A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Sistema Excretor Urinário

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sistema ExcretorSistema Excretor
Urinário Urinário 
Estrutura em forma de feijão, de coloração
marrom-avermelhada, envolto por uma resistente
cápsula fibrosa, localizada superiormente na
parede posterior da cavidade abdominal.
O sangue é levado ao rim pela artéria renal, após
entrar nos rins ramificam-se em uma série de
arteríolas que entram em contato com o nefron.
O sague deixa os rins pela veia renal que
desemboca na veia cava inferior.
Os rins são os mais importantes órgãos
excretores, pois eliminam resíduos nitrogenados,
água, eletrólitos, toxinas e drogas.
Fazem parte do sistema urinário, responsável por
filtrar o sangue, produzindo e armazenando
temporariamente e eliminando a urina.
Os rins são protegidos pelo gradeado costal e pela
musculatura intercostal. Geralmente, não são
órgãos palpáveis em indivíduos adultos.
Repare que o rim direito fica situado ligeiramente
mais abaixo em relação ao seu par, tendo como
referência a coluna vertebral.
RíNS
Tudo que é entrada
nos órgãos, se
chama HILO.
ENVOLTÓRIOS
É possível identificar que o rim apresenta uma
porção cortical (mais externa) e outra medular
(mais interna), bem como duas bordas: uma
convexa e outra côncava. 
O hilo, uma fenda localizada medialmente por
onde entram e saem os vasos sanguíneos maiores
e os nervos que chegam ao órgão.
Observam-se também os cálices menores e o
cálice maior. É possível identificar: a pirâmide
medular (ou de Malpighi, situada entre as
colunas renais de Bertin, projeções que emergem
do córtex em direção ao seio renal, mas que são
também consideradas parte da medula), que
apresenta uma base, próxima ao córtex, um ápice
(papila renal).
A cápsula do glomérulo (Cápsula de Bowman) é
uma estrutura em forma de C que envolve
parcialmente um grupo de capilares chamado
glomérulo de Malpighi.
A cápsula estende-se, a partir do glomérulo, e
forma o túbulo contorcido proximal. 
 Este inclina-se formando a alça de Henle, que
apresenta duas partes: descendente e
ascendente. 
A parte ascendente torna-se túbulo contorcido
distal, os túbulos contorcido distais de vários
nefrons se unem e formam o ducto coletor, que
atravessam a medula renal em direção ao cálice
da pelve renal.
Excretam restos nitrogenados como ureia, amônia,
e creatinina;
Regulam o volume do sangue, determinando a
quantidade de água excretada;
Ajudam a regular eletrólitos contidos no sangue;
Tem uma função importante na regulação do pH;
Participam da regulação da pressão arterial
através da secreção de renina;
Atuam na regulação da produção de células
vermelhas do sangue através da secreção de um
hormônio chamado eritropoietina. Os rins recebem sangue da artéria renal, que se
ramifica e forma a arteríola aferente. 
 Esta se ramifica e constitui o glomérulo. O
glomérulo é envolto pela cápsula de Bowman,
saindo dela como arteríola eferente. 
 Em seguida são formados os capilares
peritubulares, que envolvem o túbulo renal, que
convergem para vênulas, até o veia renal.
RíNS - Funcoes
Os principais mecanismos através dos
quais os rins exercem as suas funções são
a filtração glomerular, a reabsorção
tubular e a secreção tubular de diversas
substâncias.
RíNS - Néfrons
É a estrutura funcional do sistema excretor
urinário.
A arteríola que leva o sangue para o
nefron é chamada AFERENTE, e a arteríola
que sai do nefron é a EFERENTE.
Túbulos renais
Vasos sanguíneos
RíNS - Néfrons
O sangue penetra o rim através da artéria renal,
onde é filtrado através das paredes dos
glomérulos dos nefrons e saí para a pelve renal, o
produto final da purificação é a urina que escoa
para a pelve.
Filtração;
Reabsorção;
Secreção;
Excreção.
É importante clinicamente, pois as infecções
tendem a persistir nessa área;
A saída da bexiga contém o músculo chamado
esfíncter interno (músculo liso), contrai-se
involuntariamente para o esvaziamento;
Parte superior da uretra, esfíncter externo
(músculo esquelético), controle voluntário,
permitindo a resistência a necessidade de
urinar.
VIAS DO SISTEMA URINÁRIO
ureteres
Conectam os rins com a bexiga;
Originam-se nas pelves renais e terminam na
bexiga;
Tubos longos e delgados musculares, capazes de
realizar contrações rítmicas denominadas
peristaltismo;
A urina se move para a bexiga em virtude de
gravidade e dos movimentos peristálticos.
bexiga urinária
Funciona como reservatório temporário para o
armazenamento da urina;
Quando vazia, a bexiga está localizada
inferiormente ao peritônio e posteriormente a
sínfise púbica. Quando cheia ela se eleva para a
cavidade abdominal;
A bexiga é arranjada em pregas denominadas
rugas, que permitem a distensão do órgão quando
está cheio.
Trígono da bexiga: limitado por três vértices – os
pontos de entrada dos dois ureteres e o ponto de
saída da uretra; 
Uretra
Tubo que conduz a urina da bexiga para o meio
externo;
A camada muscular da uretra se contrai e auxilia
na expulsão da urina durante a micção;
A uretra se abre para o meio externo através do
óstio externo da uretra; 
 Masculina : cerca de 20cm, faz parte do
sistema urinário e reprodutor; 
Feminina: 3,8 cm, faz parte exclusivamente do
trato urinário.
MICCÃO
Processo de expulsão da urina da bexiga;
A distensão ocasionada pelo enchimento da
bexiga estimula receptores que enviam impulsos
nervoso através dos nervos sensitivos para a
medula espinal;
A medula retorna com o reflexo motor,
permitindo a contração rítmica da parede do
órgão e o relaxamento do esfíncter interno –
REFLEXO DE MICÇÃO.