A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Farmacologia - Antivirais

Pré-visualização | Página 1 de 1

Farmacologia Clínica 
ANTIVIRAIS 
RESUMO 
ESTRUTURA BÁSICA DOS VÍRUS 
 Esboço da estrutura viral 
 Agentes infecciosos pequenos (20-30nm) 
 Parasitas intracelulares 
 Vírion – partícula de vida livre 
 Envelope lipoproteico – glicoproteínas ou fosfolipídios 
 DNA, RNA ou retrovírus 
 
PATOGENICIDADE 
Vírus de DNA – Poxvírus (varíola), herpesvírus (catapora, herpes-zoster, 
herpes labial, febre glandular) adenovírus (faringite, conjuntivite) e 
papilomavírus 
Vírus de RNA – ortomixovírus (gripe), paramixovírus (sarampo, caxumba 
e IVAS), picornavírus (resfriado, meningite, poliomielite), COVID-10. 
Retrovírus – vírus de RNA que ao entrar na célula se transforma em vírus 
de DNA. Ex.: retrovírus (AIDS, leucemia de células T). 
 
FUNÇÃO E HISTÓRICO 
▪ Não possuem sistema metabólico 
▪ Replicação na célula hospedeira (animal, vegetal ou bactéria – 
bacteriófago) 
 
REPLICAÇÃO DOS VÍRUS 
Vírus de DNA – penetra o DNA no núcleo da célula hospedeira, RNAm 
faz a tradução de proteínas virais e síntese de DNA viral. 
Vírus de RNA – síntese de RNAm a partir do RNA viral ou RNA funciona 
como RNAm para tradução de proteínas virais e síntese de RNA viral 
Retrovírus – vírion (enzima transcriptase reversa) – transforma o RNA 
viral em DNA viral integrado ao DNA do hospedeiro (provírus). A partir 
disso, ocorre a transcrição de RNA viral e RNAm para tradução de 
proteínas. 
 
INTERAÇÃO: HOSPEDEIRO X VÍRUS 
Defesa do hospedeiro: 
o Pele intacta (mucosas mais vulneráveis), cílios, lágrima, saliva (Ig) 
o Resposta inata e adquirida 
o Silenciamento de genes 
 
MECANISMOS VIRAIS 
a) Subversão da reposta imunológica: 
b) Inibir a síntese de citocinas (TNA-a, INF) 
c) Poxvírus – proteínas que impedem a ligação das citocinas 
d) Interferência na via apoptótica, impedindo sua morte 
 
HIV e AIDS 
Retrovírus (HIV-1 e HIV-2) 
Infecção envolve principalmente LTCD8 e LTCD4, além de outras células 
imunológicas (macrófagos, células dendríticas e NK) 
Fases: 
1) Infecção primária – leve queda de LTCD4 e alta carga viral 
2) Latência clínica – carga viral sob controle periodicamente. 
3) Doenças oportunistas – sistema imune muito baixo, pouco LTCD4. 
(pneumonia, meningite, neuropatia) 
 
Outras células relacionadas: 
1. Protease viral – cliva a transcriptase reversa, integrase, enzimas 
importantes para replicação viral 
2. Integrase – integra o DNA viral no DNA da célula hospedeira 
 
FÁRMACOS ANTIVIRAIS 
Inibidores da transcriptase reversa e análogos de nucleotídeos – 
Zidovudina (AZT) 
✓ Tratamento do HIV – possuem atividade contra HBV 
✓ 1° fármaco a ser introduzido no tratamento de HIV 
✓ Administração oral – 2-3x ao dia e IV 
✓ Boa distribuição no SNC 
✓ Metabolização hepática e eliminação renal (20%) 
✓ Resistência a longo prazo 
✓ Alterações no TGI (náuseas, vômitos êmese e dor abdominal), neutropenia, 
anemia, SNC (insônia, cefaleia e tontura) e acidose láctica (rara). 
 
Inibidores de transcriptase reversa e não nucleosídeos 
 Nevirapina – boa disponibilidade oral, penetra no LCR, metabolizada 
no fígado e eliminada na urina. Pode ser usada na gestante e neonato 
(transmissão vertical) 
Efavirenz – administração oral, penetra no LCR (insônia, pesadelos e 
psicose), teratogênico. 
Sinais e sintomas: exantema, lipodistrofia, alterações no TGI e pancreatite. 
 
Inibidores de protease 
• Essas proteases não ocorrem no hospedeiro (alvo) 
• Em combinação com os inibidores da TR (revolução no tratamento de 
HIV) 
• Exemplos de fármacos: amprenavir, atazanavir, darunavir, fosamprenavir, 
indinavir, lopinavir, nelfinavir, ritonavir, saquinavir e timpranavir. 
• Ritonavir é o mais usado, associado ao lopinavir. Potencializa a ação e age 
em HIV 1 e 2. 
• Administrados oralmente, eliminado pelas fezes (80%) e urina (10%) 
• Alterações no TGI, anemia, neutropenia, efeitos sobre o SNC e síndrome 
metabólica (desenvolvimento de diabetes, hipertensão e colesterol alto). 
 
Inibidores de fusão – Enfurvitida (Fuzeon) 
➢ Inibe a fusão do HIV com a célula hospedeira 
➢ Ação nas proteínas GP120 e GP41 
➢ Administração: injeção subcutânea em combinação com outras drogas 
➢ Terapia refratária (quando as outras terapias não são sucedidas) 
➢ Cefaléia, tontura, alterações do humor, efeitos no TGI e reações de 
hipersensibilidade 
 
Inibidores de integrase – Ratelgravir 
Inibe a integrase do HIV 
Administração oral 
Terapia refratária