A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
22 pág.
Cimentos de ionômero de Vidro - CIV

Pré-visualização | Página 2 de 8

mecanismo bacteriano 
REAÇÃO DE PRESA 
É, basicamente, o processo em que ocorre 
desde o início da mistura do material até que ele 
se torne rígido. 
Se inicia com a mistura do pó com o líquido, 
desencadeia uma reação (reação de geleificação) 
É uma reação entre um ácido e uma base que 
formara o sal 
Dividia em 3 fases: ocorrem simultaneamente 
1. Deslocamento de íons e ionização do ácido 
poliacrilico 
2. Formação da matriz de polissais 
Gel de policarboxilato de cálcio 
Gel de policarboxilato de alumínio 
3. Formação do gel de sílica e presa final 
Após a mistura (líquido em contato com o pó), o 
ácido é ionizado na presença de água, resulta: 
 Íons H+ liberados dos grupamentos poliacrilico 
(-COOH = -COO-) 
 Começam a atacar a superfície das partículas 
do pó = dissolução superficial da partícula de 
vidro e a liberação de íons metálicos: 
(Na+, Ca+2 e Al+3) e – (F-) e diminuição do pH 
(1,5) 
 Posteriormente o grupamento carboxílico 
ionizados, irá se unir aos íons metálicos 
caracterizando o início da segunda fase 
Lembre-se - Maior concentração de pó do que 
líquido = 20-30% de partículas atacadas 
 As partículas intocadas conferem 
resistência ao cimento 
A inserção do CIV deve ser feita nessa etapa 
 Presença de grupamentos carboxílicos 
ionizados que poderão unir-se quimicamente 
ao dente 
 Presença de brilho úmido na superfície do 
material indica a presença desses grupos 
(clinicamente) 
Nem todas as cadeias de ácido poliacrilico são 
ionizadas e nem toda água participa dessa 
ionização 
 Pode ficar aderida a estrutura do material 
 E a parte que não participa da reação = 
suscetível a remoção por sinérese 
Reforçando: o ataque dos ácidos só ocorre na 
superfície, ou seja, apenas parte dos íons sofre a 
dissociação 
A formação da matriz ocorre em duas etapas: 
1. O grupamento carboxílico irá se unir ao cálcio 
dando origem ao gel policarboxilato de cálcio 
2. Grupamento carboxílico se liga ao alumínio = 
gel policarboxilato de alumínio 
 
Lembre-se: Os ions de fluor tem pouca afinidade 
quimica com o grupamento carboxilico, ficando 
livre na estrutura do civ, sendo liberado para o 
meio oral = desencadeando suas funçoes 
 DES-RE interferindo no crescimento 
bacteriano 
 
 
 
 
1° Fase: – ionização do ácido poliacrilico e 
deslocamento de íons 
2° Fase: – formação da matriz de polissais 
1. Formação de policarboxilato de cálcio: 
íons de sódio (não participa da reação de presa) e 
cálcio são os primeiros a serem removidos 
 por terem afinidade química com o ácido e 
menos elétrons 
Quanto mais ácido poliacrilico ionizado = + íons H+ 
liberados + deslocamento de íons das partículas 
de vidro 
 E o aumento na concentração de cálcio e 
sódio = precipitação iônica 
Lembre-se: essa formação do gel policarboxilato 
de cálcio é evidenciada nos primeiros 5-8 minutos 
após a mistura pó/líquido 
Precipitação de cálcio: policarboxilato de cálcio, 
que reduz a mobilidade das cadeias e aumenta a 
viscosidade = cimento com aspecto borrachóide 
Transformação do ácido poliacrilico em polissais = 
pequeno aumento no pH 
Dura +/- 4 min, clinicamente: perda de brilho que 
ocorre no cimento 
 Significa que a maioria das cadeias 
poliacrilicas já reagiu com o pó 
 Se o material for inserido nessa fase não 
haverá união química aos substratos 
dentais 
 Já há adesão inicial do cimento a estrutura 
dentaria 
 Inicialmente tem baixa resistência e rigidez 
Cimento sensível ao ganho de água, ainda precisa 
ionizar cadeias poliacrilico 
 ao término de uma restauração com CIV se 
usa um agente de superfície que vai proteger 
o civ contra esses fatores 
Isolamento absoluto protege o material contra a 
embebição 
2. Formação de policarboxilato de alumínio: 
A partir de 4 min, precipitação da matriz de 
policarboxilato de alumínio 
7-8 min do início da mistura o material começa a 
adquirir propriedade mecânica 
4- 8 min – o material é suscetível a perda de 
água para o meio bucal (sinérese), deve ser 
protegido 
60 mim = observa aumento de número de ligações 
cruzadas onde o material começa a apresentar um 
certo endurecimento 
Nas primeiras horas e 24h seguintes um gel de 
policarboxilato de alumínio é formado, então o civ 
já apresenta uma certa maturação = adesão 
maturada 
Gel de policarboxilato de cálcio + se liga ao gel de 
policarboxilato de alumínio = por meio de ligações 
cruzadas constituindo uma matriz de polissais 
Atenção: 
 Ambiente saturado em água: impede a 
evaporação da água aderida à massa do 
cimento 
 Algodão umedecido ao redor da restauração, 
pincelamento de vernizes ou sistemas 
adesivos evita 
 Sinérese: contração da massa, formação de 
trincas perceptíveis na superfície e diminuição 
das propriedades mecânicas 
Após os 8 min – continua a formação das matrizes 
(cálcio e p. alumínio) 
Presa inicial: precipitação da matriz de gel de sílica 
ao redor das partículas de vidro. 
O ácido poliacrilico ionizado entra em contato com 
uma partícula de SiO2, -Al2 O3 -CaF2- 
 CaF2- preferencialmente atacada 
Ataque a sílica (SiO2) no terceiro estágio = 
formação do complexo gel de sílica 
Perdura por mais de 24-48horas 
 48h – ocorre a maior parte da geleificação 
Essa reação se dar pela formação do gel de sílica: 
gel formado ao redor das partículas de vidro que 
não reagiram e no final dessa reação temos o 
cimento maturado/endurecido 
 
