A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Retalhos Periodontais

Pré-visualização | Página 1 de 1

Amy Brian | Ana Maria | Arthur Segatto | Bruna Bissoli | Carlos Alberto | Ester Coser | Isabela Trannin | Liz Karolyna | Manuella Soussa | Matheus Machado
Disciplina de Periodontia III
facilitar o tratamento ligado à causa da doença 
periodontal, facilitando também a higiene 
pessoal do paciente e melhorar a preservação 
do periodonto a longo prazo
a terapia cirúrgica só ocorre na fase 2 do 
tratamento periodontal, ou seja, após o 
tratamento clínico da doença
São indicados para acesso à superfície radicular para raspagem ou eliminação 
de bolsas ou ainda para regeneração periodontal. 
CLASSIFICAÇÃO DOS RETALHOS
- Corte de 45° voltado e até encostar no osso
- Rebatimento do retalho com o periósteo
- A angulação do corte depende do fenótipo periodontal 
- Rebatimento do retalho dividido sem o periósteo
QUANTO AO 
TECIDO REBATIDO
RETALHO DE ESPESSURA TOTAL
RETALHO DE ESPESSURA PARCIAL
RETALHOS PERIODONTAIS
QUANTO À POSIÇÃO FINAL 
DO RETALHO REBATIDO
RETALHO POSICIONADO 
APICALMENTE
O retalho é reposicionado apicalmente 
em relação a sua posição original
O retalho é reposicionado em sua 
posição original ou coronalmente, 
lateralmente, por dupla papila 
(existem várias variáveis)
RETALHO REPOSICIONADO
CRONOLOGIA DOS RETALHOS PERIODONTAIS
Retalho Original de Widman (1918)
Retalho mucoperiosteal (de espessura total) que visa remover o epitélio da bolsa 
e do conjuntivo inflamado. 
incisões verticais relaxantes além 
da junção mucogengival que 
demarcam a área da cirurgia
incisão em bisel invertido na 
margem gengival unindo as duas 
relaxantes, seguido da remoção 
do colar gengival inflamado com 
curetas
incisão intrasulcular 
intra-sulcular e rebatimento do 
retalho para realização do 
recontorno ósseo adequado e 
irrigação com soro
reposicionamento apical do retalho 
na crista óssea alveolar e suturas
INDICADO PARA CIRURGIAS DE 
ELIMINAÇÃO DE BOLSAS 
PERIODONTAIS!
PERMITE CICATRIZAÇÃO POR 
PRIMEIRA INTENÇÃO!
É POSSÍVEL ORGANIZAR OS RETALHOS EM ORDEM CRONOLÓGICA SEGUINDO 
AS DATAS DE SUA CRIAÇÃO PARA ENTENDER A EVOLUÇÃO DAS TÉCNICAS
Retalho de Kirkland (1931)
Tem como objetivo facilitar a raspagem radicular, bem como a remoção do epitélio da bolsa e do conjuntivo inflamado. 
Capaz de eliminar bolsas profunda e causa mínimo trauma nos tecidos, reduzindo desconforto no paciente.
ALTERNATIVA CONSERVADORA AO 
RETALHO ORIGINAL DE WIDMAN
Também tem rebatimento total do retalho e é indicado para acesso para 
raspagem/debridamento radicular de bolsas periodontais purulentas
incisão intra-sulcular 
paralela ao longo eixo do 
dente até o fundo da bolsa elevação/rebatimento do retalho total 
gengival de forma pouco invasiva para 
ter acesso aos defeitos ósseos que 
serão curetados e ao epitélio da bolsa e 
conjuntivo que serão eliminados.
raspagem radicular com 
curetas e procedimentos 
cirúrgicos necessários 
planejados
reposicionamento do 
retalho original e suturas
Retalho de Friedman (1954-1962)
ou retalho posicionado apicalmente 
É um retalho mucoperiosteal que visa remover o epitélio da bolsa, 
tecido de granulação e o conjuntivo inflamado. Todo o complexo 
mucogengival deve ser mantido e posicionado apicalmente (nas áreas 
vestibulares e linguais superiores e nas linguais inferiores). 
