A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Sistema Respiratório

Pré-visualização | Página 1 de 2

O que é?
Divisão
Porção de condução;
Porção de respiração.
Didática e funcionalmente o sistema respiratório é divido
em:
Porção Respiratória
 Nariz
Cavidade Nasal
Comunica-se com o meio interno por meio das
narinas.
Dividida em metade direita e esquerda pelo septo
nasal.
O septo nasal quase sempre está desviado para
esquerda ou direita, em grandes desvios prejudica a
respiração. É constituído por parte cartilaginosa e
óssea;
O osso etmoide é o arcabouço (esqueleto) da
cavidade nasal;
Conchas Nasais
Sistema Respiratório
SISTEMA RESPIRATÓRIO: constituído por um
conjunto de órgãos tubulares e alveolares
presentes na cabeça, pescoço e tórax.
Consiste na absorção de oxigênio e eliminação de
gás carbônico resultante de oxidações celulares.
É a parte responsável por trocar o dióxido de carbono
(CO2), presente no sangue, pelo oxigênio (O2). Essa
parte é representada pelo alvéolos pulmonares.
Porção condutora
No estudo do nariz tem-se: nariz externo,
cavidade nasal e seios paranasais.
Nariz Externo: Formado por uma pirâmide
localizada no plano mediano da face, em que a
extremidade superior é denominada Raiz, e a
inferior Base.
Um dos órgãos que mais sofre variação anatômica,
responsável por fazer a interação com o meio ambiente nas
trocas gasosas.
Na base são encontradas duas aberturas em
fenda. As narinas, separadas por um septo, e
que comunicam o meio externo com a
cavidade nasal.
Nas paredes laterais da cavidade nasal encontro as
conchas nasais (superior, médio – osso etmoide; e
inferior – osso a parte).
Essas conchas projetam-se na cavidade nasal, e
estão recobertas por mucosa e delimitam espaços
denominados meatos (superior, médio e inferior).
Alvéolos Pulmonares
Mucosas
Mucosa Olfatória
Funções da Cavidade Nasal
Seios Paranasais
Faringe
Filtra o ar das partículas maiores através das
vibrissas (pelos do nariz);
Eliminação de partículas menores de poeira
através de grumos que serão levados para
nasofaringe, e deglutidos por meio de batimentos
ciliares;
Aquece o ar, por meio da mucosa altamente
vascularizada;
Olfato; 
Caixa de ressonância para voz;
Umedece o ar, por meio do muco.
Tubo muscular associado a dois sistemas:
respiratório e digestivo;
Canal comum para passagem de alimentos e ar
inspirado
Localizado posteriormente à cavidade bucal e à
laringe, reconhecendo-se nela 3 partes:
↪ Nasofaringe: região superior que se comunica com a
cavidade nasal;
↪ Orofaringe: região média, comunicando-se com a
cavidade bucal, por uma abertura determinada Istmo da
garganta;
↪ Laringofaringe: região inferior, posterior à laringe e
continuada diretamente pelo esôfago;
Mucosa Olfatória: presente na parte superior da
cavidade nasal, restringindo-se a concha superior
nasal, desta região partem as fibras nervosas que,
em conjunto, constituem o nervo olfatório.
Mucosa Respiratória: constituída por epitélio do
tipo pseudoestratificado ciliado (contém cílios),
contendo células globosas produtoras de muco.
Mucosa
Respiratória
Função: diminuir o peso do crânio;
Localização: Osso frontal, esfenoide, etmoide,
maxilares;
São cavidades de ar dos ossos pneumáticos;
O ar tem que
estar filtrado,
aquecido e
umidificado.
Na parede lateral da parte nasal da faringe
encontra-se o óstio faríngico da tuba auditiva,
abertura em fenda que marca a desembocadura da
tuba auditiva nesta porção da faringe.
A comunicação da tuba auditiva com a faringe se faz
por meio da cavidade timpânica do ouvido médio.
Essa comunicação explica como infecções da faringe
podem se propagar para o ouvido.
Traqueia
Laringe
Cavidade da Laringe: fenda antero-posterior que
leva a uma pequena invaginação, o ventrículo da
laringe.
Essa fenda está delimitada por duas pregas: uma
superior, a prega vestibular, e outra inferior, a
prega vocal.
A porção da cavidade da laringe acima da prega
vestibular é o vestíbulo, a porção compreendida
entre as pregas vestibular e vocal é a glote, e a
situada abaixo das pregas vocais é a cavidade
infraglótica.
