A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Cimento de ionômero de vidro

Pré-visualização | Página 3 de 3

interna no material (tem no 
ionômero) 
↳ (Fraturas adesivas): não tem entre o civ e a 
dentina pois a união dentre ele é forte 
 
 
● A adesividade do civ é importante clinicamente 
pois ano vai cair ela pode quebrar mas não cai 
● Ter fraturas coesivas no meteria é vantagem ou 
desvantagem? Vantagem, pois é melhor que a 
fratura seja dentro do material, pois o dente nunca 
fica exposto, pois evita infiltração bacteriana, 
paciente não sente dor, fica protegido 
 
 
 
Ligações iônicas entre grupos carboxílicos do cimento 
e o cálcio do dente - diminui a infiltração marginal - 
retenção do material 
 
O ionômero de vidro em condições ácidas sai 
liberando tudo de mineral dentro dele e isso é 
bom, pois faz com que ocorra o aumento do ph e 
a condição de desmineralização não aconteça. 
 
 
 
● Flúor - tem uma liberação inicial bem rápida - nas 
primeiras horas e onde tem a maior liberação de 
flúor e depois fica constante virando uma prevenção 
de cárie secundária 
↳ Diminui a hipersensibilidade ao frio 
Exemplo: Pacientes com retração gengival, ou seja, 
com a raiz exposta é bom ser tratado com CIV, pois 
tanto vai ter a adesividade e vai liberar esse flúor e 
diminuir essa sensação dolorosa e a sensibilidade ao 
frio é muita aí vai ser recoberta por CIV (a região 
da cervical do dente). 
- 
 
 
 
 
↳ Coeficiente de expansão térmica 
 ↪ É o quanto o material dilata ou contrai 
 ↪ Precisa ser proporcional ao dente, para quando 
o dente contraia o material contraria (Para que não 
forme gaps e nem frature o dente) 
OBS: GAP: espaço vazio entre o dente e o material 
restaurador 
↳ Vira porta de entrada para bactérias, toxinas, 
podem ficar exposto os túbulos dentinários e o 
paciente sentir dor 
↪ O material que tem o coefiente de expansão 
linear diferente do dente é o amalgama 
 
↳ O CIV possui quase a mesma proporção do 
coeficiente de expansão térmica da dentina e do 
esmalte (então a formação de GAPS é quase nula 
tanto por causa da adesividade do material ao dente 
e quanto por que o CETL é muito parecido com o 
dente) 
● Estética 
↳ Não é o forte dele, pois ele é opaco (falta de 
translucidez) 
↳ Alta rugosidade superficial 
↳ Dificuldade de polimento (não da para fazer 
acabamento e polimento no CIV), pois ele tem um 
tempo de presa mais prolongado e tem que 
proteger sempre a superfície. 
Classificação do CIV 
● Em relação à natureza do material 
↳ Cimentos de ionômero de vidro reforçado por 
metais (cerments) 
 ↪ Entraram em desuso, pois perdem a adesividade 
e a liberação de flúor. 
↳ Cimentos de ionômero de vidro modificado por 
resina (material selecionado) 
Quando mais precisa do flúor (em um ph mais ácido) é 
quando o material libera mais minerais aumento em 
condições ácidas. 
↳ Proteção do dente 
↳ Atividade anticariogênica 
 
 
 
 
↪ Foi incorporado ao CIV monômeros 
(principalmente o HEMA) 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
● Em relação à indicação do material 
→ Restauração 
Restauração próxima a cervical do dente (usado 
como material restaurador definitivo) 
 
↳ Tipo 2 
↳ CIV com LC no final – modificado por resina 
(fotopolimerizavel) 
↳ Vitremer (modificado por resina) 
→ Forramento 
↳ Tipo 3 (Também para base e selante) 
→ Cimentação 
 
 
↳Tipo 1 
↳ Muito utilizado na ortodontia por isso tem uma 
força moderada 
↳ Vitrocem (não é fotopolimerizado) 
 
