A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
148 pág.
SUPERVISÃO ESCOLAR

Pré-visualização | Página 36 de 36

147
Meios e Técnicas de Supervisão EscolarCapítulo 5
 ______________________________________________________
 ______________________________________________________
 ______________________________________________________
 ______________________________________________________
 ______________________________________________________
 ______________________________________________________
 ______________________________________________________
 ______________________________________________________
Algumas	Considerações
Prezado(a)	 Pós-Graduando(a),	 chegamos	 ao	 fim	 deste	 caderno	 com	 este	
capítulo sobre as possibilidades organizacionais que o supervisor pode e deve 
trazer para a sua atividade na escola. Essas sugestões são apenas algumas entre 
um	universo	que	pode	ser	ainda	mais	explorado	pelo	profissional	em	questão.
Neste	 capítulo	 nós	 identificamos	 as	 especificidades	 e	 possibilidades	 da	
função organizadora através de meios e técnicas que são possíveis e viáveis no 
ambiente escolar pelo supervisor educacional.
Também discutimos e analisamos algumas das estratégias na elaboração 
do trabalho de supervisão em relação às ações de trabalho na busca de uma 
educação de qualidade.
Lembramos sempre que a escola é feita por professores, gestores e alunos, 
mas	que	a	boa	escola	é	feita	por	bons	profissionais,	por	sua	formação	continuada	
e estimulo à participação em cursos e especialmente no fomento da pesquisa e 
pela participação ativa dos pais e da comunidade, em reuniões e eventos, que 
são cruciais no sucesso dos alunos. 
Referências
BENCINI, Roberta. Como atrair os pais para a escola. Revista Nova Escola: 
Gestão Escolar. Disponível em: <http://revistaescola.abril.com.br/gestao-escolar/
diretor/como-atrair-pais-escola-423311.shtml>. Acesso em: 16 maio 2011.
148
Supervisão escolar
BRASIL. Ministério da Educação. Orientações Gerais: Formação Continuada de 
Professores de Educação Básica. Brasília: MEC, 2005. Disponível em: <http://
www.oei.es/quipu/brasil/Red_Nac_form_continua.pdf>. Acesso em: 12 jun. 2011.
BRASIL. Supervisão pedagógica e orientação educacional: fatores da 
melhoria da qualidade do ensino. Brasília, 1979.
DELFINO, Rose. 10 passos para se sair bem na primeira reunião de pais. Nova 
Escola: Gestão Escolar. Disponível em: <http://revistaescola.abril.com.br/gestao-
escolar/diretor/10-passos-se-sair-bem-primeira-reuniao-pais-423087.shtml>. 
Acesso em: 8 maio 2011.
DEMO, Pedro. Pesquisa: princípio científico e educativo. 8ª xed. São Paulo: 
Cortez, 2001.
FIQUEIREDO, Giovani Costa. O papel do supervisor escolar. Disponível em: 
<http://www.cpers15nucleo.com.br/index.php?id=not602>. Acesso em: 15 jun. 
2011.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra. 1996.
GESTÃO	INDUSTRIAL	Reuniões	eficazes.	Disponível	em:	<http://
gestaoindustrial.com/reunioeseficazes.htm>.	Acesso	em:	09	jul.	2011.
LIBÂNEO, José Carlos et al. Educação Escolar: políticas, estrutura e 
organização. São Paulo: Cortez, 2003.
OLIVEIRA, Stella M. L. Gaspar de. As concepções de aprendizagem no 
contexto educativo: um estudo diagnóstico em alunos de um curso de 
magistério no nível médio. 1999. Dissertação (Mestrado) UFRN Natal, 1999.
REME. Referencial Curricular da Rede Municipal de Ensino 3º ao 9º ano do 
Ensino Fundamental. Secretaria de Educação (SEMED). Campo Grande, 2008.
SHIGUNOV NETO, Alexandre; MACIEL, Lizete Shizue Bomura. A Importância 
da pesquisa para a prática pedagógica dos professores que atuam na educação 
superior brasileira: algumas discussões iniciais. Revista Brasileira de Docência, 
Ensino e Pesquisa em Administração. V. 1, n. 1, p.04-23, Maio/2009.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.