A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
31 pág.
Gestão do Meio Ambiente - 3 Parte (Introdução a Ciência do Ambiente para Engenheiros)

Pré-visualização | Página 9 de 11

Indústria SO2 Poluição do ar H2SO4 Efeitos sobre as plantas 
 Acidificação dos lagos 
 
 Problemas respiratórios 
 Redução da biodiversidade 
 do lago 
Cardiopatias 
126 - Introdução às Ciências do Ambiente para Engenharia 
 
17.3. EXERCÍCIO DE FIXAÇÃO 17 
 
1. O que se entende por Metodologia de Avaliação de Impacto Ambiental? 
2. Classifique as técnicas de AIA segundo a função analítica que apresentam. 
3. Enumere as diferenças fundamentais entre os cinco grupos de MAIA classificados por Warner 
e Bormley (1974). 
4. Cite algumas vantagens e desvantagens das matrizes. 
5. Em que consiste um modelo de predição de impacto ambiental ? 
♦ Tomando como base os anexos D, E, F e G, responda as questões de 6 a 11. 
6. Enumere algumas atividades poluidoras com os respectivos impactos ambientais identificados 
na região nordeste. 
7. Classifique os impactos enumerados no exercício número 6, usando a seguinte nomenclatura: 
Positivo-P / Negativo-N; Direto-D / Indireto-I. 
8. Escolha dois ecossistemas brasileiros e enumere as principais atividades poluidoras com seus 
respectivos impactos na região. 
9. Classifique os impactos enumerados no exercício número 8, usando a seguinte nomenclatura: 
Curto Prazo-CP / Longo Prazo-LP; Reversível-R / Irreversível-RR. 
10. Associe os impactos ambientais da construção de barragens às medidas mitigadoras. 
 
Impactos Ambientais Medidas Mitigadoras 
(01) Desagregação familiar. ( ) Faixa de proteção marginal do solo 
do reservatório. 
(02) Erosão do solo durante as obras. ( ) Levantamento de epidemias e con-
trole de endemias. 
(03) Eutrofização da represa. ( ) Reflorestamento das margens. 
(04) Aumento da salinidade da água do 
lago. 
( ) Preservação da vazão necessária 
aos usos a jusante. 
(05) Poluição hídrica devido aos usos do 
solo. 
( ) Escolha de menor espelho d’água. 
(06) Propagação de doenças. ( ) Remoção das edificações como 
fossas, cemitérios, etc., antes da inunda-
ção. 
(07) Destruição da mata ciliar ( ) Desmatamento da área inundável. 
(08) Contaminação devido a materiais 
inundados (fossas). 
( ) Controle do desmatamento durante 
as obras. 
(09) Inundação de áreas de valor afetivo 
e histórico 
( ) Programa de reassentamento popu-
lacional. 
(10) Mudanças hidrológicas e repercus-
sões sobre os usos. 
( ) Relocação de cemitérios e monu-
mentos históricos. 
 
11. Construa uma matriz de impacto e identifique 10 impactos ambientais de um Projeto A-
gro-industrial, para produção de Álcool. Justifique os 5 impactos mais significativos. 
♦ Ações previstas para o Projeto: desmatamento, queimada, imigração, abertura de estradas, 
uso de agrotóxicos, transporte de empregados, transporte de cana, transporte de álcool, emis-
sões gasosas, efluentes líquidos, empregos e riscos de acidentes. 
♦ Fatores Ambientais: qualidade do ar, qualidade da água, qualidade do solo, fauna nativa, 
flora nativa, sistema viário, estrutura fundiária, desemprego, habitação e renda per capita. 
3a Parte - Gestão do Meio Ambiente - 127 
 
 
 
