Buscar

Febre do Nilo


Prévia do material em texto

FEBRE DO NILO OCIDENTAL: WEST NILE
Infecção viral aguda
Agente etiológico: Vírus Flavivírus 
Susceptíveis (principais): Humanos, aves, cavalos e outros mamíferos 
Reservatório (principal): Aves 
Vetores: Culex, Aedes e Anopheles 
Transmissão: Através da picada do mosquito infectado, além de transfusão sanguínea ou transplante de órgãos e do aleitamento materno. Não ocorre transmissão de pessoa para pessoa. 
Manifestações clínicas: Os primeiros sinais são febre de início abrupto, frequentemente acompanhada de mal-estar, anorexia, náusea, vômito, dor nos olhos, dor de cabeça, mialgia, exantema maculopapular e linfadenopatia. Em casos avançados atinge o sistema nervoso.  
Diagnóstico laboratorial: ELISA, hemoaglutinação, PCR, isolamento. 
Caso suspeito humano: Define-se como suspeito o indivíduo que apresente sintomas clínicos inespecíficos como febre e dor de cabeça, acompanhado de manifestações neurológicas (compatíveis com meningite, encefalite, meningoencefalite) de etiologia desconhecida. 
Medidas de controle: Verificar áreas de ocorrência, repelente, janelas teladas e evitar criadouros de mosquitos da mesma forma que se previne da dengue.

Continue navegando