Órgão tubular, situado no plano mediano e anterior
do pescoço, que além de via aerífera é órgão da
fonação.
Anteriormente a faringe, é continuada diretamente
pela traqueia.
Esqueleto da laringe: possui esqueleto
cartilaginoso, onde a maior cartilagem é a tireoide.
Epiglote é uma membrana
que quando vamos fazer a
alimentação, ela faz o
fechamento desse canal
que serve para o alimento
não passar para a laringe.
É uma estrutura cilindroide constituída por anéis
cartilaginosos incompletos, em forma de C,
sobrepostos e ligados entre si pelos ligamentos
anulares.
A parede posterior desprovida de cartilagem,
constitui parede membranosa da traqueia.
Os anéis da traqueia tem a função de dar
resistência, impedindo o colapso entre as paredes
da traqueia, ao mesmo tempo por terem a parede
membranosa é elástica, assegurando mobilidade e
flexibilidade.
Brônquios
A traqueia sofre ramificação em sua porção final,
formando os brônquios principais, direito e
esquerdo, que se dirigem para os pulmões.
Cada brônquio principal da origem aos brônquios
lobares, que ventilam os lobos pulmonares.
Estes por sua vez, dividem-se em brônquios
segmentares, que sofrem sucessivas divisões antes
de terminarem nos alvéolos.
Todas essas divisões formam a árvore brônquica.
Brônquíolos
Alvéolos
Pulmão
Os pulmões, direito e esquerdo, são os órgãos
principais da respiração, estão contidos na cavidade
torácica e entre eles existe a região chamada
mediastino, onde se localiza o coração e grandes
vasos.
São órgãos de forma cônica, apresentando um ápice
superior, e uma base inferior, e duas faces: costal
(em relação as costelas) e medial (voltada para o
mediastino).
A base descansa sobre o diafragma, músculo que
separa o tórax do abdome, internamente.
Os pulmões se subdividem em lobos, 3 do lado D
(superior, médio, inferior) e 2 do lado E (superior e
inferior).
Cada pulmão é envolto por um saco seroso
completamente fechado, a pleura, que apresenta
dois folhetos:
Entre as pleuras pulmonar e parietal há um espaço
denominado: cavidade da pleura, contendo uma
película de líquido que permite o deslizamento de
um folheto contra o outro, nas constantes variações
de volume do pulmão.
↪ Pleura Pulmonar: que reveste a superfície do pulmão;
↪ Pleura Parietal: recobre a face interna da parede do
tórax.
Os alvéolos pulmonares são minúsculos sacos
aéreos, presentes nos pulmões, envolvidos por
capilares sanguíneos e uma fina membrana.
Situam-se onde terminam as finas ramificações
dos brônquios.
Os alvéolos podem se apresentar isolados ou em
grupos, formando os chamados sacos alveolares.
Em cada pulmão existem milhões alvéolos. São
responsáveis pelo aspecto esponjoso dos pulmões.
HEMATOSE é a troca de CO2 por O2 nos alvéolos.
Cada bronquíolo respiratório ramifica-se em dois a
dez ductos alveolares, que atingem os alvéolos
pulmonares e contribuem para as trocas gasosas, a
hematose.
HISTOLOGIA: são constituídos basicamente de
tecido muscular liso e epitélio
pseudoestratificado. Não apresentam cartilagens.
Do lado esquerdo
só tem 2 lobos
por conta do
coração.
Pleura
Volume Pulmonar
Volume Residual: quantidade de ar presente nos
pulmões após uma expiração forçada, cerca de
1,5L;
Volume Circulante (Corrente): quantidade de ar
que entra e sai dos pulmões a cada respiração, em
média 0,5L;
Volume de Reserva Inspiratório: volume que pode
ser inspirado além do volume corrente, é utilizado
durante a prática de exercícios físicos, cerca de
3L;
Volume de Reserva Expiratório: é o volume que
pode ser expirado após uma espiração máxima, por
exemplo ao encher uma bexiga, em média 1,2L.
Capacidade Pulmonar
Espaço Morto
Cigarro X Pulmão
Nicotina, que provoca dependência e chega ao
cérebro mais rápido que a temida cocaína, estando
associada aos problemas cardíacos e vasculares.
 Monóxido de carbono (CO), aquele mesmo que sai
do cano de escapamento dos carros. Ele se combina
com a hemoglobina reduzindo a oxigenação
sanguínea no corpo.
É por causa da ação do CO que alguns fumantes
ficam com dores de cabeça após passar várias horas
longe do cigarro.