A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Questões - Merleau-Ponty

Pré-visualização | Página 1 de 1

Merleau-Ponty em sua obra Fenomenologia da Percepção apresenta uma crítica 
à compreensão da percepção tanto pelo viés da ciência quanto pelo viés da 
fenomenologia. Explique. 
A ciência considera a percepção fruto de uma causalidade estímulo-resposta que faz 
com que o sujeito conheça um dado objeto. 
A fenomenologia considera a percepção como uma noção de campo, sem haver objetos 
isolados fazendo com que a percepção seja uma interpretação provisória e 
incompleta. Nossa percepção de mundo vai ser dotada de um sentido pré-pessoal, que 
influencia e é influenciado pelo outro, questionando a liberdade e se ela é de fato 
inteiramente minha ou se há concepções externas que influenciam as minhas 
concepções. 
Para MERLEAU-PONTY qual é a função da linguagem, pensando-se as 
‘Essências’? É função da linguagem fazer as essências existirem em uma separação 
que, na verdade, é apenas aparente, já que através da linguagem as essências ainda 
repousam na vida antepredicativa da consciência. O corpo é como expressão e fala, 
então não se separa, não existe uma independência da consciência em relação à 
linguagem. 
A partir de MERLEAU-PONTY, considerando sua frase “toda consciência é 
consciência de algo”, explique o conceito de CONSCIÊNCIA e o conceito de 
LIBERDADE. 
∙ CONSCIÊNCIA - Sua filosofia revela o ser humano como ser-ao-mundo; a consciência 
(que é sempre de alguma coisa) somente é percebida pelo corpo em movimento: somos 
ativos no mundo. Consciência para Merleau-Ponty é a percepção. Não somos 
consciência cognitiva pura, mas uma ciência encarnada num corpo, habitado e 
animado por uma consciência, onde o mundo é o campo de todos os meus 
pensamentos e de todas as minhas percepções. 
∙ LIBERDADE - Só há escolha livre se a liberdade se compromete em sua decisão e põe a 
situação que ela escolhe como situação de liberdade. Nossa liberdade e nossa 
universalidade não podem se confundir ou permitir que uma encubra a outra, ou seja, 
não posso ser livre em umas ações e determinado em outras. Portanto, além de 
renunciar à ideia de causalidade, devemos também renunciar à ideia de motivação, 
pois o motivo não tem peso em minha decisão, é esta que exerce força sobre o motivo. 
Ao assumir um presente, eu retomo e transformo o meu passado, mas só faço isso 
porque crio um novo envolvimento em outra parte. As tomadas de consciência só 
são efetivas quando são efetuadas por meio de um novo envolvimento. 
MERLEAU-PONTY diz que a fenomenologia uniu o extremo subjetivismo ao 
extremo objetivismo. Explique. 
A aquisição mais importante da fenomenologia foi sem dúvida ter unido o extremo 
subjetivismo ao extremo objetivismo em sua noção do mundo ou da racionalidade. A 
racionalidade é exatamente proporcional às experiências nas quais ela se revela. A 
verdadeira Filosofia e reaprender a ver o mundo, e nesse sentido uma história narrada 
pode significar o mundo com tanta "profundidade" quanto um tratado de filosofia. Nós 
tomamos em nossas mãos o nosso destino, tornamo-nos responsáveis, pela reflexão, 
por nossa história, mas também graças a uma decisão em que empenhamos nossa 
vida, e nos dois casos trata-se de um ato violento que se verifica exercendo-se. 
Como Fenomenologia da percepção de Merleau-Ponty concebe o sujeito do 
conhecimento? Portanto, tem-se a necessidade de considerar a Fenomenologia da 
percepção de Merleau-Ponty não para impor um novo conhecimento que exclui todas 
as noções anteriores, mas sim atribuir a noção de que o sujeito pode se relacionar com 
o mundo (MARANGONI, 2014), e desta maneira atribuir consciência sobre tudo aquilo 
que percebe enquanto perdura em sua existência.