A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
Direito Tributario 2

Pré-visualização | Página 1 de 8

Vigencia da lei tributaria no tempo 
- vigência é diferente de eficácia 
- observar o principio da anterioridade tributaria 
- exemplo: uma lei que aumenta um tributo de 9% para 10% é publicada em 1 de maio de 
2020. No ultimo artigo na referida lei, é afirmado que ela entra em vigência no dia 1 de 
outubro de 2020. Sabendo que o tributo não tem qualquer exceção do principio da 
anterioridade tributaria, quando o governo poderá cobrar o tributo com aumento? 
- poderá cobrar em 1 de janeiro de 2021. Começa a contar os 90 dias da noventena, a partir da 
data de publicação 
- art 103: salvo disposição em contrario, entram em vigor: 
Os atos administrativos a que se refere o inciso I do artigo 100, na data de sua publicação 
As decisões a que se refere o inciso II do artigo 100, quanto a seus efeitos normativos, 30 dias 
após a data de publicação 
Os convênios a que se refere o inciso V do artigo 100, na data neles prevista 
 
VIGÊNCIA DA LEI TRIBUTÁRIA NO ESPAÇO 
- regra geral: principio da territorialidade (os efeitos espaciais de determinada norma só vão 
até o âmbito de seus limites territoriais) 
- exceções: 
Art. 102: a legislação tributária dos Estados, DF, e dos municípios vigora no país fora de seus 
territórios, nos limites em que lhe extraterritorialidade os convênios de que participem, ou do 
que disponham esta ou outras leis de normas gerais expedidas pela União 
Art. 120: salvo disposição de lei em contrario, a pessoa jurídica do direito público, que se 
constituir pelo desmembramento territorial de outra, sub-roga-se nos direitos desta, cuja 
legislação tributária aplicará até que entre em vigor a sua própria 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 
 
Lei complementar em matéria tributaria * 
- Art. 146. Cabe à lei complementar: 
I - dispor sobre conflitos de competência, em matéria tributária, entre a União, os Estados, o 
Distrito Federal e os Municípios; 
II - regular as limitações constitucionais ao poder de tributar; 
III - estabelecer normas gerais em matéria de legislação tributária, especialmente sobre: 
a) definição de tributos e de suas espécies, bem como, em relação aos impostos 
discriminados nesta Constituição, a dos respectivos fatos geradores, bases de cálculo e 
contribuintes; 
b) obrigação, lançamento, crédito, prescrição e decadência tributários; 
c) adequado tratamento tributário ao ato cooperativo praticado pelas sociedades 
cooperativas. 
d) definição de tratamento diferenciado e favorecido para as microempresas e para as 
empresas de pequeno porte, inclusive regimes especiais ou simplificados no caso do imposto 
previsto no art. 155, II, das contribuições previstas no art. 195, I e §§ 12 e 13, e da contribuição 
a que se refere o art. 239 
Art. 146-A. Lei complementar poderá estabelecer critérios especiais de tributação, com o 
objetivo de prevenir desequilíbrios da concorrência, sem prejuízo da competência de a União, 
por lei, estabelecer normas de igual objetivo. 
- CTN é uma lei ordinária com status de lei complementar por que a Constituição exigiu 
- criação de empréstimos compulsórios 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 
 
