A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
SISTEMA ENDÓCRINO

Pré-visualização | Página 1 de 3

UNIP – UNIVERSIDADE PAULISTA
SISTEMA ENDÓCRINO
LUCAS DE SÁ FARIAS
ARACAJU, SE
2021
SUMÁRIO
1. LH – Hormônio Luteinizante………………………………………….. 3
2. GH – Hormônio do crescimento……………………….……………… 3
3. Prolactina………………………………………………………………. 3
4. Ocitocina………………………………………………………………. 4
5. Paratormônio (PTH)…………………………………………………… 4
6. Adrenalina……………………………………………………………... 4
7. Noradrenalina………………………………………………………….. 5
8. Aldosterona………………………………………………………….…. 5
9. Insulina………………………………………………………………… 5
10. Glucagon……………………………………………………………... 5
11. Estrógeno………………………………………………………….….. 6
12. Progesterona………………………………………………………….. 6
13. Testosterona…………………………………………………………... 6
14. Referência bibliográfica……………………………………………… 6
1. LH – Hormônio Luteinizante
Este hormônio é produzido pela hipófise e nas mulheres é responsável pelo amadurecimento
de folículos, ovulação e produção de progesterona e nos homens é responsável pela maturação dos
espermatozoides. Sua principal função é na capacidade reprodutiva da mulher.
O LH é importante devido ao estímulo de produção do outro hormônio feminino, a
progesterona, sendo ele responsável para a ovulação e se torna indispensável no ciclo menstrual. Ele
é regulado pelo eixo hipotalâmico-pituitário-gonadal. A falta deste hormônio implica na
infertilidade. Como o LH possui a função de desenvolver e interromper os folículos até a ovulação,
a sua deficiência não vai liberar o óvulo ou amadurecê-lo fazendo com que não haja fecundação
pelo espermatozoide.
Como sabemos, o LH é produzido pela hipófise, sendo secretado pela célula gonadotrófica,
em resposta ao hormônio de liberação de gonadotrofina (GnRH) secretado pelo hipotálamo. O
aumento GnRH estimula maior produção de LH na fase pré ovulatória e ovulação. 
2. GH – Hormônio do crescimento
Este hormônio é responsável pelo crescimento físico do copro humano e celular, também
possui a função e regular o metabolismo, sendo ele produzido pela hipófise. Sua deficiência no
desenvolvimento humano pode causar o nanismo ou seu excesso poderá causar crescimento
exagerado de alguma parte do corpo.
O GH é secretado pela adeno-hipófise e sua ação ocorre principalmente no fígado, onde é
liberado substâncias semelhantes a insulina estimulando assim o crescimento dos tecidos. A baixa
secreção deste hormônio poderá impedir o desenvolvimento ósseo.
O GH é importante por está presente em todo o organismo, pois ele responsável pelo
desenvolvimento de cartilagens dos ossos, células, aumento da massa muscular, metabolismo das
proteínas, gorduras e açúcar, auxiliando também no desenvolvimento físico desde a infância, onde é
observado na estrutura corporal.
3. Prolactina
A prolactina é um hormônio produzido pela hipófise, tendo como principal função na
produção de leite, principalmente na mulher na fase de amamentação. Ele prepara as mamas para a
produção do leite desde o início da gravidez até o estágio final da amamentação, ou seja, este
hormônio é secretado pelas mamas de acordo a estímulos como a amamentação, ovulação,
alimentação, acasalamento e tratamento com estrógeno. 
Este hormônio é importante para o controle hormonal feminino, pois ele regula na
menstruação e na ovulação, mesmo fora do período gestacional. Quando a prolactina está com taxa
alta no sangue pode está afetando no funcionamento dos ovários, onde possui as seguintes
características: irregularidades ou ausência da menstruação, infertilidade, sintomas da menopausa e
após muitos anos o aparecimento da osteoporose.
3
4. Ocitocina
Este hormônio é produzido pelo hipotálamo e secretado pela neuro-hipófise, muito presente
em partos e amamentação pois possui o papel de facilitar tanto na contração quanto na produção
devido ao movimento de sucção realizada pelo bebê. Está ligado também na melhora do humor, da
interação social, diminuição da ansiedade e aumento da ligação entre parceiros. 
