A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Pediatria 3

Pré-visualização | Página 1 de 3

RECONHECER A IMPORTÂNCIA DO ALEITAMENTO MATERNO, COMO ELE DEVE SER FEITO E AS NECESSIDADES ALIMENTARES NA INFÂNCIA
Além de diversos benéficos fisiológicos que a amamentação trás, ela promove o desenvolvimento cognitivo e emocional da criança e o bem-estar físico e psíquico do mãe e do filho; diz que uma criança está em amamentado quando ela recebe leite materno (seja direto da mama ou ordenhado) independe de estar recebendo outro alimento, logo pode ser classificado como AM exclusivo (AME): quando a criança recebe somente leite materno, direto da mama ou ordenado, ou leite humano de outa fonte, sem liquido ou sólidos (com exceções de gotas, xaropes, contendo vitaminas, sais de hidratação oral e outros medicamentos) AM predominante: quando a criança começa a ingeri outros líquidos; mas o leite ainda é predominante; AM completando: quando a criança recebe, além do leite materno, qualquer solido ou semissólido com finalidade de completamente o leite materno e não substitui-lo; AM misto: quando a criança recebe leite materno e outros tipos de leite; a OMS, o MS e a SBP recomenda AM por 2 ano de idade, sendo de forma exclusiva nos 6 primeiros meses, informações coletadas em referencias de textos e evidencia bioquímicas de sociedade preá histórica sugerem duração média de 2 a 3 anos de AM para espécie humana, com o desmame ocorrendo naturalmente, além de aparentemente ser o comportamento esperado a espécie humana, a amamentação por 2 anos pode ser mais vantajosa em razão do valor nutritivo do leite materno proteção contra doenças infecciosa, que se mantem enquanto as crianças for amamentada; com relação ao AME, existem evidencia que há vagantes em alimentar as crianças menores de 6 meses com alimentos complementar, na verdade, pode causar prejuízos, com maior chance de adoecer por infecção intestinal e hospitalização por doença respiratório. O leite maduro só é secretado por volta do 10° dia de parto, nos primeiros dias temos o colostro, que contem mais proteínas e menos lipídios e é rico em imunoglobulinas (IgA).A especificidade do anticorpo IgA no leite humano é um reflexo dos antígenos entéricos e respiratório da mãe, que proporciona proteção a agentes infeccioso, o leite materno tem 90% de agua,, o principal carboidratos e é lactose, apresenta leucócitos, lisozima e lactoferrina, além dos macronutrintes e micronutrientes essências para a crianças, rico em lipídios (que aumenta com a mamada, por isso a importância de esvaziar bem mama, o leite posterior – a última mamada- é mais rico em energia), possui proteínas, porem é pobre em vitaminas, tanto que a SBP faz recomendação o uso de vitaminas K ao nascimento vitamina D até os 18 meses para crianças sem exposição ao sol, e suplementação de ferro até 2 anos de idade
Os efeitos do AM sobre a saúde da criança e da mulher que amamenta: redução da mortalidade infantil; redução da incidência e gravidade da diarreia; redução da morbidade por infecções respiratórias; redução de alergias (estudos mostram redução da incidência de asma) ; redução de doenças crônicas (menor incidência de diabetes tipo 2 e colesterol alto); melhor nutrição (o leite apesenta todos os nutrientes essências a criança); redução de obesidade; melhora desenvolvimento cognitivo e inteligência; melhor desenvolvimento da cavidade bucal (ruptura do desenvolvimento motor-oral harmônico); proteção contra doenças da mãe; economia (não amamentar tem implicações financeiras); promoção de vínculo afetivo entre mãe e filho: efeito anticoncepcional nas mulher (mulher apresente período de amenorreia durante amamentação); melhora qualidade de vida, uma vez que as famílias adoecem menos, necessitam de menos atendimentos, hospitalizações e medicamentos, o que pode implicar menos faltas dos pais ao trabalho, bem como menos gastos e situações estressantes. A amamentação deve ser iniciada logo que possível após o parto, a amamentação vai diminuir risco de hemorragia pós-parto, de icterícia no recém-nascido. Um bebe em AME sob livre demanda mama de 8 a 12 vezes por dia (algumas mães costumam entende esse comportamento como fome ou leite fraco e introduz suplementos), o tempo de permanecia em cada mamada não deve ser estabelecido;