 
 
OBS: Selante é um material utilizado nas cicatrículas 
e fissuras de dentes (principalmente de crianças) 
que não terminaram de erupcionar por completo e 
crianças com alta atividade de cárie 
↳ Cicatrículas e fissuras profundas gerando acumulo 
de biofilme e pode favorecer ainda mais que tenha 
carie 
↳ Pode colocar o CIV nas cicatrículas e fissuras e e 
colocar o selante 
OBS: Self cure é autopolimerizado (não precisa da 
luz) 
→ Técnica ART 
Os cimentos de ionômero de vidro modificado por 
resina possuem a mesma coposição do 
convencional só que é acrescentado um 
monômero e um sistema iniciador (polimerização a 
mais) 
Padrão ouro / Material caro 
Menos sensível a água por questão de presa 
(evita a desintegração da matriz) 
Dependente de luz (fotopolimerizador para o 
material tomar presa por completo) – parte da 
presa dele depende da polimerização da resina - 
 
A composição dos três é a mesma só muda 
o tamanho das partículas do pó 
 
 
↳ Forma de utilização do ionômero de vidro 
↳ Sem utilização de anestesia e instrumentos 
rotatórios 
↳ É uma técnica de regiões de pouco acesso a 
serviço odontológico 
 
 
Forramento 
↳ Selar bem a dentina 
↳ Utiliza o CIV como base 
Prática Clínica (Onde o CIV é usado) 
● Classe I conservadora 
● Classe II tipo túnel 
● Classe II Slot horizontal 
● Classe III 
● Classe V 
● Lesão cervical não cariosa 
● Restauração mista 
● Cimentação de pinos 
● Art 
● Adequação do meio bucal 
● Restauração provisória 
Protocoloo clinico para restauração do CIV 
1. Profilaxia 
↳ Pedra poomes e água 
2. Isolamento absoluto de preferência (mas se 
tiver fazendo só escavação em massa não 
é obrigatório) 
3. Remoção do tecido cariado / Preparo 
cavitário 
↳ Proteção do complexo dentinopulpar 
 ↪ Cavidade profunda antes do civ coloca 
o cimento de hidróxido de cálcio 
 ↪ CIV é utilizado como base (não 
necessidade que tenha boa resistência 
mecânica, pois ele é usado como forrador e 
não precisar fazer tratamento de superfície) 
4. Tratamento da superfície (com ácido 
poliacrílico) 
↳ CIV é usado como restaurador 
↳ Ele remove o smaer layer que está nos 
túbulos dentinários 
5. Manipulação e inserção do material 
6. Compressão e proteção do material 
7. Acabamento e polimento 
↳ Com lamina de bisturi que não gera calor 
e não gera sinerese e embebição 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
1. Forramento 
↳ Mais fluidos 
↳ Partículas do pó menores 
2. Restaurador´ 
↳ Mais viscoso 
3. Cimentação 
↳ Mais grosso 
↳ Particulas são maiores 
 
↳ Restauração: O ideal é sempre inserir com a ponta 
da centrix 
↳ Forramento: Insere com o aplicador de hidróxido 
de cálcio (pouca quantidade de CIV) 
↳ Cimentação: aplica com a própria espátula 
 
 
CIV + RESINA COMPOSTA = TECNICA MISTA 
 
 
Imediata: cavidade + civ modificado por resina + 
restauração de resina composta 
Técnica Mista 
 
● Sanduiche fechado 
↳ CIV não fica exposto ao meio bucal 
● Sanduíche aberto 
↳ Acontece quando preparo é muito próximo da 
gengiva 
↳ O CIV por ser mais biocompatível então no caso 
de cavidades muito profundas você deve deixar o 
civ em contato com esses tecidos que são mais 
sensíveis e colocar a resina composta so na porção 
oclusal da restauração 
CIV fica exposto ao meio bucal