A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
HÉRNIAS

Pré-visualização | Página 1 de 2

Hérnias 
• É uma protrusão de uma estrutura 
(víscera ou órgão) da cavidade que é 
destinada a essa estrutura. Por algum 
orifício natural ou adquirido essa 
estrutura sai do espaço dele pelo 
orifício e invade outro espaço 
 
• Tipos 
 
o Hiato: é relativamente frequente 
→ por alguma situação parte do 
estomago desliza (sai da 
cavidade a que estava 
destinado) e ganha espaço no 
tórax; 
 
o Discal: é a protrusão do disco 
intervertebral em direção às 
raízes nervosas; 
 
 
o Cerebral: pode ocorrer na tenda 
do cerebelo com compressão do 
tronco; 
 
• Hérnias de Parede Abdominal 
 
 
 
 
 
o Parede abdominal: pode ser 
uma falha ou defeito na parede 
abdominal, permitindo que a 
estrutura, que deveria ser 
intrabdominal; 
o É a protrusão de conteúdo 
abdominal através de orifícios 
naturais ou adquiridos; 
o É benigno, mas tem muita 
importância na rede de atenção 
à saúde por ser uma doença 
altamente incapacitante, 
conduzindo o paciente a uma 
limitação, interferindo na 
performance, atrapalha em 
atividades cotidianas, 
desempenho sexual, acarreta 
em um comprometimento 
estético e exclusão social; 
o Incidente em todas as faixas 
etárias; 
o Em extremos de idades → maior 
gravidade (bebês e idosos); 
o Predominante em sexo 
masculino contudo, atinge 
ambos os sexos; 
o É uma doença de tratamento 
cirúrgico; 
o Componentes da hérnia 
 
▪ Anel herniário: ponto de 
maior fragilidade → por 
onde o conteúdo sai do 
local de origem para o 
outro local; 
▪ Saco herniário: nesta 
saída da cavidade 
abdominal o peritônio 
acompanha o conteúdo, 
compondo o saco 
herniário; 
▪ Conteúdo herniário: pode 
variar entre gordura 
hernial, epíplon e … 
• Tipos de Hérnias de Parede Abdominal 
Hérnia Inguinal 
 
▪ Corresponde a 70% das 
hérnias de parede 
abdominal; 
▪ Acomete 3 homens a 
cada 1 mulher; 
▪ Indireta: 75% → 
acontecem 
predominantemente à 
direita e se projeta 
lateralmente aos vasos 
epigástricos inferiores e 
seu caminho é através do 
anel inguinal; 
▪ Direta: 25% → é 
medialmente; 
• Anatomia da região inguinal 
 
 
 
 
o Triângulo de Hesselbach: 
quando está presente estou 
falando de direta → musculo 
reto abdominal, ligamento 
inguinal e vasos epigástricos 
inferiores; 
 
• Causas da hérnia inguinal 
 
o Fragilidade da parede 
musculoaponeurótica; 
o Indireta: alargamento do anel 
inguinal; 
▪ Em crianças: persistência 
do conduto 
peritoniovaginal; 
▪ Em crianças não tem 
hérnia direta pois a 
musculatura é saudável; 
o Direta (triângulo de 
Hesselbach): fragilidade do 
assoalho inguinal (orifício 
miopectineo) 
▪ Disposição anatômica 
das fibras; 
▪ Enfraquecimento do 
componente elástico do 
colágeno que é próprio 
do envelhecimento; 
▪ Tabagismo como 
envelhecimento do 
componente elástico e 
colágeno; 
▪ Raras em mulheres e 
quando aparecem são 
bem pequenas; 
o Queixa 
▪ Abaulamento, tumor, 
caroço, massa, nódulo → 
o paciente pode usar 
muito termos para 
expressar essa massa na 
região inguinal; 
▪ Pode ser doloroso ou 
não; 
▪ Pode vir acompanhado 
de parestesias 
(formigamento ou 
sensação de região 
anestesiada); 
o Propedêutica 
▪ Antecedentes pessoais: 
hábitos e condições de 
vida (tabagismo e 
ocupação profissional); 
▪ ISDA: é importante 
sinalizar tosse crônica 
(doenças pulmonares), 
prostatismo (doença 
urológica), obstipação 
crônica (doença 
intestinal), ascites de 
diferentes causas, 
doenças do colágeno 
(marfan, ehlers-danlos, 
hurler-hunter); 
• Exame físico – Hérnia Inguinal 
 
 
o Palpação manual: consistência 
amolecida, redutibilidade (se o 
conteúdo volta a cavidade 
abdominal), palpação digital 
(choque ponta-dedo, que vai 
mostrar se é direta ou indireta); 
o Percussão: não há como fazer 
percussão na bolsa escrotal; 
o Ausculta: ruídos hidroaéreos 
presentes pois tem alça 
intestinal na região herniada; 
o A manobra choque ponta-dedo 
avalia se a hérnia é direta ou 
indireta; 
• Propedêutica armada (exames de 
imagem): exceções 
o O diagnóstico de hérnia é 
clínico! 
o USG e TC; 
Hérnia Femoral ou Crural 
 