Já sobre a alimentação completar a partir dos 6 meses, deve promover com quantidades de agua, macro e micronutrientes por meio de alimentos seguros (risco de alimentos inadequado o que podem contaminar devido e favorece ocorrência de doença diarreica, desnutrição, deficiência de micronutrientes ou obesidade) entre 6 -12 meses o leite materno contribui 50% dessa energia, e em 12 a 24 meses, apenas 1/3 da energia é do leite materno. Os lipídios devem assegura 30% a 45% de energia total, para garantir minerais e vitaminas , alimentação complementar deve conter alta densidade desse nutrientes de forma compensar a pequena ingerida diariamente , a papa principal (mistura múltiplas) deve ser ofereço após os 6 meses, no horários de almoço ou jantar, essa refeição deve conter cereais, leguminosas, carnes, hortaliças, ovos, óleo vegetais , de preferência de soja ou azeite de olivia, (por conterem ômega 6 e 3, devem ser usado em pequenas quantidade) não deve adicionar sal, o ferro é muito importante, sua implantação profilático após os 6 meses. Frutas também deve ser oferecida, amassaras ou raspada, e após dentição, oferece pedacinhos (sucos devem ser evitados), oferece agua potável, é importante a higiene e os lavar da mãos e higiene de alimentos e utensílios. A frequência de alimentar varia conforme a criança, a OMS recomenda 2 a 3 refeições para até 12 meses, e a partir de 4 refeições para até 2 anos, e deve-se evita alimentos ultra processados 
Dos 2 a 6 anos, há um diminuição do velocidade do crescimento; e queda do apetite, os pediatra deve orientar que isso é normal, poisos pias podem confundir com alguma desnutrição ou doença e suplementar ou medicando; nessa fase há um comportamento alimentar imprevisível e variável, a quantidade ingerido em um período pode ser muita e em outros poder ser nula, vai começar a surgir os caprichos alimentos favoritos de ontem são inaceitáveis hoje, se os pais não consideram esse comportamento transitório, pode resulta em distúrbio alimentar , deve ser manter boa alimentação nessa faixa, pois há um impacto alimentar hoje muito grande de comidas processados; após os 3 anos todos os dentes da primeira dentição aparecem, agora a criança pode alimentar de diversos alimentos ,a mastigação é importa para musculatura do rosto, incentivas a alimentação a partir de alimentos cru, como maça e cenoura; mal alimentação pode leva anormalidade bucal e mandibular , nessa idade deve se ter 5 refeições diária, é necessário que nessa idade estabeleça um tempo, se a criança não aceitar alimentos, não deve oferecer substituído. As quantidades devem estar de acordo com as recomendações da crinaças; oferta de líquidos e suco controlado, evitar consumo de guloseimas, fazer higiene bucal, evolver crianças nas tarefas de compras, oferece alimentos ricos em ferro, vitamina A e D e zinco
RECONHECER AS CONSEQUÊNCIAS DAS PRINCIPAIS CARÊNCIAS ALIMENTARAS E NUTRICIONAIS NA 1° INFÂNCIA E A OFERTA DE ALIMENTOS INADEQUADOS
Temos com principais uma das principais carência nutricional, a anemia por carência de ferro, anemia ferropriva, é caraterizado do desequilíbrio de ferro biodispoivivel absorvido a quantidade de ferro que o corpo demanda, após o esgotamento de ferro e do ferro funcional circulante, no momento sãos insuficiente para síntese normal de componentes que depende desse material, há uma diminuição sérica de hemoglobina, que é o último estágio da depleção do ferro, enquanto no primeiro e no segundo estágios , os níveis de hemoglobina permanece inalterado, os sintomas que a criança desenvolve sãos anemia ,apatia, dispneia, intolerância ao exercícios, dificuldade de termorregulação, prejuízo no desenvolvimento físico, fadiga crônica, e até mesmo problema cardíaco, resultado no aparecimento de sopros, há também déficits psicomotores e comportamentais, e alteração da função imune