A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
148 pág.
SUPERVISÃO ESCOLAR

Pré-visualização | Página 6 de 36

incluir funções administrativas. O supervisor deve 
ser cumpridor das funções de coordenador, consultor, líder do grupo 
e avaliador dentro dos domínios do desenvolvimento instrucional, 
curricular e pessoal. O supervisor deve possuir características pessoais 
que irão permitir-lhe trabalhar de forma harmoniosa com as pessoas 
e	 conhecimentos	 e	 habilidades	 suficientes	 para	 executar	 todas	 as	
funções	 de	 forma	 eficaz.	 Liderança	 e	 habilidades	 de	 comunicação	
interpessoal parecem ser especialmente importantes para a supervisão 
de sucesso. Os supervisores devem possuir uma mistura sensata de 
técnicas gerenciais e habilidades de relações humanas. 
Oliveira	 (2008)	 quantifica	 e	 qualifica	 muito	 bem	 as	 funções	 do	
supervisor levando e consideração toda a pluralidade da supervisão em 
face de questões como: (1) relação entre teoria e prática; (2) formação 
e investigação; (3) noção de conhecimento (como saber construído e 
transmissível ou construção pessoal de saberes); (4) papéis do supervisor e do 
professor; (5) noções de educação e de formação de professores e (6) assunção 
da escola como centro de formação. 
É óbvio que os vários cenários apresentados não se excluem 
mutuamente; pelo contrário, interpenetram-se. Cada um lança 
olhares diferentes, histórica e culturalmente contextualizados, 
sobre o mesmo fenômeno: a supervisão como processo 
intrapessoal	e	 interpessoal	de	formação	profissional	que	visa	
a melhoria da educação nas escolas. (ALARCÃO; TAVARES, 
2003, p. 41).
A legislação vigente, apesar de limitadora, procura colocar o 
cargo de supervisor como algo imprescindível para o Sistema Nacional 
de	 Educação	 e	 define	 a	 função	 profissional	 e	 suas	 atribuições.	 A	
legislação atual, que rege a supervisão escolar, LDB (Lei de Diretrizes 
e Bases da Educação No 9394 de Dezembro de 1996) e PLC No 132 
de 2005 (Projeto de Lei da Câmara), que foi derivado da Lei 132-1978, 
descrevem os processos de formação e atividades da supervisão 
escolar.
 
A LDB em seu Artigo 64 determina na íntegra que:
A	formação	de	profissionais	de	educação	para	administração,	
planejamento, inspeção, supervisão e orientação educacional 
para a educação básica, será feita em cursos de graduação 
em pedagogia ou em nível de pós-graduação, a critério da 
instituição de ensino, garantida, nesta formação, a base 
comum nacional. 
Liderança e 
habilidades de 
comunicação 
interpessoal 
parecem ser 
especialmente 
importantes para 
a supervisão 
de sucesso. Os 
supervisores 
devem possuir uma 
mistura sensata de 
técnicas gerenciais 
e habilidades de 
relações humanas. 
A LDB em seu 
Artigo 64 determina 
na íntegra que:
A formação de 
profissionais de 
educação para 
administração, 
planejamento, 
inspeção, 
supervisão 
e orientação 
educacional 
para a educação 
básica, será 
feita em cursos 
de graduação 
em pedagogia 
ou em nível de 
pós-graduação, 
a critério da 
instituição de 
ensino, garantida, 
nesta formação, 
a base comum 
nacional. 
25
A Supervisão Escolar no Sistema Educacional Brasileiro: 
História, Conceitos, Características e FunçõesCapítulo 1
Como se pode perceber, a legislação descreve a formação do supervisor 
para que possa atuar na função. Determina, portanto, como pré-requisitos, que ele 
tenha	graduação	em	pedagogia,	ou	que,	após	alguma	graduação,	o	profissional	
tenha uma pós-graduação no mínimo em nível especialização (lato-sensu) na 
área	específica.	
Por sua vez, a LDB não determina as atividades e obrigatoriedades dos 
cargos	administrativos	da	escola,	o	que	causou,	e	ainda	causa,	alguma	dificuldade	
nas	especificidades	de	cada	profissional.	Não	raro	se	percebe	o	diretor	exercendo	
atividades que seriam de competência do supervisor ou o supervisor executando 
atribuições	que	seriam	específicas	do	professor.	Para	dissipar	essas	dúvidas,	um	
Projeto de Lei foi elaborado em 2005 com base na Lei 132 de 1978 e na própria 
LDB. As atribuições do Supervisor Educacional estão descritas no PLC (Projeto 
de Lei da Câmara) 132/2005 e na lei 132/1978, apresentadas a seguir.
 
