A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
148 pág.
SUPERVISÃO ESCOLAR

Pré-visualização | Página 14 de 36

Roteiro	de	Elaboração	do	
Planejamento	
 
A seguir, apresentaremos, resumidamente, um roteiro para elaboração de 
um planejamento escolar. Lembramos que este é apenas um exemplo de vários 
outros disponíveis na elaboração de um planejamento educacional. O exemplo a 
seguir é extremamente útil como referência e é baseado em Vallejo (2002):
56
Supervisão escolar
a) Pré-planejamento
É quando as pessoas que integram a organização escolar tomam consciência 
da situação na qual necessitem de um plano que gere motivação e que promova 
resultados. 
b) Análise da situação atual
• Quais são nossos pontos fortes?
• Quais	são	nossas	deficiências?
• Que oportunidades teremos?
• Pesquisa de opinião e questionários.
Posteriormente, execute o brainstorm para selecionar as ideias principais. 
Atenção nos aspectos:
• Resultados anteriores;
• Fatores que explicam os resultados alcançados;
• Remodelação dos objetivos como consequência da aplicação de um plano 
anterior;
• Objetivos novos introduzidos;
• Disponibilidade econômica e recursos disponíveis;
• Disponibilidade	de	pessoal	existente	e	suas	qualificações;
• Métodos, instrumentos e técnicas de trabalho atuais e de futuro;
• Estrutura da organização escolar.
Brainstorm – “Tempestade de ideias”, é uma atividade 
desenvolvida para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo 
ou de um grupo - criatividade em equipe – colocando-a serviço de 
objetivos pré-determinados no surgimento de ideias e de soluções.
c) Definição de objetivos
De acordo com a situação atual e previsão futura, determinam-se os 
objetivos	gerais,	para	toda	a	escola,	e	específicos,	para	cada	uma	de	suas	áreas	
de	atividade.	Definir	 a	 incidência	 de	maior	 ou	menor	 esforço	em	consequência	
da aplicação do conjunto de estratégias, políticas, procedimentos, programas e 
recursos pressupostos.
57
O Planejamento Escolar e os Desafios da 
Supervisão para uma Escola Atual e IdealCapítulo 2
d) Estabelecimento de hipóteses
Definidos	os	objetivos,	é	conveniente	determinar	os	possíveis	cenários	que	
poderemos atingir. Uma hipótese futura próxima da real pode garantir melhores 
planos de ação por meio dos quais os objetivos possam ser alcançados. 
e) Seleção da linha de atuação
Análise rigorosa dos pontos fracos e fortes de cada alternativa, relevando os 
objetivos	e	as	hipóteses	estabelecidas,	além	dos	 fatores	que	podem	 influenciar	
nas mesmas. Posteriormente, a escolha de uma determinada linha de ação, que 
guiará o planejamento.
f) Estabelecimento de planos derivados
Para	 suportar	 o	 plano	 principal,	 ou	 base,	 costuma-se	 definir	 uma	 série	 de	
planos complementares ou derivados que completam a fase de planejamento.
g) Execução do plano
Ação propriamente dita. É necessário que se execute tudo aquilo 
que foi previsto, de acordo com os métodos ou sistemas elaborados, 
nos planos estabelecidos e com os meios indicados.
h) Controle do plano
Todo o plano deve incorporar os elementos necessários para 
poder detectar, em tempo, os desvios que ocorram em consequência 
das mudanças no entorno, nas previsões ou na própria dinâmica da 
escola e, além disso, os sistemas de correção que permitam que os 
objetivos sejam alcançados dentro do prazo previsto.
Das	 definições	 anteriores,	 deduzimos	 que	 tanto	 o	 planejamento	
quanto	o	plano,	 o	projeto	ou	o	programa	 têm	finalidades	e	utilidades	
específicas	e	que	a	 compreensão	de	suas	diferenças	deve	auxiliar	 o	
professor ou o supervisor na melhor preparação e execução do que se 
pretende	na	melhoria	da	escola.	Esses	conceitos	têm	relações	afins	entre	si	com	
finalidade	de	utilização	como	um	critério	essencial	na	necessidade	da	educação	
de qualidade.
Tanto o 
planejamento 
quanto o plano, 
o projeto ou o 
programa têm 
finalidades 
e utilidades 
específicas e que 
a compreensão de 
suas diferenças 
deve auxiliar o 
professor ou o 
supervisor na 
melhor preparação 
e execução do que 
se pretende na 
melhoria da escola.
58
Supervisão escolar
