Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Legislação em Enfermagem

Pré-visualização | Página 1 de 3

E. P. na Enfermagem – Prof. Silvana 25.03.2021 
 
 
 
A legislação tem que entender o comportamento humano (regras) que vai equilibrar as ações humanas, 
se juntando para formar as leis, que é as legislações 
 Temos que entender a nossa legislação, competência do enfermeiro, do técnico e do auxiliar. 
 
Importância do estudo da legislação 
Todas as profissões de livre exercício no país estão 
regulamentadas por leis ou normas jurídicas. 
é por via da 
legislação que se criam ou se extinguem , 
ninguém se escusa de cumprir a lei, alegando que não a 
conhece, conhecer a lei que regulamenta a própria profissão, envolve a classe, permite 
 
 
Exemplos de descumprimento do código de ética 
Cassação ao direito do exercício profissional de três profissionais de 
enfermagem que 
Coren-RJ o Edson Izidoro Guimaraes, 
, na zona norte da cidade, confessando 
que matou seis pacientes por meio de injeções de cloreto de potássio. 
 
Cassação do registro profissional do enfermeiro Gilberto Linhares, 
 
 
Ética Profissional 
 Iniciar uma pratica, significa aceitar a autoridade dos padrões e submeter as próprias: 
Atitudes 
Escolhas 
Preferências e gostos 
 
Adesão voluntaria a um conjunto de regras estabelecidas como as, mas adequadas para o seu 
exercício. 
 
→ 
trabalham juntos para 
entender o processo 
buscando o que de direito. 
→ Essa lei tem que 
ser baseada em todos. 
 
 
Aos padrões definidos pela 
prática 
E. P. na Enfermagem – Prof. Silvana 25.03.2021 
 Não partilhamos tarefas, para não da confusão e não ter o Coren casado por causa de erros 
dos outros. 
 
Deontologia 
 Surge das palavras gregas “déon ou déontos” que significa dever e logos que se traduz por 
discurso ou tratado. 
 
A deontologia e a ética profissional controlam a ação dos membros de um grupo profissional e 
orientam sua conduta. 
 
: deveres, princípios e normas adotadas por um determinado grupo profissional. 
 
 O profissional tem que passar segurança e confiança no seu plantão, buscando um conhecimento 
cientifico 
 
Ética profissional X Deontológicas 
A deontologia e a ética profissional controlam a ação dos membros de um grupo profissional e 
orientam sua conduta. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Validade da ética profissional reside 
no papel que a pessoa desempenha 
e na confiança depositada no 
“profissional”. 
A deontologia diz a respeito aos “deveres 
específicos do agir humano no campo 
profissional” 
 
Conjunto de deveres, princípios e normas 
adoptadas por um determinado grupo profissional 
E. P. na Enfermagem – Prof. Silvana 25.03.2021 
 
 
 
 
 
O conselho federal e os Conselhos Regionais são órgãos disciplinados do exercício da 
profissão de enfermeiro e das demais profissões compreendidas nos serviços de 
enfermagem. 
 
O conselho Federal, ao qual ficam subordinados os Conselhos Regionais, terá jurisdição 
em todo o território nacional e sede na capital da república. 
 
Haverá um conselho Regional em cada Estado e território, com sede na respectiva 
capital, e no Distrito Federal. 
 
Compete ao Conselho Federal: 
 Aprovar seu regimento interno e o dos Conselhos Regionais. 
 Promover estudos e campanhas para aperfeiçoamento profissional. 
 
É livre o exercício da enfermagem em todo o território nacional, observadas as 
disposições desta lei. 
 
A enfermagem e suas atividades auxiliares somente podem ser exercidas por pessoas 
legalmente habilitadas e inscritas no Conselho Regional de Enfermagem com Jurisdição na área 
onde ocorre o exercício. 
 
 A enfermagem é exercida privativamente pelo Enfermeiro, pelo Técnico de Enfermagem, pelo 
Auxiliar de Enfermagem e pela Parteira, respeitados os respectivos graus de habilitação. 
 
