A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Vasculatura do coração

Pré-visualização | Página 1 de 1

ANATOMIA: CORAÇÃO 
1 
 
Vasculatura do coração 
 Os tecidos do coração são irrigados por: 
• Miocárdio e epicárdio → Artérias coronárias e veias 
cardíacas 
• Endocárdio e subendocárdico → recebem O2 e 
nutrientes por difusão ou por microvascularização 
diretamente das câmaras do coração 
 Os vasos sanguíneos do coração são afetados pela 
inervação simpática e parassimpática. 
 
OBS! AD = Átrio direito; VD = Ventrículo direito; AE = Átrio 
esquerdo; VE = Ventrículo esquerdo 
 
IRRIGAÇÃO ARTERIAL DO CORAÇÃO 
 As artérias coronárias direita e esquerda são os 
primeiros ramos da aorta. Elas originam-se dos seios da 
aorta correspondentes na região proximal da parte 
ascendente da aorta, imediatamente superior à valva da 
aorta, e seguem por lados opostos do tronco pulmonar. 
Artéria coronária direita (ACD) 
 Origina-se do seio da aorta direito e passa para o lado 
direito do tronco pulmonar, seguindo no sulco coronário, 
iniciando na sua parte anterior (abaixo da aurícula direita) 
e o acompanha até a região posterior do coração, na 
chamada cruz do coração (junção dos septos interatrial e 
interventricular entre as quatro câmaras cardíacas). A ACD 
emite os seguintes ramos: 
• Ramo do nó sinoatrial ascendente: sai na porção inicial 
da ACD e irriga o nó SA. Em 40% das pessoas esse ramo 
sai da ACE 
• Ramo marginal direito: a ACD desce no sulco coronário 
e emite esse ramo, que irriga a margem direita do 
coração enquanto segue em direção ao ápice do órgão. 
• Ramo do nó atrioventricular: sai na parte da cruz do 
coração e irriga o nó AV 
• Ramo interventricular posterior: ultimo ramo que 
descende a cruz do coração, desce no sulco 
interventricular posterior e irriga a região do VD e parte 
do VE. Em algumas situações (cerca de 33% da 
população) apresenta esse ramo saindo da ACE 
o Ramos interventriculares septais: ramos que saem 
do ramo interventricular posterior e perfuram o 
septo interventricular (SIV) 
 Então, de maneira mais resumida, a ACD supre o AD, 
grande parte do VD, parte do VE, parte do septo IV (1/3 
posterior), o nó SA e o nó AV. 
 
Artéria coronária esquerda (ACE) 
 Surge no lado oposto da ACD, passa entre a aurícula 
esquerda e o lado esquerdo do tronco pulmonar e segue 
no sulco coronário. Quando a ACE entra no sulco, ela se 
divide em dois ramos: 
• Ramo interventricular anterior: segue ao longo do sulco 
IV até o ápice do coração, faz a volta na margem inferior 
e pode se anastomosar com o ramo IV posterior da 
artéria coronária direita; esse ramo supre ambos os 
ventrículos e 2/3 anteriores do septo IV. Ele emite 
alguns ramos, como: 
o Ramo lateral: desce sobre a face anterior do coração 
o Ramos interventriculares septais: pequenos ramos 
que entram no SIV, irrigando-o 
• Ramo circunflexo da ACE: acompanha o sulco coronário 
ao redor da margem esquerda do coração até a face 
posterior do coração. Ela emite ramos como: 
o Ramo marginal esquerdo: acompanha a margem 
esquerda e supre o VE 
o Ramo ventricular esquerdo posterior: parte terminal 
do ramo circunflexo da ACE 
 
 Então, a ACE supre o AE, maior parte do VE, parte do 
VD, maior parte do SIV e o nó SA (em 40% das pessoas). 
 
ANATOMIA: CORAÇÃO 
2 
 
 
DRENAGEM VENOSA DO CORAÇÃO 
 O coração é drenado por veias que se abrem no seio 
coronário e por pequenas veias que desembocam no AD. 
 
Seio coronário 
 É a principal veia do coração; ela segue da esquerda 
para direita na parte posterior do sulco coronário e 
desemboca no óstio do seio coronário no AD. As veias que 
se abrem nesse seio são: 
• Veia cardíaca magna: desemboca na extremidade 
esquerda; é o principal ramo do seio → drena as áreas 
do coração supridas pela ACE. Ela é formada pelas veias: 
o Veia interventricular anterior: começa perto do 
ápice do coração e ascende com o ramo IV anterior 
da ACE 
o Veia marginal esquerda: surge perto do ápice e 
ascende da região posterolateral direita até a 
cardíaca magna 
• Veia interventricular posterior: desemboca na 
extremidade direita do seio; acompanha o ramo 
interventricular posterior (ramo da ACD). 
• Veia cardíaca parva: desemboca na sua extremidade 
direita; acompanha o ramo marginal direito da ACD. 
Tem como uma de suas tributárias a: 
o Veia marginal direita: ramo inicial da veia cardíaca 
parva