A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
148 pág.
SUPERVISÃO ESCOLAR

Pré-visualização | Página 9 de 36

Alunos de diversas culturas e crenças transformam a educação atual 
em algo ainda mais complexo, sendo esta uma realidade presente em nossas 
escolas públicas ou privadas, uma vez que alguns caminhos seguidos e sugestões 
anteriores	 não	 mais	 se	 aplicam	 com	 a	 mesma	 eficiência	 no	 contexto	 mutável	
de hoje. Nesse sentido, a complexidade da supervisão escolar passa a ter uma 
importância ainda maior, uma vez que pretende e deve encaminhar a educação 
para uma possibilidade que reconhece o aluno de agora, suas características e 
limitações.
Neste capítulo, discutiremos o trabalho diário do supervisor em seus aspectos 
administrativos e pedagógicos que são características da função, mas num 
contexto contemporâneo, uma vez que, como foi determinado acima, estaremos 
conectando esses afazeres dentro da realidade moderna do educando com o 
objetivo de nortear a teoria formal com a prática essencial, concreta e positiva.
O	Supervisor	Escolar	e	o	
Planejamento	no	Sistema	
Educacional	Brasileiro	Atual
A escola atual deve promover o ensino de forma variada. Não raro se 
percebem escolas que oferecem ao aluno atividades como leitura, esportes, 
música (nova exigência de lei), pesquisa ou informática. Essas atividades 
curriculares são exemplos do novo contexto exigido pela sociedade atual e são 
promovidos por algumas escolas que pretendem gerar uma atualização em seus 
conceitos. Na escola pública essas variações acadêmicas são ainda limitadas e 
dependem da iniciativa das secretarias de educação do município ou do estado. 
Nas escolas particulares, essas atividades pretendem promover uma educação 
integral, mas são normalmente cobradas além da mensalidade regular. 
De qualquer modo, a importância dessas atividades é alta e demonstra 
que as escolas estão voltadas ao desenvolvimento presente e devem estar 
atualizadas na procura de uma educação conectada com a realidade do aluno 
e do mundo contemporâneo. Essa realidade deve fazer parte do entendimento 
dos	trabalhadores	da	educação	e	suas	funções	profissionais.	Então,	o	supervisor	
escolar precisa estar preparado para essas constantes atualizações inerentes à 
escola e aos alunos. Além de estar ciente do que se passa na realidade em que 
38
Supervisão escolar
vive e nas tendências pedagógicas, ele/ela deve promover a inclusão de novas 
atitudes e dinâmicas através da construção do planejamento que respeite essa 
condição epistemológica. 
O planejamento pode ser considerado a engrenagem para uma boa 
educação. Nesse processo é importante garantir que sejam seguidas 
três etapas: a elaboração, a execução e a avaliação. Na primeira, é 
necessário que o grupo explicite os ideais que norteiam suas ações. 
Qual realidade sonhamos vivenciar? Que tipo de pessoas formamos? 
Que Educação queremos para crianças e jovens? Conhecendo 
o desejado, é hora de analisar a realidade existente. Para que o 
planejamento seja realmente um instrumento de trabalho, é preciso 
colocá-lo em prática, ou seja, agir de acordo com o que foi imaginado. 
E só será possível perceber se o quadro encontrado no início do ano 
está sendo transformado na direção da realidade desejada se houver 
algum tipo de acompanhamento das ações.
De acordo com Vasconcellos (2000), há a descrença na utilidade do 
planejamento. Ele aponta que alguns professores consideram impossível dar 
conta da tarefa por diferentes motivos: o trabalho em sala de aula é dinâmico e 
imprevisível; faltam condições mínimas, como tempo; e existe o pensamento de 
que nada vai mudar e, portanto, basta repetir o que já tem sido feito. Há também 
aqueles que acreditam na importância do planejamento, mas que não fazem parte 
da sua construção, desprezando-o.
Combinações	para	uma	Escola	
Eficiente
 