 - São enfermeiros 
 - São técnicos de enfermagem 
 - São auxiliares de enfermagem 
 - São parteiras 
 
E. P. na Enfermagem – Prof. Silvana 25.03.2021 
Enfermeiros 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Técnicos de Enfermagem 
 
Auxiliares de Enfermagem 
O titular do diploma de enfermeiro 
conferido por instituição de ensino, nos 
termos da lei. 
 
O titular do diploma ou certificado de 
obstetriz ou de enfermeira obstétrica, 
conferidos nos termos da lei. 
Acordo de intercâmbio cultural ou 
revalidado no Brasil como diploma de 
enfermeiro, de enfermeira obstétrica 
ou de obstetriz. 
O titular do diploma ou certificado de técnico de enfermagem, expedido de acordo com a legislação 
e registrado pelo órgão competente. 
 
O titular do diploma ou do certificado legalmente conferido por escola ou curso estrangeiro, 
registrado em virtude de acordo de intercâmbio cultural ou revalidado no Brasil como diploma de 
técnico de enfermagem. 
I – O titular de certificado de Auxiliar de 
Enfermagem conferido por instituição de 
ensino, nos termos da lei e registrado no órgão 
competente. 
 
II – O titular de diploma a que se refere a Lei 
n° 2.822, de 14 de junho de 1956. 
 
III – O titular do diploma ou certificado a que se 
refere o inciso III do art. 2° da Lei n° 2.604, de 
17 de setembro de 1955, expedido até a 
publicação da Lei n° 4.024, de 20 de dezembro 
de 1961. 
IV – O titular de certificado de Enfermeiro 
Prático ou Prático de Enfermagem, expedido 
até 1964 pelo Serviço Nacional de Fiscalização 
da Medicina e Farmácia, O Ministério da Saúde 
nas Unidades da Federação, nos termos do 
Decreto-lei n° 23.774, de 22 de janeiro de 
1934, do Decreto-lei n° 8.778. de 22 de janeiro 
de 1946, e da Lei n° 3.640, de 10 de outubro 
de 1959. 
 
V – O pessoal enquadrado como auxiliar de 
enfermagem, nos termos do Decreto-lei n° 
299, de 28 de fevereiro e 1967. 
VI – O titular do diploma ou certificado conferido por escola ou curso estrangeiro, segundo as leis 
do país, registrado em virtude de acordo de intercâmbio ou revalidado no Brasil como certificado 
de Auxiliar de Enfermagem. 
E. P. na Enfermagem – Prof. Silvana 25.03.2021 
Parteiras 
 
 Regulamenta a Lei n° 7.498, de 25 de junho de 1986, que dispõe sobre o exercício da 
Enfermagem, e dá outras providências. 
 
As instituições e serviços de saúde incluirão a atividade de Enfermagem no seu 
planejamento e programação. 
 
 A prescrição da assistência de Enfermagem é parte integrante do programa de 
Enfermagem. 
 
 Incumbe a todo o pessoal de Enfermagem: I cumprir e fazer o Código de Deontologia 
da Enfermagem. 
 
Atividades Privativas do Enfermeiro 
 integrante da estrutura básica da instituição de saúde, pública 
ou privativa, e chefia de serviço e de unidade de enfermagem. 
 e de suas atividades técnicas e auxiliares nas 
empresas prestadoras desses serviços. 
 , organização, coordenação, execução e avaliação dos serviços da assistência de 
enfermagem. 
 
 
 
 
A titular de certificado previsto no art. 1° do decreto-lei n° 8.778, de 22 de janeiro de 1964, 
observado o disposto na lei ° 3.640, de 10 de outro de 1959. 
 
A titular do diploma ou certificado de parteira, ou equivalente, conferindo por escola ou curso 
estrangeiro, segundo as leis do país, registrado e, virtude de intercâmbio cultural ou revalidado no 
brasil, até 2 (dois) anos após a publicação desta lei, como certificado de parteira. 
E. P. na Enfermagem – Prof. Silvana 25.03.2021 
 Prescrição da assistência de enfermagem: se o enfermeiro prescreve algum remédio e porque 
ele tem conhecimento para aquilo. 
 Participação no planejamento, execução e avaliação da programação de saúde. 
 
 Participação na elaboração, execução e avaliação dos planos assistenciais de saúde. 
 
Prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde
Página123