A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
Gestão da Saúde Pública e Privada

Pré-visualização | Página 1 de 4

A saúde é direito de todos e dever do Estado, diz a Constituição Cidadã, em seu artigo 196, do capítulo da seguridade social, caracterizando a primeira experiência brasileira de uma política social de caráter universal. No artigo 197 da Constituição Federal de 1988, são consideradas de “relevância pública as ações e serviços de saúde, [...] devendo sua execução ser feita diretamente ou através de terceiros e, também, por pessoa física ou jurídica de direito privado”. Esse mesmo artigo define que compete ao Poder Público a “regulamentação, fiscalização e controle” da execução dos serviços de saúde prestados, a despeito da natureza jurídica do prestador. O Artigo 199 reforça a ideia de que “a assistência à saúde é livre à iniciativa privada”, ficando definida a forma como essa participação deverá ocorrer – as instituições privadas poderão participar de forma complementar do Sistema Único de Saúde.
 
CONASS. Conselho Nacional de Secretários de Saúde. Coleção Para Entender a Gestão do SUS 2011. Brasília: CONASS, 2011. v. 12.
 
Sobre os diferentes modelos de sistemas de saúde, analise as sentenças abaixo:
I - Sistemas inteiramente ou majoritariamente públicos são universais, e os serviços podem ser acessados pelos cidadãos que contribuem com o pagamento de tributos.
II - Sistemas de seguro social obrigatório são organizados pelo Estado, com provisão de serviços privados.
III - Sistemas de caráter privado são os serviços realizados através de pagamentos privados e não existe obrigatoriedade de contribuição dos cidadãos.
 
Assinale a alternativa que apresenta a resposta correta:
A) As sentenças I, II e III estão corretas. 
B) As sentenças I e III estão corretas.
C) As sentenças II e III estão corretas.
D) As sentenças I e II estão corretas.
A população idosa brasileira tem aumentado consideravelmente e representa atualmente cerca de 10% da população total – em 1980 essa proporção era de 6%. O processo de envelhecimento no Brasil tem sido mais acelerado do que em outros países, resultado da rápida mudança tanto da taxa de fecundidade quanto da expectativa de vida. O envelhecimento é ainda mais intenso na população beneficiária de plano de saúde. De fato, os idosos já representam 11,2% da população com plano de saúde, contra 10% da população total.
 
Sobre o envelhecimento da população e seu impacto nos planos de saúde, assinale a alternativa correta:
A) As operadoras de saúde entendem que não há vantagens em oferecer planos para pessoas idosas, recusando possíveis usuários acima de 60 anos.
B) É preferível que os idosos utilizem o SUS, pois podem usufruir do Programa ao Idoso e da distribuição gratuita de medicamentos. 
C) O aumento da população de idosos ocasionará, consequentemente, uma demanda maior no SUS e na saúde suplementar.
D) Práticas de promoção da saúde e prevenção de doenças não são incentivadas na população idosa.
A Reforma Sanitária foi um movimento iniciado no Brasil na época da ditadura militar, que tinha como principais pautas a reforma do sistema de saúde do país. Para Paiva e Teixeira (2014), as narrativas em torno da reforma sanitária brasileira localizam, como regra, a origem do movimento no contexto da segunda metade dos anos 1970, período que coincide com a criação do Centro Brasileiro de Estudos de Saúde (CEBES), em 1976; e, três anos depois, a criação da Associação Brasileira de Pós-graduação em Saúde Coletiva. No entanto, o processo de formação de atores e instituições identificados com mudanças radicais no sistema de saúde então vigente também relaciona-se com um conjunto de aspectos que vão do desenvolvimento dos cursos de medicina preventiva a partir da década de 1950 ao fortalecimento de uma visão contrária ao regime autoritário que via, na sua derrocada, a única forma de construção de um sistema de saúde eficiente e democrático.
 
PAIVA, C. H. A.; TEIXEIRA, L. A. Reforma sanitária e a criação do Sistema Único de Saúde: notas sobre contextos e autores. História, Ciências, Saúde, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 15-35, jan./mar. 2014.
 