Para	uma	escola	se	tornar	exemplo	de	eficiência	ela	deve	buscar	
esse caminho em seu planejamento. Em um estudo comparativo 
realizado nas escolas públicas em 2004, nos Estados Unidos, 
perceberam-se	 problemas	 e	 soluções	 para	 uma	 educação	 eficiente.	
Esse estudo apontou as melhores e as piores escolas e que as 
melhores escolas daquele país têm semelhanças entre si. As maiores 
qualidades foram notadamente ligadas à gestão dessas escolas e 
como seus gestores aplicam soluções práticas e que fazem diferença 
na qualidade de ensino. Essas indicações são perfeitamente aplicáveis 
na nossa realidade brasileira, pois não requerem investimentos 
nem grandes treinamentos do pessoal envolvido. Trazem, sim, uma 
mudança	de	mentalidade	e	amplificam	a	importância	da	educação	e	o	
poder da escola, quando bem aplicados. A partir desse estudo, as combinações 
para	uma	escola	eficiente,	são:
O planejamento 
pode ser 
considerado a 
engrenagem para 
uma boa educação. 
Nesse processo é 
importante garantir 
que sejam seguidas 
três etapas: a 
elaboração, a 
execução e a 
avaliação.
As maiores 
qualidades foram 
notadamente 
ligadas à gestão 
dessas escolas e 
como seus gestores 
aplicam soluções 
práticas e que 
fazem diferença 
na qualidade de 
ensino.
39
O Planejamento Escolar e os Desafios da 
Supervisão para uma Escola Atual e IdealCapítulo 2
• Ambiente Seguro e Ordenado
 – Comportamento desejável do aluno; 
 – Ambiente que promova o ensino-aprendizagem; 
 – Ambiente colaborativo e cooperativo para adultos e jovens;
 – Respeito à diversidade humana e aos valores democráticos.
• Grande Expectativa para o Sucesso
 – Oportunidades iguais para todos os alunos;
 – Estratégias de rever as técnicas de ensino;
 – Professores devem ser os “lançadores”;
 – Escola deve ceder melhores ferramentas aos professores.
• Liderança Educacional 
 – Escola é uma comunidade de troca de valores;
 – Diretor não é o único líder e os professores devem ser encorajados.
• Missão Clara e Consistente
 – Todos os alunos devem ter a condição de sucesso;
 – Desenhar o currículo que atenda as necessidades dos alunos;
 – Combinação entre o alto nível do currículo com a preparação dos 
professores;
 – Ambiguidade: Ensinar e aprender.
• Oportunidade de Aprender e Tempo aos Alunos
 – Professores mais bem organizados; 
 – efinir	o	que	deve	ser	ensinado	e	dedicar	mais	tempo	na	elaboração	desses	
conteúdos;
 – Alunos necessitam de mais tempo para aprender.
• Monitoramento do Progresso dos Estudantes
 – Usar a tecnologia para professores e alunos acompanharem os seus 
progressos e ajustarem os seus comportamentos;
 – Avaliações mais autênticas. Ênfase no trabalho do aluno.
• Relação Escola-Casa
 – Relação pais-escola deve ser uma parceria autêntica;
40
Supervisão escolar
 – Construir	 uma	 relação	 de	 confiança	 e	 uma	 comunicação	 adequada	 em	
busca	do	mesmo	objetivo:	escola	e	educação	eficientes.
Figura	2	-	Competências	Para	Uma	Escola	Eficiente
Fonte: O Autor.
O	Conceito	de	Planejamento	
Escolar
 
Planejamento	escolar	se	define	como	sendo	o	caminho	que	se	deve	seguir	
na busca de objetivos propostos antecipadamente. Esses objetivos podem 
ser de ordem pedagógica ou administrativa, mas sempre na expectativa de 
melhorias do que já se está fazendo, ou na programação de algo totalmente 
novo.
 
É oportuno perceber que os conceitos de Planejamento já 
foram apresentados no Caderno da disciplina de “Planejamento 
Institucional”, que você pode rever para melhor entendimento.
41
O Planejamento Escolar e os Desafios da 
Supervisão para uma Escola Atual e IdealCapítulo 2
Aos nossos interesses, vamos utilizar o planejamento para a escola, para o 
supervisor, para o professor e para o aluno, pois pelo planejamento se facilita e se 
dinamiza o trabalho acadêmico de discentes e de docentes. Todas as escolas têm 
objetivos, funções e metas a serem atingidas e, para alcançar esses objetivos, um 
plano ou programa é elaborado. Na elaboração deste plano, decisões devem ser 
tomadas e aprovadas pela maioria para então serem transportadas a um objetivo 
geral	ou	objetivos	específicos.
O planejamento escolar precisa ser democrático e coerente, em que a 
possibilidade de acerto deve ser sempre a intenção maior. Para tanto, Menegola

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.