A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
MANEJO DO PACIENTE INFANTIL: TÉCNICAS DE MANEJO (MODIFICAÇÃO DO COMPORTAMENTO PRÉ-CONSULTA, MODELAGEM DO COMPORTAMENTO, RECONDICIONAMENTO, TELL-SHOW-DO, FALAR  MOSTRAR E FAZER / DIZER  MOSTRAR E FAZER

Pré-visualização | Página 1 de 1

MANEJO DO PACIENTE INFANTIL
INTRODUÇÃO
- Princípio básico para o sucesso da consulta: habilidade do profissional + atitude da criança
- Relação: Pais + criança + dentista → Relação 2:1 (sucesso dependa dessa interação equilibrada)
- Lidar com: ansiedade e medo por parte da criança
MEDO E ANSIEDADE
- “Estado emocional diante do perigo, caracterizado pelo conhecimento intelectual do mesmo”
- Medo objetivo: experiencia com dentista, médicos, hospitalizações, vacinas
- Medo subjetivo: não tem experiencia, ouviu falar que era ruim, viu alguém chorando, pais influenciaram
MANEJO DA CRIANÇA NO CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO
- Desenvolver comportamento mais apropriado durante o tratamento
- Ajuda a aprender, entender e cooperar na cadeira odontológica
- Estabelecer comunicação
- Construir relação de confiança
- Prevenir e aliviar o medo e a ansiedade
ATRIBUTOS BÁSICOS DO PROFISSIONAL
- Aptidão para a especialidade
- Gostar e se fazer gostar pelas crianças
- Conhecimento de odontopediatria e psicologia infantil
- Paciência e Bom senso
- Capacidade de persuadir e convencer
- Certa expressão de autoridade
- Aparência profissional e Segurança profissional
- Apresentação física
- Organização
- Habilidade e rapidez
PAIS E ACOMPANHANTES DEVEM PERMANECER COM A CRIANÇA?
- Crianças menores de 4 anos
- Criança tímida e medrosa
- Reação favorável da criança
- Observadores
Orientações: vinda ao consultório, choro é normal, possível contenção, ansiedade
MANEJO DO PACIENTE INFANTIL
COMPORTAMENTO DA CRIANÇA NO CONSULTORIO ODONTOLOGICO
TIPOS DE CRIANÇA:
a) Colaboradora:
- Frequente no consultório
- Curiosa e comunicativa
- Relaxada
- Entusiasta
- Responde as instruções
- Cooperação depende do condicionamento
- Modelagem do comportamento
b) Falta de capacidade para colaborar:
- Crianças muito jovens
- Pacientes especiais
- Técnicas especiais de controle do comportamento
- Sedação ou anestesia geral
c) Potencialmente não colaboradora:
- Pode colaborar mas não quer
- Incontrolável
- Desafiante
- Tímida
- Tensa
- Choro contínuo
- Rebelde
COMUNICAÇÃO
- Estabelecer comunicação
- Estabelecer o comunicador
- Clareza da mensagem
- Controle de voz
- Comunicação multissensorial
- Escuta ativa
- Respostas apropriada
CONSIDERAÇÕES
- Horário da consulta
- Separação pais-criança
- Prêmios e recompensas
- Indumentária
MANEJO DO PACIENTE INFANTIL
TÉCNICAS DE MANEJO
A) MODIFICANDO O COMPORTAMENTO PRÉ-CONSULTA
- Tudo o que é dito ou feito para influenciar positivamente o comportamento da criança antes mesmo dela entrar no 
consultório
- Ex: palestras elucidativas, filmes, espaço de promoção de saude...
B) MODELAGEM DO COMPORTAMENTO
- Processo que desenvolve o comportamento muito lentamente pelo reforço de sucessivas aproximações até que o 
comportamento desejado seja alcançado
- Estabelecer objetivo geral
- Explicar a necessidade do procedimento
- Usar linguagem apropriada
- Controle de voz
- Usar sucessivas aproximações (dizer – mostrar – fazer)
- Reforçar o comportamento apropriado (reforço verbal e premiação)
- Desprezar o comportamento inadequado
C) RECONDICIONAMENTO
- Paciente com comportamento negativo
- Determinar o problema
- Construir novas associações
- Adaptar
- Modelar (b)
D) CONDICIONAMENTO AVERSIVO
- Paciente incontrolável com capacidade de comunicação apropriada
- Ganhar atenção (controle de voz ou MSB)
- Estabelecer comunicação
- Obter cooperação
- Readaptar
- Modelar (b)
E) CONTENÇÃO FÍSICA
- Corpo a corpo (pais)
- Pacote pediátrico
- Abridores de boca
- Necessita de consentimento informado
F) MEDICAMENTOS
- Sedação
- Anestesia geral (ambiente hospitalar)

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.