ART. 4º DA PLC 132/2005
SÃO ATRIBUIÇÕES DO SUPERVISOR EDUCACIONAL:
I – coordenar o processo de construção coletiva e execução da 
Proposta Pedagógica, dos Planos de Estudo e dos Regimentos 
Escolares; 
II – investigar, diagnosticar, planejar, implementar e avaliar o 
currículo	em	integração	com	outros	profissionais	da	Educação	e	
integrantes da Comunidade;
III – supervisionar o cumprimento dos dias letivos e horas/aula 
estabelecidos legalmente;
IV – velar o cumprimento do plano de trabalho dos docentes nos 
estabelecimentos de ensino;
V – assegurar processo de avaliação da aprendizagem escolar e a 
recuperação dos alunos com menor rendimento, em colaboração 
com todos os segmentos da Comunidade Escolar, objetivando a 
definição	de	prioridades	e	a	melhoria	da	qualidade	de	ensino;
VI – promover atividades de estudo e pesquisa na área educacional, 
estimulando o espírito de investigação e a criatividade dos 
profissionais	da	educação;	
26
Supervisão escolar
VII – emitir parecer concernente à Supervisão Educacional;
VIII – acompanhar estágios no campo de Supervisão Educacional;
IX – planejar e coordenar atividades de atualização no campo 
educacional;
X – propiciar condições para a formação permanente dos 
educadores em serviço;
XI – promover ações que objetivem a articulação dos educadores 
com as famílias e a comunidade, criando processos de integração 
com a escola;
XII – assessorar os sistemas educacionais e instituições públicas e 
privadas nos aspectos concernentes à ação pedagógica.
Por outro lado a Lei 132/1978 determina que os deveres do 
supervisor são:
• Assessorar os sujeitos hierárquicos em assuntos da área da 
supervisão escolar;
• Participar do planejamento global da escola:
• Coordenar o planejamento do ensino e o planejamento do 
currículo;
• Orientar a utilização de mecanismos e instrumentos tecnológicos 
em função do estágio de desenvolvimento do aluno, dos graus de 
ensino e das exigências do Sistema Estadual de Ensino no qual 
atua;
• Avaliar o grau de produtividade atingido em nível de Escola e em 
nível de atividades pedagógicas;
• Assessorar os outros serviços técnicos da escola, visando 
manter coesões na forma de se permitir os objetos propostos 
pelo sistema Escolar;
• Manter-se constantemente atualizado com vistas a garantir 
padrõesde	 	 eficiência	 e	 de	 eficácia	 no	 desenvolvimento	 do	
processo, de melhoria curricular em funções das atividades que 
desempenha.
 Exemplos de Atribuições do Supervisor:
• Traçar as diretrizes e metas prioritárias a serem ativadas no 
Processo de Ensino, considerando a realidade educacional de 
27
A Supervisão Escolar no Sistema Educacional Brasileiro: 
História, Conceitos, Características e FunçõesCapítulo 1
sistema, face aos recursos disponíveis e de acordo com as metas 
que direcionam a ação educacional;
• Participar	 do	 planejamento	 global	 da	 escola,	 identificando	 e	
aplicando os princípios de supervisão na Unidade Escolar, tendo 
em vista garantir o direcionamento do Sistema Escolar;
• Coordenar o planejamento de ensino, buscando formas de 
assegurar a participação atuante e coesiva da ação docente na 
consecução dos objetivos propostos pela Escola;
• Realizar	e	coordenar	pesquisas,	visando	dar	um	cunho	científico	
à ação educativa promovida pela Instituição;
• Planejar as atividades do serviço de Coordenação Pedagógica, 
em função das necessidades a suprir e das possibilidades a 
explorar, tanto dos docentes e alunos, como da comunidade;
• Propor sistemáticas do fazer pedagógico condizente com as 
condições do ambiente e em consonância com as diretrizes 
curriculares;
• Coordenar e dinamizar mecanismos que visam à 
instrumentalização dos professores quanto ao seu fazer docente.
Fonte: ASSERS. Atribuições do Supervisor Educacional. Disponível 
em: <http://www.assers.org.br/>. Acesso em: 10 maio 2011.
Apesar	de	as	tarefas	estarem	determinadas	em	lei	ou	projeto,	a	dificuldade

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.