INDICADO PARA CIRURGIAS DE 
ELIMINAÇÃO DE BOLSAS 
PERIODONTAIS!
realização de uma incisão 
relaxante vertical, uma incisão em 
bisel invertido separando o retalho 
do tecido gengival inflamado
incisão intrasulcular 
concomitantemente ao 
afastamento do retalho 
mucoperiosteal e o colar da 
gengiva é retirado com cureta, 
incluindo o epitélio da bolsa e o 
tecido conjuntivo inflamado
a cirurgia óssea é realizada com o 
auxílio de uma broca para 
recuperar o contorno fisiológico do 
osso, facilitando a higienização das 
raízes
retalho reposicionado apicalmente 
ao nível da crista óssea alveolar 
recontornada e suturas
um cimento cirúrgico é colocado 
sobre a área da cirurgia para 
assegurar que os retalhos 
permaneçam na posição correta 
durante a cicatrização
Vantagens
- Mínima profundidade de bolsa pós-operatória
- Perda óssea mínima
- Menor desconforto ao paciente 
PERMITE CICATRIZAÇÃO POR 
PRIMEIRA INTENÇÃO!SEMELHANTE AO 
RETALHO ORIGINAL 
DE WIDMAN
Retalho de Widman Modificado (1974)
técnica de raspagem a campo aberto
É um retalho mucoperiosteal e não vai até a junção mucogengival. Essa técnica 
não faz o posicionamento apical do retalho e não faz o recontorno ósseo. 
MUITO BEM INDICADO PARA 
ÁREAS ESTÉTICAS!
vantagens
- íntima adaptação dos 
tecidos moles às raízes
- trauma mínimo para o osso 
alveolar e tec. conjuntivo
a incisão inicial é feita de 0,5 a 1 
mm da margem gengival e 
paralela ao longo eixo do dente
após o afastamento cuidadoso 
dos retalhos, é feita uma 
segunda incisão intrasulcular 
até tocar a crista óssea 
alveolar para separar o colar 
gengival da superfície radicular
a terceira incisão é feita 
perpendicularmente à 
superfície radicular e o mais 
próximo possível da crista 
óssea, separando desse modo 
o colar de tecido do osso 
alveolar
após os procedimentos 
cirúrgicos de debridamento e 
curetagem adequados, os 
retalhos são cuidadosamente 
ajustados para proteger o osso 
alveolar e suturados na sua 
posição original
A raspagem é realizada com menor intensidade 
próximo da cervical do dente para que haja boa 
adaptação do tecido agora saudável nesse local, já 
que não vai ter reposicionamento apical e nem 
recontorno ósseo. 
Cunha Distal
A cunha distal é indicada para o tratamento de bolsas periodontais na distal de molares 
superiores. Um técnica modificada envolve a mesma situação de bolsa profunda, porém 
associada a um defeito ósseo angular.
são realizadas incisões pela 
vestibular e pela lingual na 
região retromolar, formando um 
triângulo atrás do molar inferior
o triângulo formado (cunha de 
tecido) é dissecado do osso 
subjacente e removido
os retalhos vestibular e lingual são 
reduzidos em espessura por meio 
de incisões (pontilhado).
os retalhos, que foram desgastados e 
encurtados para evitar a sobreposição 
das margens da ferida, são suturados
duas incisões paralelas com bisel invertido 
são realizadas da distal do molar até a 
parte posterior da tuberosidade
as incisões são unidas por uma incisão 
vestibulolingual e as incisões vestibular e 
palatina são estendidas em direção mesial
os retalhos são afastados e uma cunha de 
tecido no formato retangular é dissecada 
e removida do dente e osso subjacente
realiza-se o recontorno ósseo 
e debridamento radicular
o tecido mole deve estar bem adaptado à superfície 
distal do molar. O excesso de tecido fibroso 
remanescente é nivelado com gengivectomia
CUNHA DISTAL 
MODIFICADACUNHA DISTAL
INSTRUMENTAIS CIRÚRGICOS
RASPAGEM E ALISAMENTO RADICULAR
curetas periodontais
ANESTESIA
seringa carpule
EXAME CLÍNICO PERIODONTAL
espelho, sonda periodontal 
milimetrada e sonda nabers
INCISÃO E EXCISÃO
bisturis periodontais
AFASTAMENTO E READAPTAÇÃO DE 
RETALHOS NA MUCOSA
descoladores de periósteo
SECCIONAMENTO RADICULAR E 
OSTEOPLASTIA/OSTEOTOMIA
pontas diamantadas e brocas 
multilaminadas
pinça clínica e pinça para tecido
SUTURA
porta-agulha castroviejo, tesoura 
para tecido e fio de sutura
REMOÇÃO DE TECIDO FIBROSO
pinça goiva e tesoura para tecido
REMOÇÃO DE TECIDO ÓSSEO
cinzéis e limas
CARRANZA Jr., F.A.; NEWMAN M.G.; TAKEI H.H. Periodontia clínica. 9 o ed., Ed. Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2004.
LINDHE J. Tratado de Periodontia Clínica e Implantologia Oral. 5ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2010.