3° Fase: – formação do gel de sílica e 
presa final 
Esse gel é Formado ao redor de Partículas de 
vidro que não reagiram = resultado da remoção de 
íons metálicos da superfície da partícula de 
ionômero de vidro 
Atenção: 
 Só adquiri propriedades mecânicas depois 
disso 
 Até o final desse tempo o material continua 
sensível a água (proteção) 
 Reação de presa final depene do contato com 
água 
Reação de presa continua = melhoria gradativa de 
suas propriedades ao longo do tempo 
Estrutura final: partículas não-reagidas e outras 
circundadas por gel unidas quimicamente por 
matriz de polissais 
 Aglomerado de Partículas de vidro que não 
reagiram, circundadas pelo gel de sílica que 
contêm íons de alumínio e fluoretos imersa 
em uma matriz amorfa de poliácidos, rica em 
íons de cálcio e de alumínios hidratados 
FATORES QUE AFETAM A REAÇÃO DE 
PRESA: 
Ácido tartárico: melhora a manipulação (maior 
tempo de trabalho, redução de viscosidade), mas 
diminui o tempo de presa 
 Inicia com viscosidade reduzida, e mostra um 
rápido aumento da viscosidade 
 Com ele os materiais alcançam 80% de suas 
propriedades mecânicas após os 20 min 
Composição e tamanho das partículas: influencia 
na velocidade da reação 
 > a partícula > o tempo para o deslocamento 
de íons das partículas de vidro 
Proporção pó/líquido e temperatura da mistura: 
sob domínio do operador 
 > qtd de pó e < a de líquido = mais rápido 
ocorrera a geleificação = < tempo de trabalho 
 > temperatura = acelera a reação, pois 
aumenta a energia cinética das moléculas 
EMBEBIÇÃO E SIRENERESE 
Embebição: ganho de água 
 Contaminação do civ com água = dissolução 
da matriz de polissais = superfície da 
restauração opaca com perda da 
translucidez e mais suscetível a erosão 
superficial 
 Diminui as propriedades mecânicas do CIV 
 Pode ocorrer por isolamento insatisfatório 
 Ajuste da restauração com irrigação 
 Podemos visualizar: perda da translucidez; 
desintegração da estrutura superficial; 
rugosidade; alteração dimensional; alteração 
de cor; redução de propriedades mecânicas 
Sinérese: perda de água 
 Pode acarretar a formação 
de trincas fissuras e 
rachaduras 
 Diminui a adesividade do 
CIV 
 Diminuição das propriedades mecânicas 
O CIV nos primeiros 5-8min na cavidade dentaria 
é crítico: (presa inicial 3-8min) 
 Nesse estágio inicial ele tem baixa 
resistência e rigidez 
 Estágio inicial de adesão do material a 
superfície dentaria 
Para não sofrer sinérese e embebição, se faz 
necessário a proteção do material com agentes 
de proteção