Pensando nas características e conquistas desse movimento, analise as sentenças que seguem:
 
I – Era formado majoritariamente por pesquisadores da área de saúde.
II – Nasceu atrelado à luta pela democracia, requerendo o fim da ditadura militar e eleições diretas.
III – Um de seus grandes marcos foi a VIII Conferência Nacional da Saúde de 1986.
IV – Dentre suas principais demandas, destacam-se o fortalecimento do setor de saúde suplementar, a expansão da cobertura do SUS para todos os cidadãos e a aprovação da lei n. 8.080/1990.
 
Assinale a alternativa que apresenta a resposta correta:
A) As sentenças I, II, III e IV estão corretas.
B) As sentenças I, II e III estão corretas. 
C) As sentenças II e III estão corretas.
D) As sentenças II, III e IV estão corretas.
Assim como o compromisso firmado com os clientes, as operadoras devem manter um compromisso também com os prestadores, garantindo que elas ofereçam um serviço de qualidade.
 
Sobre os diferentes modelos de operadoras e prestadores de serviços, assinale a alternativa correta:
A) Os prestadores de entidades filantrópicas geralmente são pequenas clínicas localizadas em cidades rurais.
B) Os prestadores das odontologias de grupo são acessíveis apenas os clientes que também adquirem o plano médico de grupo da mesma operadora.
C) No caso das cooperativas médicas, os prestadores são os próprios médicos cooperados. 
D) Nos modelos de autogestão, os prestadores de serviços são médicos que podem ser escolhidos livremente e o valor pago posteriormente ressarcido ao cliente.
É a lei n. 8.142/1990 que dispõe sobre a participação social no SUS, definindo que a participação popular estará incluída em todas as esferas de gestão do SUS, legitimando assim os interesses da população no exercício do controle social. Essa perspectiva é considerada uma das formas mais avançadas de democracia, pois determina uma nova relação entre o Estado e a sociedade, de maneira que as decisões sobre as ações na saúde deverão ser negociadas com os representantes da sociedade, uma vez que eles conhecem a realidade da saúde das comunidades.
 
ROLIM, L. B.; CRUZ, R. de S. B. L. C.; SAMPAIO, K. J. A. de J. Participação popular e o controle social como diretriz do SUS: uma revisão narrativa. Saúde em Debate, Rio de Janeiro, v. 37, n. 96, p. 139-147, jan. 2013.
 
Nesse contexto, assinale V para verdadeiro e F para falso nas afirmações que seguem:
 
( ) A ideia de participação popular na saúde surgiu durante o movimento da Reforma Sanitária.
( ) A participação popular na saúde ocorre principalmente nos Conselhos de Saúde e nas Conferências de Saúde.
( ) Cinquenta por cento dos órgãos colegiados dos Conselhos de Saúde são compostos por representantes dos usuários do SUS.
( ) A participação popular na saúde garante a presença da população/comunidade na formulação e controle das políticas públicas sobre o tema.
 
Assinale a alternativa que apresenta a sequência correta de respostas:
A) V – V – F – V. 
B) V – V – V – V.
C) V – F – V – V.
D) V – V – V – F.
Para garantir a construção do novo Sistema de Saúde no país, um conjunto de leis foi criado para assegurar que as principais demandas e medidas fossem cumpridas. Entre essas leis, as principais foram a Constituição Federal de 1988, a lei n. 8.080/1990 e a lei n. 8.142/1990.
 
Nesse contexto, analise as sentenças que seguem:
 
I - A Constituição Federal de 1988 assegura um conjunto de direitos fundamentais para todos os cidadãos, também conhecido como direitos sociais.
II - A Constituição Federal de 1988 afirma que a saúde é um direito de todos, mas não é dever do Estado fornecê-la, podendo ser adquirida através de planos privados.
III - Segundo a lei n. 8.080/1990, incluem-se no campo de atuação do SUS as atividades de saúde do trabalhador.
IV - A lei n. 8.080/1990 estabelece a criação dos CAPS e a Estratégia de Saúde da Família.
V - A lei n. 8.142/1990 trata da participação popular e estabelece que os usuários do SUS podem participar

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.