A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
BIOQUIMICA P2

Pré-visualização | Página 1 de 3

Bioquímica 1 VALÉRIA SANTOS 
CARBOIDRATOS 
• a estrutura básica é formada pelos elementos 
químicos carbono, hidrogênio e oxigênio. 
• Cadeia de carbonos é uma sequência de átomos 
de carbonos ligados ente si pela as ligações 
químicas que são chamadas ligações covalentes. 
• Os elementos de carbonos obrigatoriamente vão 
fazer 4 tipos de ligações. 
• Extremidade cadeia carbônica é quando o 
primeiro carbono é extremidade da cadeia 
carbônica. 
→ -OH GRUPO FUNCIONAL HIDROXILA. Função 
orgânica. (o traço - é um elétron livre/ligação 
covalente). 
→ GRUPO FUNCIONAL ALDEÍDO 
 
• Os carboidratos possuem na sua estrutura as 
hidroxilas junto com o grupo funcional aldeído ou 
hidroxila com grupo funcional cetona. 
→ GRUPO FUNCIONAL CETONA. 
 
 
• Carboidrato classificado em: monossacarídeo 
3-7; oligossacarídeos varia de 8 -12, formados 
por 2,3,4 ... dissacarídeo, polissacarídeos . 
• Sacaria = açúcar 
• A grande maioria de carboidratos da nossa 
dieta é polissacarídeo ou oligossacarídeo, na 
grande maioria é polissacarídeo, na forma de 
amido. 
• Os monossacarídeos não sofrem digestão, 
sofre degradação na célula, passa diretamente 
pelo sistema digestório, para o intestino 
delgado e é prontamente absorvido. 
 Ex.: Glicose C6 H12 O6 (6 carbonos). 
• A glicose é o mais importante para nossas 
células para gerar energia. 
• Oligossacarídeo e polissacarídeo sofrem 
digestão. 
• A degradação da molécula não acontece na 
ligação carbono e carbono. 
 
Ligação glicosídica: Ligação entre dois ou mais 
monossacarídeos, pela perda de uma molécula 
de água. (ligação de carboidratos). 
• Os monossacarídeos é uma sequência 
carbônica 
• O oligossacarídeo é uma sequência de 
monossacarídeo. 
• A DIGESTÃO DOS CARBOIDRATOS tem 
início na boca, a saliva possui a enzima amilase 
salivar ou ptialina, intestino delgado, suco 
entérico e pancreático 
• A ligação glicosídica sofre ação das enzimas, os 
produtos da quebra são glicose (6 carbonos) 
livre e frutose (6C.) livre que são 
monossacarídeo e após isso é absorvido no 
intestino delgado, corrente sanguínea e vai 
para as células. 
• Absorção > intestino delgado> corrente 
sanguínea > célula 
• Entendendo sobre enzimas: Primeiro nome é 
chamado substrato, molécula que ela ataca. As 
enzimas são catalizadores biológicos. 
• Glicosidases: enzimas que degradam os 
carboidratos no sistema digestório. 
(degradação da ligação glicosídica). 
• Cada enzima tem um PH ideal , garantir o 
ambiente ideal para a cada classe de enzima, 
pra o bom funcionamento. 
• A principal função dos carboidratos é a 
energética. 
• A geração de energia acontece sempre pela 
reação de oxidação. 
• Função estrutural mantem a matriz celular 
estruturada; reconhecimento celular; 
• A base das estruturas dos carboidratos é a 
cadeia carbônica. 
• Carboidratos do tipo açúcar, monossacarídeo 
ou dissacarídeo. 
• Polissacarídeo : amido (fonte rica em energia) 
Glicogênio (carboidrato de reserva nos 
músculos e fígado). 
Bioquímica 2 VALÉRIA SANTOS 
• HCL: Acido clorídrico é um ácido forte ( liberar 
muito h+). 
 
 
 
• Monossacarídeo estrutura de cadeia 
carbônica; 
• Ligação tipo covalente. 
 
 
LIGAÇÃO GLICOSÍDICA 
• Ligação glicosídica: Ligação entre dois ou mais 
monossacarídeos, pela perda de uma molécula 
de água. 
H+ OH = H20, sobra o O, ele vai ser a ligação 
glicosídica ligando os monossacarídeos. 
 
 
 
• 
• Sacarose- sacarase 
• Lactose-lactase 
• Glicose e galactose é necessário ajuda do 
transportadores de açúcar GLUT. 
• Proteínas celulares: transporte de 
macromoléculas. 
 
 
 
 
METABOLISMO DE CARBOIDRATOS 
Vias metabólicas de síntese e degradação de reserva 
energética, 
Vias que a glicose participa para geração de 
glicogênio 
Glicogênese → síntese 
glicogenólise → degradação 
• Glicogênio é um polissacarídeo de reserva dos 
animais. 
• Glicogênio, encontrado também como Polímero de 
glicose, (moléculas grandes formados por menores). 
• Amido é o polissacarídeo de reserva dos vegetais. 
• Monossacarídeo pela forma de glicose é a principal 
do nosso organismo. 
 
