A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Regulação da pressão arterial

Pré-visualização | Página 1 de 1

MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
Regulação da 
pressão arterial 
• O organismo possui mecanismos 
homeostáticos que regulam a pressão 
arterial: 
• Se o indivíduo perder volume, por 
motivos de diarreia por exemplo, o 
centro vascular do bulbo reconhece e 
envia uma descarga adrenérgica para 
que haja uma constricção arteriolar, que 
impõe uma resistência, e 
consequentemente, o coração 
contraindo contra essa resistência, a 
pressão aumenta. 
• Se o indivíduo bebe uma quantidade de 
água muito grande, essa água é 
absorvida e chega no meio vascular, 
então a pressão arterial começa a subir e 
também dilui o sangue. 
• Se o individuo consome muito sal, o rim 
começa a liberar muito sal, assim como 
se ele consumir muita água, para que 
não haja variação da pressão arterial. 
• Ao levantar da cama subitamente da 
cama após o sono, a pressão de antes 
não é suficiente para conduzir o fluxo 
sanguíneo ao cérebro, assim, há alguns 
segundos de tontura. 
 
 Lembrando que a pressão arterial média 
depende do débito cardíaco e da 
resistência periférica total 
RESISTÊNCIA ARTERIOLAR TOTAL 
REGULANDO A PRESSÃO ARTERIAL 
 
• As arteríolas têm uma constrição (esfíncter 
pré-capilar) e depois delas o sangue flui 
para os órgãos 
• Diante de uma certa atividade, um dos 
órgãos passa a ter uma hiperfunção, 
consequentemente, há uma dilatação, 
fazendo o sangue ser sequestrado 
prioritariamente para esse órgão, enquanto 
os outros recebem uma quantidade menor 
de sangue. Depois de um certo tempo 
ocorre um equilíbrio, pois as artérias vão se 
“esvaziando”, a arteríola está dilatada, a 
pressão começa a decair e o volume dos 
outros vasos passam a compensar 
HEMORRAGIA (PERDA DE SANGUE) 
↓ Volume sanguíneo 
↓ Pressão venosa 
↓ Retorno venoso 
↓ Pressão atrial 
↓ Volume diastólico final ventricular 
↓ Volume de ejeção 
↓ Débito cardíaco 
↓ Pressão arterial 
AJUSTES RÁPIDOS DA PRESSÃO ARTERIAL 
• Baroceptores Periféricos 
• Centro Cardiovascular Bulbar 
• Outros Baroceptores 
• Quimiorreceptores Centrais e Periféricos 
→ Reflexos Baroceptores: em grandes vasos 
arteriais, como o arco da aorta ou a bifurcação 
das carótidas, têm-se células (receptores de 
pressão) que conseguem identificar o valor da 
pressão arterial e enviam impulsos para o centro 
cardiovascular do bulbo, para que ele possa dar 
uma resposta através do sistema nervoso 
autônomo simpático, e tentar reduzir a pressão 
arterial 
 
MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
OBS: Quando se massageia o pulso carotídeo, 
se promove uma pressão no seio da carótida, 
então os barorreceptores entendem que a 
pressão está alta e enviam a informação para o 
centro cardiovascular do bulbo, que vai 
promover uma diminuição da pressão arterial 
OBS: Hemorragia: 
↓ Pressão arterial e ↓ disparos dos baroceptores 
arteriais 
 
↓ descarga parassimpática do coração (provoca 
aumento da frequência cardíaca, aumento do 
débito cardíaco e aumento da pressão arterial) 
Ou 
↑ descarga simpática do coração (provoca 
aumento da frequência cardíaca, aumento do 
volume de ejeção, aumento do débito cardíaco 
e aumento da pressão arterial) 
Ou 
↑ descarga simpática para as veias (aumento da 
constrição das veias periféricas, aumento da 
pressão venosa, aumento do retorno venoso, 
aumento do volume diastólico final, aumento do 
débito cardíaco e aumento da pressão arterial) 
Ou 
↑ descarga simpática para as arteríolas 
(aumento da constrição nas arteríolas, aumento 
da resistência periférica total e aumento da 
pressão arterial) 
CENTRO CARDIOVASCULAR BULBAR 
• Recebe os disparos e promove a resposta 
 
OUTROS BARORECEPTORES 
• Grandes veias sistêmicas 
• Vasos pulmonares 
• Paredes do coração (ANP) 
QUIMIORRECEPTORES CENTRAIS E 
PERIFÉRICOS 
• Existem receptores químicos que 
conseguem verificar a presença de O2 e de 
CO2 (O2 nos vasos sanguíneos e CO2 no 
tronco encefálico) 
• Sempre que ocorre uma quantidade muito 
baixa de oxigênio, as células glomosas 
identificam que há pouco O2 e estimulam 
o centro cardiovascular do bulbo, que vai 
promover um aumento de pressão 
• Se tem muito CO2 no líquido 
cefalorraquidiano, essa hipercapnia induz o 
centro cardiovascular do bulbo a aumentar 
a pressão, estimulando o sistema nervoso 
simpático e inibindo o parassimpático. O 
CO2 tem uma ação mais forte do que o O2 
 
 Centrais (CO2) 
 Periféricos (O2) 
 
 
 
 
 
 
MARÍLIA ARAÚJO – P2 MEDICINA 
 
AJUSTES DA PRESSÃO ARTERIAL A LONGO 
PRAZO 
• Mecanismo de regulação renal 
 
• Quando o indivíduo tem o aumento na 
pressão arterial, o aumento da perda 
urinária de sódio e de água acontece pelo 
sistema renina angiotensina → com o 
aumento da pressão, a mácula densa do 
rim identifica esse aumento e vai fazer com 
que haja uma diminuição na produção de 
renina, e consequentemente, há uma 
diminuição de toda a ação do sistema 
renina angiotensina, que reabsorve sódio 
 O angiotensinogênio é produzido no 
fígado, é convertido em angiotensina I pela 
renina, que é convertida em angiotensina II 
pela ECA. A angiotensina II tem uma série 
de mecanismos do organismo, no sentido 
de aumentar a pressão arterial, como 
promover a vasoconstrição periférica. Além 
disso, a angiotensina II estimula o rim a 
produzir aldosterona, que reabsorve sódio 
 
 Mesmo raciocínio no sentido inverso