A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
51 pág.
CELULA

Pré-visualização | Página 4 de 9

mesma direção, criando um gra
diente eletroquímico relativamente alto. Esse é o caso do Na+, que é positivamente
carre gado e ocorre em uma concentração mais alta do lado de fora das células do
que em seu interior. Portanto, se tiver oportunidade, o Na+ tende a entrar nas células.
Se, no entanto, a voltagem e os gradientes de concentração tiverem efeitos opostos,
o gradiente eletro químico resultante pode ser pequeno. Esse é o caso do K+, um íon
positivamente carre gado que está presente em uma concentração muito mais alta
dentro das células do que em seu exterior. Diante disso, há pouco movimento líquido
de K+ através da membrana.
As proteínas transportadoras po
dem realizar os seguintes tipos de
transporte: uniporte, quando um úni
co soluto é transportado de um lado
da membrana para outro; simporte,
quando o transporte de um soluto
de pende do transporte de um
segundo na mesma direção, e
antiporte, quan do o transporte de
um soluto leva ao transporte de um
outro na direção oposta.
A CÉLULA 23
Figura 12. Tipos de transporte. Fonte: GARTNER, Leslie P.; HIATT,
James. L.. Tratado de Histologia em Cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.
apenas um tipo de molécula. Re
Em geral, existem duas classes de proteínas de transporte:
• Proteínas carreadoras: São
sempre proteínas de passagens
múltiplas pela membrana,
altamente sele tivas e transportam,
geralmente,
alizam o transporte de pequenas
moléculas hidrossolúveis e
podem realizar transporte
passivo ou ati vo. Após a ligação
de uma molé cula designada para
transporte, a proteína carreadora
sofre uma série de modificações
de conformação e
A CÉLULA 24
libera a molécula do outro lado da
membrana.
• Proteínas canal: Permitem a pas
sagem de íons ou pequenas mo
léculas polares e realizam apenas
transporte passivo. Em geral, são
proteínas transmembranas de
passagens múltiplas que formam
canais hidrofílicos (poros) através
da membrana plasmática. Os ca
nais são seletivos para íons e
regu lados de acordo com as
necessida des da célula. O
transporte pelas
proteínas canal pode ser regulado
por potenciais de membrana (ca
nais voltagem-dependentes), por
neurotransmissores ou por estres
se mecânico.
Figura 13. Movimento de moléculas através da membrana plasmática. Fonte: PAWLINA, Wojciech. Ross
Histologia: Texto e Atlas. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan Ltda, 2016.
A CÉLULA 25
SAIBA MAIS!
A membrana plasmática é permeável à água, e, se a concentração total de solutos for
baixa em um lado da membrana e alta no outro, a água tenderá a se mover através dela
até que as concentrações de soluto sejam iguais. O movimento da água de uma região
de baixa concen tração de soluto (alta concentração de água) para uma região de alta
concentração de soluto (baixa concentração de água) é denominado osmose. As células
contêm canais especializa dos de água (denominados aquaporinas) em suas membranas
plasmáticas que facilitam esse fluxo. A força motora para o movimento da água é
equivalente a uma diferença em pressão de água e é denominada pressão osmótica. Na
ausência de qualquer pressão contrária, o movi mento osmótico da água para dentro de
uma célula ocasionará seu intumescimento.
A entrada na célula de macromolé
culas e de partículas maiores ocor re
em bloco, por meio de processos
que envolvem modificações visíveis
na membrana plasmática. Essa en
trada de material em quantidade de
nomina-se endocitose. Exocitose é
o processo equivalente, porém, na
direção oposta, de dentro para fora
da célula. Todavia, do ponto de vista
molecular, a endocitose e a exocito
se são processos diversos e que de
pendem da participação de
proteínas diferentes.
A CÉLULA 26
Endocitose
Figura 14. Endocitose e exocitose são as formas mais importantes de transporte vesicular. Fonte:PAWLINA,
Wojcie ch. Ross Histologia: Texto e Atlas. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan Ltda, 2016.
A endocitose pode ocorrer por meio
de três mecanismos:
• Fagocitose: Quando ocorre a
captação de moléculas maiores,
partículas ou microrganismos.
Nesse processo, a partícula a ser
ingerida é envolvida por proje
ções da membrana plasmática
conhecidas como pseudópodes.
Com isso, forma-se um vacúolo
intracelular com o material cap
tado, o fagossomo.
A CÉLULA 27
Figura 15. Fagocitose. Fonte: Bruce Alberts, Dennis Bray, Karen Hopkin, Alexander Johnson, Julian Lewis, Martin
Raff, Keith Roberts, Peter Walter. (2017). Fundamentos da Biologia Celular. 6ª Ed. Editora Artmed, Porto Alegre,
864p.
• Pinocitose: Processo utilizada pela
célula para englobar porções de
fluidos extracelulares e pequenas
moléculas. Nesse caso, a mem
direcionadas para o citoplasma,
onde fundem-se com lisossomos
para que ocorra a absorção dos
nutrientes.
brana sofre um processo de in
vaginação, ocorrendo a formação
de pequenas vesículas. Estas são
A CÉLULA 28
• Endocitose mediada por recep
tores: A superfície celular contém
receptores para diversas molécu las,
como hormônios proteicos e
lipoproteínas de baixa densidade. A
união do ligante com o recep tor na
membrana ativa moléculas do
citoesqueleto; caso os recep tores
estejam afastados, eles são
movimentados na bicamada lipídi
ca, concentrando-se em pequena
área da membrana. Essa área de
membrana onde os receptores se
concentram dão origem a uma ve
sícula que penetra no citoplasma e
se funde com os endossomos,
um sistema de vesículas e
túbulos localizados no citosol,
nas proxi midades da superfície
celular ou mais profundamente.
Em conjunto, formam o
compartimento endos somal. As
moléculas contidas nos
endossomos podem seguir mais
de uma via. Os receptores sepa
ram-se de seus ligantes em razão
da acidez do endossomos (devido
à presença de bombas de H+ em
sua membrana) e podem retor
nar à superfície celular para
serem reutilizados.
A CÉLULA 29
Figura 17. Eletromicrografia da endocitose em um capilar. Fonte: GARTNER, Leslie P.; HIATT, James. L.. Tratado
de Histologia em Cores. 3. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2007.
Figura 18. Três tipos de endocitose. Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Endocitose
A CÉLULA 30
Na exocitose, ocorre a fusão de vesí
culas citoplasmáticas com a membra
na plasmática e a expulsão do con
teúdo da vesícula para fora da
célula,
sem que haja ruptura da superfície
celular. Um exemplo típico é a ex
pulsão das moléculas armazenadas
nas vesículas das células secretoras,
como ocorre nas glândulas saliva
res e no pâncreas. A exocitose é um
processo complexo, porque todas as
membranas da célula têm carga ne
gativa, em razão dos radicais fosfa
to nos fosfolipídios. Por isso, quando
estruturas cobertas por membrana
se aproximam, elas se repelem,
salvo quando existem interações
molecu lares que determinam o
processo de fusão. É o que
acontece na exocitose, que é
mediada por diversas proteínas
específicas (proteínas fusogênicas).
A CÉLULA 31
MAPA MENTAL: MECANISMO DE TRANSPORTE
6. CITOESQUELETO
O citoesqueleto é uma rede
complexa de microtúbulos,
filamentos de actina
(microfilamentos) e filamentos inter
mediários. Essas proteínas estrutu
rais influem na forma das células e,
junto com as proteínas motoras, pos
sibilitam os movimentos de
organelas e vesículas
citoplasmáticas. Também é
responsável pela contração celular,
pela movimentação da célula inteira,
como no movimento ameboide e
pela segregação dos cromossomos
para as células-filhas e separação
das cé lulas na divisão celular.
Microtúbulos
Os microtúbulos são tubos ocos, rí
gidos e não ramificados de
proteínas
polimerizadas, que rapidamente po
dem se juntar ou se dissociar. Em ge
ral, os microtúbulos são encontrados
no citoplasma, onde se originam do
MTOC (do inglês, microtubule orga
nizing center ou centro organizador
de microtúbulos), também
conhecido como centrossomo;
crescem a par tir do MTOC
localizado próximo ao núcleo e se
estendem em direção à periferia da
célula. Os microtúbulos também
são encontrados nos cílios e nos
flagelos; nos centríolos e no fuso
mitótico (formado durante o
processo de divisão celular para
separação