Vigência e aplicação da lei tributaria 
-Art. 100. São normas complementares das leis, dos tratados e das 
convenções internacionais e dos decretos: 
I - os atos normativos expedidos pelas autoridades administrativas; 
II - as decisões dos órgãos singulares ou coletivos de jurisdição 
administrativa, a que a lei atribua eficácia normativa; 
III - as práticas reiteradamente observadas pelas autoridades 
administrativas; 
IV - os convênios que entre si celebrem a União, os Estados, o Distrito 
Federal e os Municípios 
- normas que complementam o direito tributário 
- uma decisão de um julgamento pode ter efeito vinculante 
- praticas reiteradamente observadas são os costumes 
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 
APLICAÇÃO, INTERPRETAÇÃO E INTEGRAÇÃO DA LEGISLAÇÃO TRIBUTARIA 
Aplicação 
- regra geral: principio da irretroatividade 
- Art. 106. A lei aplica-se a ato ou fato pretérito: 
I - em qualquer caso, quando seja expressamente interpretativa, excluída a 
aplicação de penalidade à infração dos dispositivos interpretados; 
II - tratando-se de ato não definitivamente julgado: 
a) quando deixe de defini-lo como infração; 
b) quando deixe de tratá-lo como contrário a qualquer exigência de ação ou 
omissão, desde que não tenha sido fraudulento e não tenha implicado em falta de 
pagamento de tributo; 
c) quando lhe comine penalidade menos severa que a prevista na lei vigente ao 
tempo da sua prática. 
- esse dispositivo se aplica também em sede de execução fiscal 
- ex: Lei X, promulgação em 1 de maio de 2020, cobra se imposto de importação dos 
brinquedos eletrônicos que ingressarem no Brasil 
- ex: Lei Y, promulgada em 1 de maio de 2021, para fins de imposto de importação, considera-
se vídeo game como brinquedo eletrônico 
- Situações especiais: 
Fatos geradores dilatados no tempo: começa em um momento e termina em outro. Nesse 
caso, se eu tenho uma alíquota de um imposto em janeiro, e em junho ela aumenta, eu pago a 
alíquota de junho desde o começo, pois o fato gerador já tinha iniciado, mas não tinha 
terminado 
A lei tributaria retroagirá quando ela for interpretativa: é aquela promulgada para explicar 
uma lei anterior. Exemplo: surge uma lei em 2019 criando imposto sobre algo, mas fica uma 
dúvida sobre o que se encaixaria nesse “algo”, então em 2020 surge outra lei explicando o que 
se encaixa, e então tudo que se encaixa nesse “algo” será cobrado desde 2019. 
A lei tributaria retroagirá quando for mais benéfica para o contribuinte em matéria de 
infração, desde que o ato não tenha sido definitivamente julgado: o processo tem que estar 
tramitando ainda 
 - Art. 105. A legislação tributária aplica-se imediatamente aos fatos geradores futuros 
e aos pendentes, assim entendidos aqueles cuja ocorrência tenha tido início mas não 
esteja completa nos termos do artigo 116. 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 
Interpretação 
- traduzir o sentido na lei 
- Art. 107. A legislação tributária será interpretada conforme o disposto neste Capítulo 
- Art. 109. Os princípios gerais de direito privado utilizam-se para pesquisa da 
definição, do conteúdo e do alcance de seus institutos, conceitos e formas, mas não 
para definição dos respectivos efeitos tributários. 
Art. 110. A lei tributária não pode alterar a definição, o conteúdo e o alcance de 
institutos, conceitos e formas de direito privado, utilizados, expressa ou implicitamente, 
pela Constituição Federal, pelas Constituições dos Estados, ou pelas Leis Orgânicas 
do Distrito Federal ou dos Municípios, para definir ou limitar competências tributárias. 
- Art. 111. Interpreta-se literalmente a legislação tributária que disponha sobre: 
 I - suspensão ou exclusão do crédito tributário; 
II - outorga de isenção; 
III - dispensa do cumprimento de obrigações tributárias acessórias. 
Art. 112. A lei tributária que define infrações, ou lhe comina penalidades, 
interpreta-se da maneira mais favorável ao acusado, em caso de dúvida quanto: 
I - à capitulação legal do fato; 
II - à natureza ou às circunstâncias materiais do fato, ou à natureza ou extensão 
dos seus efeitos; 
III - à autoria, imputabilidade, ou punibilidade; 
IV - à natureza da penalidade aplicável, ou à sua graduação. 
------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 
Integração 
- Art. 108. Na ausência de disposição expressa, a autoridade competente para 
aplicar a legislação tributária utilizará