A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
DIREITO COLETIVO DO TRABALHO

Pré-visualização | Página 1 de 1

De que forma podemos comparar o histórico sindical a esta informação 
retirada do site da OIT?
A origem das Organizações Sindicais no mundo está diretamente relacionada
ao contexto da Industrialização e a sedimentação do Capitalismo na Europa, quando
ocorreu a Revolução Industrial. Surge uma grande polarização na Sociedade, a
dividindo em duas grandes Classes: burguesia (tomador do serviço) e proletariado
(trabalhadores), totalmente antagônicas no que diz respeitos aos seus interesses. É
a partir daí que surge a necessidade dos trabalhadores de se reunirem com o
escopo de confrontar os empregadores e reivindicar melhores condições de trabalho
e salário.
No Brasil, a Origem dos Sindicatos se dá na migração destes trabalhadores
Europeus no final do século XIX, os quais já possuíam experiência de trabalho
assalariado e relativos direitos trabalhistas já conquistados em seu antigo país.
Na década de 90, a OIT (Organização Internacional do Trabalho) formalizou o
Conceito de trabalho Decente, sendo este, em síntese, o trabalho realizado de forma
livre e segura, remunerado de forma adequada, capaz de garantir uma vida digna ao
trabalhador. O trabalho decente é o ponto de harmonia entre um dos objetivos
estratégicos da OIT, qual seja, o respeito aos direitos fundamentais do trabalho,
onde se insere a liberdade sindical. 
O trabalho decente no Brasil se tornou pioneiro na implementação. Várias
instâncias consultivas e deliberativas foram formadas, dessa forma foi possível
construir opiniões importantes ao longo dos anos.
O direito do trabalho é fundamental para o bem estar social. O Brasil vem
progredindo bastante nessas diretrizes em todos os aspectos, sem contar que isso
além de ser bom para o Brasil é também para a economia global.
Feita esta breve análise entre o histórico sindical e a caracterização de
trabalho decente, podemos fazer uma inter-relação entre os dois pontos. É através
da liberdade conferida Constitucionalmente aos trabalhadores para organizarem-se
sindicalmente e reivindicarem seus direitos que os mesmos poderão melhorar suas
condições de trabalho e salário, tendo uma condição de vida digna, garantindo
assim o acesso a direitos sociais mínimos como saúde, educação, lazer,
alimentação, vestuário etc.