 
• Corresponde a 5% das hérnias 
abdominais; 
• Atinge 1,8 mulheres a cada 1 homem; 
• A rigidez do anel femoral faz com que 
20-25% dos casos de encarceramento 
ou estrangulamento estejam 
relacionados a hérnia femoral; 
• Triângulo de Scarpa → relacionado a 
hérnia femoral 
o Ligamento inguinal; 
o Borda do musculo adutor longo; 
o Músculo sartório; 
o No meio do triângulo tem o 
orifício oval (fossa oval) é o 
ponto onde as hérnias se 
desenvolvem; 
• Propedêutica 
 
o Sequência e dados semelhantes 
aos da inguinal; 
o Inspeção e palpação em 
posição ortostática; 
o Abaulamento logo abaixo da 
prega inguinal e medialmente ao 
pulso femoral; 
o Redução espontânea ou 
manual; 
• Diagnóstico diferencial 
o Linfadenomegalias; 
o Lipomas; 
o Aneurisma e pseudoaneurisma 
de artéria femoral; 
o Abcesso de psoas → é muito 
difícil de a situação chegar 
nesse ponto; 
Hérnia Umbilical 
 
 
 
• É um tipo de hérnia ventral (acima da 
sínfise púbica); 
• É o tipo de hérnia mais frequente em 
crianças; 
• Congênitas: conteúdo herniário 
exterioriza-se pelo anel umbilical; 
• Propedêutica 
o Abaulamento em região 
umbilical que piora quando a 
criança chora; 
o Inspeção e palpação → 
evidentes; 
• Hérnia umbilical no adulto 
 
o Em 10% dos casos foi presente 
na infância; 
o 90% adquiridas → acima da 
cicatriz umbilical; 
o Ocorre uma fragilidade das 
fibras tendíneas da linha alba 
que estão próximas a cicatriz 
umbilical; 
o Comum em mulheres 
multíparas, pacientes obesos e 
cirróticos com ascite; 
• Queixas 
o Abaulamento em região 
umbilical acompanhado ou não 
de dor de caráter continuo ou em 
cólica; 
o ISDA: multiparidade, alterações 
ponderais expressivas, 
hepatopatias; 
o Inspeção: estática, abaulamento 
visível ou aparente apenas com 
a manobra de vasalva; 
o Palpação 
Hérnia Epigástrica 
 
 
• É pouco incidente (1% das hérnias de 
parede anterior) → relacionada a 
pacientes que buscam performance 
física (exercício, musculação); 
• Localização: linha mediana entre o 
xifoide e a cicatriz umbilical; 
• É um pequeno abaulamento; 
• Esta relacionada ao encarceramento 
da gordura pré-peritoneal; 
• Orifício enrijecido e de bordas finas; 
• Podem ser múltiplas em até 20% dos 
casos; 
• Inspeção estática e dinâmica 
(valsalva); 
• Defeitos grandes → raros 
o Menos dolorosos; 
o Diagnostico diferencial: 
tumorações de parede → USG 
pode ser útil; 
Hérnia de Spiegel 
 
 
 
• Acomete menos de 1% dos indivíduos; 
• É de diagnóstico difícil; 
• Incidente em adulto de 40-50 anos, 
acometendo mais as mulheres; 
• São unilaterais, predominantemente a 
esquerda; 
• Propedêutica 
o Queixa 
▪ Abaulamento; 
o Tem alto risco de 
encarceramento; 
Hérnia incisional 
 
• É um defeito na cicatrização dos planos 
musculo-aponeuróticos da parede 
abdominal; 
• Causas 
o Incisão laparoscópica; 
o Orifícios de drenagem 
abdominal; 
o Sítios de inserção de 
trocanteres; 
o Recidivas; 
• Incidência 
o 13-20% das laparotomias; 
• Propedêutica 
o Queixa 
▪ Abaulamento espontâneo 
ou provocado por 
esforços físicos 
relacionados a cicatriz de 
laparotomia; 
o História pregressa 
▪ Dados de cirurgia; 
o ISDA 
▪ Doenças pulmonares, 
DM, prostatismo, 
obstipação intestinal 
crônica; 
o Antecedentes pessoas 
▪ Uso crônico de 
corticosteroides; 
▪ Tabagismo; 
o Exame físico 
▪ Inspeção estática e 
dinâmica (Valsalva), em 
posição ortostática e 
DDH, avaliar volume 
herniário; 
▪ Característica da incisão, 
localização, extensão; 
 
Complicações de hérnias da 
parede abdominal 
 
o O risco do encarceramento é 
que ela estrangule; 
o Encarceramento 
▪ Quando o conteúdo do 
saco herniário não pode 
ser reduzido; 
▪ Queixa: