A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
Anatomia do Coração

Pré-visualização | Página 2 de 3

inicial do feixe AV do complexo 
estimulante do coração 
 
Região externa do coração 
 Os átrios são demarcados dos ventrículos pelo 
sulco coronário e os ventrículos direito e esquerdo são 
separados pelos sulcos interventriculares (IV) anterior 
e posterior. 
 O coração tem um formato trapezoidal em vista 
anterior/posterior. É formado pelo ápice e pela 
base. O ápice é a região inferolateral do ventrículo 
esquerdo. Já a base é a face oposta ao ápice, formada 
principalmente pelo átrio esquerdo, estende-se 
superiormente até a bifurcação do tronco pulmonar e 
inferiormente até o sulco coronário. 
ANATOMIA: CORAÇÃO 
4 
 
 
 
 
Faces do coração 
 O coração apresenta 4 faces: 
• Face esternocostal (anterior), formada 
principalmente pelo ventrículo direito; 
• Face diafragmática (inferior), formada 
principalmente pelo ventrículo esquerdo e em parte 
pelo ventrículo direito; está relacionada 
principalmente ao centro tendíneo do diafragma 
• Face pulmonar direita, formada principalmente pelo 
átrio direito 
• Face pulmonar esquerda, formada principalmente 
pelo ventrículo esquerdo; forma a impressão 
cardíaca do pulmão esquerdo. 
 
Margens do coração 
 O coração apresenta 4 margens: 
• Margem direita (ligeiramente convexa), formada 
pelo átrio direito e estendendo-se entre a VCS e a 
VCI 
• Margem inferior (quase horizontal), formada 
principalmente pelo ventrículo direito e pequena 
parte pelo ventrículo esquerda 
• Margem esquerda (oblíqua, quase vertical), formada 
principalmente pelo ventrículo esquerdo e pequena 
parte pela aurícula esquerda 
• Margem superior, formada pelos átrios, aurículas 
direita e esquerda em vista anterior; a parte 
ascendente da aorta e o tronco pulmonar emergem 
dessa margem e a VCS entra no seu lado direito. 
Posteriormente à aorta e ao tronco pulmonar e 
anteriormente à VCS, essa margem forma o limite 
inferior do seio transverso do pericárdio. 
 
OBS! O tronco pulmonar é a continuação arterial do 
ventrículo direito e divide-se em artérias pulmonares 
direita e esquerda. O tronco e as artérias pulmonares 
conduzem o sangue pouco oxigenado para oxigenação 
nos pulmões 
 
Átrio direito (AD) 
 Forma a margem direita do coração e parte da face 
esternocostal; recebe sangue venoso da VCS, VCI e 
seio coronário (encontrado na região posterior). A 
ANATOMIA: CORAÇÃO 
5 
 
aurícula direita é uma bolsa muscular cônica que se 
projeta do AD como uma câmara adicional, 
aumentando a capacidade do átrio. O AD é divido do 
VD pelo sulco coronário. Ao lado da VCI, em direção 
ao VCS, há o sulco 
terminal (formado 
internamente pela 
crista terminal). 
 No seu interior, 
apresenta uma 
parede posterior 
lisa, que forma o 
seio das veias 
cavas (onde se 
abrem as veias 
cavas) e do seio 
coronário. Já a 
parede anterior é 
rugosa 
(encrespada), 
formada pelos 
músculos pectíneos (diminuem a pressão do sangue 
vindo das veias). A transição entre a parte lisa e rugosa 
do AD é chamada de crista terminal. Dentro da 
aurícula apresenta uma parede trabeculada (cavernosa 
- diminui a velocidade do sangue). 
 Outrossim, o AD apresenta 4 óstios (orifícios) 
principais, são eles: 
• Óstio AV direito: onde encontra-se a valva 
tricúspide, o qual passa o sangue para o VD. 
• Óstio do seio coronário: abertura do tronco venoso 
curto que recebe a maioria das veias cardíacas, 
situa-se entre o óstio AV direito e o 
óstio da VCI. 
• Óstio da VCS: se abre na parte superior do átrio 
direito. 
• Óstio da VCI, se abre na parte inferior do átrio 
direito quase alinhada com a VCS. 
 Por fim, o AD 
apresenta um septo 
interatrial, que separa os 
dois átrios; esse septo 
tem uma depressão oval, 
a fossa oval. 
 
Ventrículo direito (VD) 
 Forma a maior parte 
da face esternocostal do 
coração e parte da face diafragmática, além de quase 
toda a margem inferior. 
 A parte de entrada do ventrículo recebe sangue do 
átrio direito através do óstio AV direito (valva 
atrioventricular direita - tricúspide), esse óstio é 
circundado por um dos anéis fibrosos do esqueleto 
fibroso do coração, o qual mantém o calibre do óstio 
constante (resistindo à dilatação que poderia resultar da 
passagem de sangue através dele com pressões 
variadas). Cordas tendíneas fixam as 3 válvulas 
(septal, posterior e anterior) aos músculos papilares, 
que, ao se contraírem, fecham a valva tricúspide, 
impedindo o prolapso sanguíneo para o AD. 
 Há 3 músculos papilares do ventrículo direito, que 
se ligam à cada região da valva tricúspide: 
• Músculo papilar anterior: o maior dos três, origina-
se da parede anterior do ventrículo direito; suas 
cordas tendíneas se fixam nas válvulas anterior e 
posterior. 
• Músculo papilar posterior: pode ter várias partes; 
origina-se da parede inferior do ventrículo direito, e 
suas cordas tendíneas se fixam nas válvulas 
posterior e septal. 
• Músculo papilar septal: origina-se do septo 
interventricular, e suas cordas tendíneas se fixam às 
válvulas anterior e septal. 
 A parede de entrada do VD é composta por 
elevações musculares irregulares, as trabéculas 
cárneas (região rugosa que diminui a velocidade do 
sangue vindo do AD). Na região superior do VD, ele 
afilia-se e forma um cone arterial (infundíbulo - funil 
para formar o cone) de parede lisa, que conduz o 
sangue ao tronco pulmonar (leva o sangue até as 
artérias pulmonares direita e esquerda). Separando a 
região rugosa da lisa, tem-se a crista supraventricular 
(tecido de transição). 
 
OBS! Valva = conjunto de válvulas 
 
 
 
ANATOMIA: CORAÇÃO 
6 
 
 O septo interventricular (SIV) é uma divisória 
oblíqua forte entre os VD e VE, formando parte das 
paredes de cada um. O SIV é composto de duas 
partes: 
• Parte muscular: é a maior parte do septo, é da 
grossura da parede oposta do VE e 3 vezes mais 
grossa que a parede oposta do VD. 
• Parte membranácea: trata-se de uma 
membrana fina, que é parte do esqueleto 
fibroso e fica na região mais superior do SIV. 
 
OBS! Superiormente à válvula, a parte membranácea 
do SIV forma o septo atrioventricular, que separa AD 
do VE. 
 
 A trabécula septomarginal (banda moderadora) é 
um feixe muscular curvo que atravessa o VD da parte 
inferior do SIV até a base do músculo papilar anterior. 
Sua importância é para conduzir parte do ramo direito 
do fascículo AV, uma parte do complexo estimulante 
do coração até o músculo papilar anterior. 
 O AD se contrai quando o VD está vazio e 
relaxado, forçando o sangue a passar pelas válvulas 
tricúspide e chegar ao VD (via de entrada). Quando o 
ventrículo se contrai, a saída de sangue ocorre 
superiormente à esquerda para o tronco pulmonar (via 
de saída). Portanto, o sangue faz um trajeto em formato 
de U no ventrículo direito, sendo possível pela 
acomodação da crista supraventricular, que direciona o 
fluxo de entrada para 
a cavidade principal 
do ventrículo e o 
fluxo de saída para o 
cone arterial em 
direção ao óstio do 
tronco pulmonar. 
 
 
Átrio esquerdo (AE) 
 Forma a maior parte da base do coração. Os pares 
de veias pulmonares direita e esquerda entram no átrio. 
As paredes dessas veias foram incorporadas à parede 
do AE, formando o seio venosos pulmonar (como no 
seio venoso do AD). 
 A aurícula esquerda (tubular e musculosa) 
apresenta em seu interior uma parede trabeculada com 
músculos pectíneos, que forma a parte superior da 
margem esquerda do coração e cavalga a raiz do tronco 
pulmonar. Uma depressão semilunar no septo 
interatrial indica o assoalho da fossa oval. 
 No interior do átrio esquerdo, temos uma parte 
maior com paredes lisas e uma aurícula muscular 
menor, contendo músculos pectíneos; além de 4 veias 
pulmonares (2 superiores e 2 inferiores) que entram na 
região posterior lisa o átrio. Além do mais, há o septo 
interatrial (separa os dois átrios) e um óstio AV 
esquerdo (bicúspide/mitral - AD transfere o sangue 
oxigenado