A seguir, debateremos um projeto de planejamento que é obrigatório na 
escola. O PPP, que serve como um bom exemplo de planejamento educacional 
para ilustrar as nossas realidades, além de exercitar o nosso conhecimento sobre 
planejamento, pois dentro do PPP podem ser incluídos: o plano de ensino, o plano 
de aula, os programas e projetos, além de outras possibilidades que a escola 
deve realizar na busca de melhorias. 
Projeto	Político	Pedagógico	
O	projeto	educacional	oficial	da	escola	é	chamado	Projeto	Político	Pedagógico,	
o	famoso	PPP.	Este	é	um	documento	oficial,	pois	é	uma	obrigatoriedade	que	as	
Secretarias de Educação (do Município ou do Estado) exigem a todas as escolas, 
sejam públicas ou privadas, de qualquer nível e modalidade de ensino, com o 
acompanhamento dessas Secretarias. Esse projeto deve demonstrar um caminho 
a ser seguido pela escola, de acordo com a sua realidade e suas intenções na 
busca de soluções de problemas e em melhorias na educação que oferece. O 
PPP é um instrumento que serve de guia para o planejamento anual e é onde 
devem estar explicitados os ideais pedagógicos da escola. Com o documento 
em mãos, é possível planejar ações para o ano letivo que dialoguem com esses 
ideais (LOPES, 2011).
O primeiro passo para que toda a comunidade escolar participe ativamente 
e democraticamente da gestão escolar está na construção do Projeto Político 
Pedagógico de forma coletiva. Para isso Silva Junior salienta que 
a constituição da autonomia da escola pela via do projeto 
pedagógico	 supõe,	 finalmente,	 a	 existência	 de	 condições	
para a prática do trabalho coletivo, entendido este como 
a valorização das pessoas e a relativização das funções. 
Pessoas autônomas valorizam um projeto e são valorizadas 
por ele em razão do seu compromisso e de sua lealdade e isso 
não está ligado necessariamente às funções desempenhadas 
e às posições ocupadas (SILVA JUNIOR, 2002, p. 206).
Este projeto deve contemplar informações pré-determinadas e 
pode	ser	definido	como:
Instrumento	 teórico-metodológico	 que	 visa	 ajudar	 a	 enfrentar	 os	 desafios	
do	 cotidiano	 da	 escola	 de	 forma	 refletiva,	 consciente,	 sistematizada,	 orgânica,	
científica,	 e	 essencialmente,	 participativa.	 É	 uma	metodologia	 de	 trabalho	 que	
Projeto pedagógico 
supõe a existência 
de condições 
para a prática do 
trabalho coletivo, 
entendido este 
como a valorização 
das pessoas e a 
relativização das 
funções.
59
O Planejamento Escolar e os Desafios da 
Supervisão para uma Escola Atual e IdealCapítulo 2
possibilita	re-significar	a	ação	de	todos	os	agentes	da	escola	(VASCONCELLOS,	
1995).
Se você prestar atenção, as próprias palavras que compõem o nome do 
documento dizem muito sobre ele (LOPES, 2011): 
• É projeto porque reúne propostas de ação concreta a executar durante 
determinado período de tempo. 
• É político por considerar a escola como um espaço de formação de cidadãos 
conscientes, responsáveis e críticos, que atuarão individual e coletivamente 
na	sociedade,	modificando	os	rumos	que	ela	vai	seguir.	
• É pedagógico	porque	define	e	organiza	as	atividades	e	os	projetos	educativos	
necessários ao processo de ensino e aprendizagem.
 
Por	 ter	 tantas	 informações	 relevantes,	 o	 PPP	 se	 configura	
numa ferramenta de planejamento e avaliação que você e 
todos os membros das equipes gestora e pedagógica devem 
consultar a cada tomada de decisão. Portanto, se o projeto 
de sua escola está engavetado, desatualizado ou inacabado, 
é hora de mobilizar esforços para resgatá-lo e repensá-lo 
(LOPES, 2011).
 
O PPP deve ser considerado o documento mais importante da escola, 
pois tem a capacidade de desenvolver a educação e toda a escola através da 
sua boa elaboração, da discussão de ideias viáveis e da participação de toda 
a comunidade. Contudo, em muitas escolas esse documento não é pensado 
dessa maneira. Sendo ele um documento obrigatório, muitas pessoas envolvidas 
enxergam como algo imposto e irrelevante. Nesses casos, o PPP se torna 
inoperante

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.