Os níveis baixos de ocitocina são presentes em pessoas com condições comportamentais e
neurológicas como transtornos do deficit de atenção, hiperatividade, autismo, esquizofrenia e outras
debilidades ligadas ao sistema neurológico. 
É importante ressaltar que este hormônio atua nos sistemas de controle anti-inflamatório,
pois ele tem um papel fundamental na captação de iodo pelos órgãos captadores, principalmente
pela tireoide. 
5. Paratormônio (PTH)
Sua produção ocorre através da glândula paratireoide, pois é um dos principais hormônios
no controle do cálcio e fósforo e regulação da produção da forma ativa da vitamina D. Sua secreção
ocorre em resposta a hipocalcemia e é inibido quando ocorre a hipercalcemia, tendo como um
importante controle homeostático rápido no controle de cálcio. Seu controle de secreção é realizado
pela concentração de íons cálcio presente no líquido extracelular. Como uma ligeira redução dos
níveis deste elemento no sangue apresente capacidade de induzir sua secreção pelas glândulas
paratireoides.
6. Adrenalina
A adrenalina, também é conhecida como epinefrina, é o hormônio associado ao sistema
cardiovascular, onde regula a frequência cardíaca e pressão arterial, tendo como função de manter o
corpo em alerta para situações de fortes emoções ou estresse como luta, fuga, excitação ou medo.
Sua produção e secreção ocorre através das glândulas suprarrenais ou adrenais. 
Quando a epinefrina age no organismo em situações emergenciais, ela provoca ações
involuntárias que são a taquicardia, palidez, sudorese, vasoconstrição, dilatação das pupilas,
relaxamento ou contração muscular, taquipneia e em situações extremas ela causa hiperglicemia.
Como já citado, a adrenalina tem uma grande importância com o sistema cardiovascular e
também está ligado ao sistema nervoso simpático, como neurotransmissor. Quando a epinefrina age
no organismo, ao qual o prepara para ações de grande esforço, ele já apresenta seus sintomas
característicos e com isso faz com que o sangue seja bombeado com mais frequência devido a causa
de vasoconstricção. 
4
7. Noradrenalina
A noradrenalina, também conhecida como norepinefrina, é um hormônio da família das
catecolaminas e precursor da epinefrina, secretado pela medula suprarrenal atuando em situações de
pequenos estresses com curta duração, atua como um neurotransmissor, exercendo papel excitatório
no sistema nervoso autônomo. 
A norepinefrina possui várias funções, sendo elas aumento de energia no corpo, quebra de
glicogênio no fígado e músculo esquelético e liberação de ácidos graxos pelas células adiposas.
Outras funções relacionadas a noradrenalina é a vasoconstrição periférica e dilatador de
bronquíolos, fazendo com que aumente a pressão sanguínea e aumente o fornecimento de oxigênio
para organismo.
8. Aldosterona
É um hormônio que é secretado pela glândula adrenal, produzida pelo córtex adrenal,
possuindo a função de manter a concentração do sódio e o potássio, controla o volume sanguíneo e
a pressão arterial. Atua no ducto colector cortical, aumentando a absorção do sódio e reduzindo a
absorção do potássio, resultando no aumento do fluido sanguíneo e pressão arterial, sendo detectado
nas células justaglomerulares secretoras de renina, que diminuem a produção de renina. 
9. Insulina
A insulina é um hormônio que é produzido no pâncreas e secretado pelas células β das
ilhotas de Langerhans do pâncreas, possuindo como principal função de transportar glicose para
dentro das células, tendo como principal fonte de energia, também possui o principal papel de
controle de glicemia no sangue. 
Como sabemos, a insulina realizada o transporte da glicose dentro das células, para os
órgãos do corpo, sendo utilizada na produção de, proteínas, colesterol e triglicerídeos para dar
energia ao corpo, ou para ficarem armazenadas. O pâncreas produz dois tipos de insulina sendo
eles: basal (é a secreção de forma contínua da insulina, mantendo o mínimo constante ao longo do

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.