▪ Glicose fonte extracelular de energia, glicose que vem 
da dieta. 
▪ Para a glicose entrar na célula tem a ação do 
hormônio insulina. 
▪ Destino da glicose: Geração de energia e reserva 
energética. 
▪ O corpo sintetiza uma molécula de reserva chamada 
de glicogênio (molécula energética de glicose). 
• Reserva energética de glicose são pequenos grânulos 
(estrutura de glicogênio). 
 
DEGRADAÇÃO DO GLICOGÊNIO = GLICOGENOLISE 
Armazenado no: 
• Fígado (glicogênio hepático) restabelecer a glicemia 
12 a 24hrs para gasta a reserva hepática, a glicose 
livre vai para a corrente sanguínea 
• Musculo (glicogênio muscular) é degradado gera 
glicose livre e permanece no musculo (para gerar 
energia no próprio musculo). 
• Glicólise - degradação da glicose 
Bioquímica 3 VALÉRIA SANTOS 
• Glicogenólise - degradação do glicogênio 
• O glicogênio é a partir de um excedente (excesso) de 
glicose. 
• A síntese do glicogênio é chamada de glicogênese. 
Glicemia alta, a regulação é pelo processo hormonal 
insulina, após a glicose entrar na célula, se liga na 
enzima glicogênio sintase, UDP-glicose transporta 
para o resíduo de glicogênio, transformando em 
glicogênio. 
• GLICOGÊNIO SINTASE é o Regulador dentro da célula 
• UDP-GLICOSE: transportador de glicose = chamada 
glicose ativada, consegue sintetizar glicogênio. 
• A glicose sozinha na célula não consegue construir 
uma estrutura, precisa de uma estrutura base para 
síntese de um novo glicogênio, chamada de resíduo 
de glicogênio, encontramos no fígado e musculo, 
• Resíduo de glicogênio: parte de glicogênio que já foi 
degradado – 
• característica glicogenólise não é 100% eficiente, 
glicogênio não é 100% degradado. 
• Glicose faltando: glicogenólise 
Glicose em excesso: glicogênese. 
 
SÍNTESE GLICOGÊNESE. 
Na digestão tem a glicose aumentada, a insulina 
começa a ser secretada pelo pâncreas e coloca a 
glicose para dentro da célula, parte dessa glicose vai 
ser degradada para gerar ATP e o que sobra gera 
glicogênio no fígado e no musculo. 
Para a glicose ser ligada no resíduo de glicogênio 
precisa da glicose ativada, quem faz esse processo 
dentro da célula é o glicogênio sintase. 
✓ INSULINA JOGA GLICOSE PATA DENTRO DA 
CELULA 
 
DEGRADAÇÃO GLICOGENOLISE 
Baixa glicose circulante no sangue, precisa utilizar a 
glicose reserva. 
Processo regulado pelo hormônio glucagon que ativa 
a enzima glicogênio fosforilase. 
Glicogênio fosforilase, quebra a ligação glicosídica da 
glicose e insere um grupo fosfato (para ela não se 
ligar a outra glicose), deixando a glicose livre para a 
corrente sanguínea para aumentar a glicemia e 
manda para outra célula para gerar energia na 
glicólise. 
 
✓ - GLUCAGON JOGA GLICOSE PARA FORA DA 
CELULA. 
✓ A insulina e glucagon tem ações antagônicas 
(contrarias). 
 
 
 
 
SINTASE GLICOGÊNESE 
Carboidratos alimentares, principal é glicose, quando 
entra na celula ela é fosforilada, virando glicose 6 
fosfato, tem uma enzima metase (?) que altera a 
estrutura da glicose 6 fosfato transformando em 
glicose 1 fosfato. 
 
DEGRADAÇÃO GLICOGENOLISE 
 
Degrada o glicogênio, glicogênio fosforilase, fosforila 
a glicose em glicose 1 fosfato para glicose 6 fosfato. 
 
 
 
Bioquímica 4 VALÉRIA SANTOS 
Glicose ligada na glicose, 
Para liberar a glicose é a enzima glicogênio 
fosforilase, quebra a ligação glicosídica, transfere 1 
fosfato para glicose, deixando a glicose livre para 
corrente sanguínea ou musculo. 
 
Glicogenólise hepática: a glicose e fosfato vai para 
corrente sanguínea 
Glicogenólise muscular : glicose e fosfato 
permanecem no musculo. 
 
• Oxidação forma da célula de obter energia de 
macronutrientes. 
LIPÍDEOS 
Duas classes de lipídeos: 
• Gordura – animal solida na temperatura