18. GERENCIAMENTO AMBIENTAL (ISO 14.000) 
 
 
urante os capítulos anteriores procurou-se entender o ambiente, definir os problemas am-
bientais identificando algumas soluções e como atuar, fazer algo que leve a melhorar a 
situação. A ação com vistas a solução das questões ambientais é função dos órgãos gestores. As 
ações gerenciais para resolver um problema consistem no estabelecimento de objetivos a cum-
prir, de um sistema a seguir e de uma estrutura organizacional para enfrentar a situação. Os obje-
tivos a cumprir foram definidos pela Lei do Meio Ambiente, no 6938/81 que trata da Política Na-
cional do Meio Ambiente. Esta, complementada por Decretos e Resoluções, define também o 
sistema a seguir e estabelece a estrutura organizacional a nível de Poder Público. As ações am-
bientais também são gerenciadas pela comunidade, no momento em que ela exige um ambiente 
sadio, estabelece restrições aos produtos ambientalmente nocivos e solicita audiência pública pa-
ra discussão das questões ambientais. E, nesse meio, encontra-se o empreendedor que deve satis-
fazer às exigências do Poder Público (Legislação Ambiental) e da comunidade. 
 
Até recentemente as questões ambientais eram tratadas com regulamentação técnica, pela defini-
ção de padrões de qualidade e limites de emissões que deviam ser respeitados pelos geradores de 
impactos ambientais. Atualmente, verifica-se uma tendência de utilização da proteção ambiental 
como um fator de diferenciação de produtos, processos e serviços entre empresas e, com a globa-
lização, entre países. Tal tendência mundial passou a exigir uma avaliação mais sistemática das 
questões ambientais, surgindo assim normas internacionais de gerenciamento ambiental - série 
ISO 14.000. As normas dessa série tratam de uma abordagem sistêmica da gestão ambiental e 
possibilitam a certificação de empresas e produtos que as cumpram. 
 
 
18.1. ISO 14.000 - GESTÃO AMBIENTAL 
 
A International Organization for Standardization - ISO, fundada em 1947, com sede na Suíça, é 
uma organização não governamental que congrega os órgãos de normalização de mais de cem 
países. O Brasil participa da organização através da ABNT - Associação Brasileira de Normas 
Técnicas. A ISO busca normas de homogeneização de procedimentos, de medidas, de materiais 
e/ou de uso que reflitam o consenso internacional em todos os domínios de atividade, com exce-
ção do campo eletro-eletrônico4. 
 
A ISO 14.000 visa ser uma referência consensual para a gestão ambiental no mercado globali-
zado. Na sua concepção, a ISO 14.000 tem como objetivo central um Sistema de Gestão Ambi-
ental que auxilie as empresas a cumprirem suas responsabilidades com respeito ao meio ambien-
te. Em decorrência criam a certificação através de rótulos ecológicos, possibilitando identificar 
aquelas empresas que atendem à legislação ambiental e cumprem os princípios do desenvolvi-
mento sustentável. A série ISO 14.000 pode ser resumida em seis grupos de normas divididos em 
dois grandes blocos, um direcionado para o produto, outro para a organização (Figura 18.1). 
 
4 Atribuição da International Eletrotechnical Commission - IEC. 
D 
128 - Introdução às Ciências do Ambiente para Engenharia 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Figura 18.1: Organização da série ISO 14.000. 
 
 
 
18.2. SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA 
 
Um sistema de gestão ambiental - SGA (ISO 14.001) - pode ser definido como um conjunto de 
procedimentos para administrar uma organização, de forma a obter o melhor relacionamento com 
o meio ambiente. A implantação do mesmo é feita em cinco etapas sucessivas. Todas essas eta-
pas buscam a melhoria contínua, ou seja, um ciclo dinâmico no qual está se reavaliando perma-
nentemente o sistema de gestão e procurando a melhor relação possível com o meio ambiente. A 
figura 18.2 ilustra o modelo do SGA. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Figura 18.2: Representação dos elementos do SGA. 
 
 
Etapa 1 
Comprometimento e Definição da Política 
Ambiental 
Etapa 2 
Elaboração do Plano 
• Aspectos ambientais e impactos associados 
• Requisitos legais e corporativos 
• Objetivos e metas 
• Programa de gerenciamento ambiental 
 
Etapa 3 
Implementação e Operação 
• Alocação de recursos 
• Estrutura e responsabilidade 
• Conscientização e treinamento 
• Comunicações 
• Documentação do sistema de gestão 
• Controle operacional e emergencial 
 
Etapa 5 
Revisão do SGA 
Etapa 4 
Monitoramento e Ações Corretivas 
• Medições periódicas 
• Ações

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.