 82A
De 7 a 9 anos: a partir dos 7 anos a criança começa a
desenvolver o julgamento global de autovalor, integrando sua
autopercepção, “fechando” algumas ideias sobre quem ela é e
como deve ser.
A influência dos amigos adquire grande importância, enquanto a
influência dos pais diminui.
10 anos: ocorrem mudanças relacionadas à puberdade e há um
estirão de crescimento (primeiro nas meninas, em torno dos 11
anos e, depois, nos meninos por volta de 13 anos).
AVALIAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO
A avaliação acontece de 2 formas: tanto pelo profissional quanto
pelo que os pais trazem.
Profissional:
● Observar e detectar marcos do desenvolvimento - logo
quando a criança entra no consultório já é possível fazer
essa análise.
● Interação.
Pais:
● Preocupação.
● Marcos do desenvolvimento e comportamento.
● Fatores de risco - se foi exposto a algum fator de risco
durante a infância, que possa ter gerado atraso no
desenvolvimento.
● Interação - como é a interação da criança com os pais,
outros adultos e crianças?
FATORES DE RISCO PARA ATRASO DO DESENVOLVIMENTO
● Baixo peso ao nascer
● Prematuridade
● Hipóxia perinatal - o bebê passa por um sofrimento
fetal e durante o momento do parto sofre asfixia - falta
O2 no cérebro. APGAR baixo, necessidade de reanimação
na sala de parto…
● Infecções congênitas - toxoplasmose,
citomegalovirose congênita, sífilis congênita….
TESTE DO DESENVOLVIMENTO DE DENVER
Instrumento de triagem. Não dá diagnóstico. É dividido em 4
grupos: pessoal-social, motor-adaptativo, linguagem e motor.
Analisa marcos relacionados à idade.
Escolhe 2 ou 3 marcos de cada grupo para avaliar.
Se ele não faz os marcos daquela idade, é necessário reavaliar de
acordo com a idade. Não é necessária investigação caso a criança
não faça todos os marcos daquela idade, desde que ela faça a
maioria.
CADERNETA DA CRIANÇA
Evoluiu com o passar do tempo. Vigilância do desenvolvimento da
primeira infância.
Tem os marcos descritos e a explicação de como avaliar.
OBS.: Ao avaliar a criança, também é importante analisar os outros
fatores: saúde mental, ambiente psicossocial, relação com o meio
ambiente…
DIAGNÓSTICO DO DESENVOLVIMENTO
Normal: todos os marcos para a faixa etária estão presentes.
Importante elogiar a mãe/cuidador e incentivar que continue
acompanhando e indo aos serviços de rotina para continuar o
monitoramento.
Desenvolvimento normal com fatores de risco: tem todos os
marcos mas existem 1 ou mais fatores de risco. Elogiar a mãe e
orientar sobre quais condutas são importantes para continuar
Puericultura 2021 Adriely Blandino 82A
estimulando a criança, Informar quais são os sinais de alerta para
que ela procure o serviço de saúde.
Alerta para o desenvolvimento: não tem atraso. Ausência de um
ou mais marcos do desenvolvimento para sua faixa etária. Ele pode
estar dentro da janela ainda. Orientar a mãe sobre como estimular
a criança e reavaliar depois de 30 dias.
Provável atraso de desenvolvimento: se a criança